[ editar artigo]

Sistema take away: Como bares e restaurantes estão se adaptando à nova forma de comercialização

Sistema take away: Como bares e restaurantes estão se adaptando à nova forma de comercialização

Take away = comida para levar 🍝🍛🥧

Desesperados com a medida de fechamento dos estabelecimentos, os donos de bares e restaurantes estão tendo que se adaptar à nova rotina. Desde o mês passado, a entrega da alimentação aos consumidores está sendo feita de acordo com a modalidade take away. O termo, que pode ser traduzido livremente como “comida para levar”, tem trazido grandes resultados. Além dos locais de preparo serem pensados para poupar o tempo do consumidor, ele evita o contato físico entre o entregador e o cliente, o que ajuda a evitar a transmissão do novo coronavírus. Vale lembrar que os empreendimentos que descumprirem a medida estão sujeitos a penalidades que podem trazer um maior impacto para o setor.

➡️ Pensando em funcionalidade


O take away se adapta a todos os gostos. Você pode apostar em diversas opções e vender comidas orgânicas, alimentos veganos, hambúrgueres, entre outros. O importante é estar atento a demanda existente na cidade ou região de entrega.

Outro ponto a ser analisado é a praticidade. Além de tornar a preparação dos pratos mais ágil, o formato de venda fica mais barato, pois não há preocupação com o atendimento pessoal. O foco está exclusivamente no preparo e entrega. Nesta época de isolamento social, a rapidez da entrega do serviço e/ou produto é algo que agrega valor ao seu estabelecimento.

Para que todo o processo seja concluído de forma eficaz, é preciso otimizar o atendimento, desde o telefonema ou pedido do cliente pelo aplicativo, até o momento da entrega. Portanto, você pode pensar em um menu simples para ser executado em um curto espaço de tempo, mas sem deixar o sabor e a qualidade de lado.

Existem algumas medidas que podem ajudar, e são bastante úteis para o seu estabelecimento durante essa pandemia do coronavírus:
 

📌 Disponibilizar álcool em gel 70% para os entregadores, em embalagens que sejam fáceis de carregar;

📌 Se possível, combinar com o cliente o pagamento online;

 📌 Levar o troco em um saquinho plástico. Maquininhas podem ser envelopadas com filme plástico a cada uso;

📌 O box deve ser higienizado com detergente neutro e álcool 70% ou com solução clorada (composição: uma colher de água sanitária para cada litro de água);

📌 Higienizar as mãos antes de pegar a embalagem do produto;

📌 Não colocar o box diretamente no chão na hora da entrega;

📌Na entrega, evite aperto de mãos ou contato físico com o cliente;

📌 Ao cobrar com a maquininha, higienize as mãos novamente;

📌 Ao retornar para o estabelecimento, fazer higienização  completa do box;

📌 Manter o veículo de entrega sempre limpo e higienizado.

Além disso, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) disponibilizou um ebook com um guia de boas práticas de higiene e relacionamento contra o coronavírus. O material instrutivo, é ideal para quem quer saber um pouco mais sobre práticas de segurança alimentar.

Medidas emergenciais adotadas pelos aplicativos para empresas e entregadores


O iFood antecipou os recebimentos dos restaurantes sem custo adicional. Para colocar a medida em prática, foi feito uma parceria com o Itaú, que viabilizou o pagamento por meio da empresa Rede. Os estabelecimentos que optarem pelo benefício receberão seus pagamentos sete dias após as vendas. Para a antecipação do repasse, portanto, o restaurante deve se cadastrar no Portal do Parceiro. A expectativa da ação é antecipar até R$ 2,5 bilhões no mercado brasileiro.

Pelo aplicativo, os clientes podem oferecer gorjetas que são integralmente repassadas aos entregadores. Diante da crise, os valores foram aumentados para R$ 2,00, R$ 5,00 e R$ 10,00. Com isso, a empresa já repassou mais de R$ 500 mil em gorjetas para os trabalhadores. Um aumento de 176% somente nas duas últimas semanas de março.

O iFood também destinou R$ 50 milhões da receita gerada para um fundo de assistência a restaurantes. A iniciativa visa beneficiar, principalmente, os pequenos e médios estabelecimentos.

Os  restaurantes recebem o benefício automaticamente, sem precisar fazer algum tipo de solicitação, basta estar cadastrado na plataforma. Para o empreendedor que possui mais de um restaurante inscrito no aplicativo, ele receberá o auxílio por pedido realizado em cada um de seus estabelecimentos.

O Uber também aderiu à iniciativa e anunciou um fundo que deve auxiliar cerca de um milhão de motoristas e entregadores cadastrados na plataforma. O aplicativo auxiliará financeiramente durante 14 dias os trabalhadores confirmados com a COVID-19 ou que estiverem em quarentena decretada por um órgão de saúde. No entanto, durante esse período, o aplicativo ficará bloqueado para novas corridas e pedidos. O valor recebido será de acordo com os ganhos diários do motorista nos últimos seis meses anteriores a março.

Apesar da ausência de direitos trabalhistas, as empresas têm tomado algumas medidas para mitigar os riscos e auxiliarem os entregadores neste momento crítico.

Leia também: DELIVERY EFICIENTE NEST PERÍODO DE QUARENTENA 🚲

Precisa de ajuda? Acione o Sebrae através dos seguintes canais digitais:

🔵 WhatsApp / Chat / Facebook / E-mail 🔵

Bares e Restaurantes

Comunidade Sebrae
Sebrae Paraná
Sebrae Paraná Seguir

Especialista em Pequenos Negócios - Atendimento ao Cliente | Marketing | Marketing Digital | Finanças | Gestão | Empreendedorismo | Comunicação | Inovação

Ler conteúdo completo
Indicados para você