[ editar artigo]

A arte da negociação: como ajustar contratos em tempos de crise

A arte da negociação: como ajustar contratos em tempos de crise

Em meio a pandemia, muitas empresas têm se adaptado à determinação de quarentena. Algumas não tem como parar, como o caso de hospitais; supermercados e farmácias, outras migraram para o esquema de home office e muitas que tem um serviço muito prático, em que é importante estar fisicamente na empresa, não existe muita alternativa além de oferecer aos funcionários férias coletivas e aproveitar o banco de horas dos profissionais para compensar as horas extras. Porém, a tendência é que a quarentena extrapole até mesmo os 30 dias, que é um dos períodos comuns de férias. E diante disso, como os empresários devem agir sem prejudicar a empresa e os contratados?

Em função de eventos imprevisíveis, como o caso do Coronavírus, a legislação prevê alternativas para situações em que os contratos podem ser cumpridos. Se por acaso o contrato atual prevê que nenhuma parte será penalizada em caso de falha de cumprimento de obrigações em eventualidades de força maior, não haverá penalização para quem descumprir com o acordo. A cláusula ainda pode determinar que o contrato seja revisto, suspenso temporariamente ou rescindido. E por conta disso,  para o empreendedor abre-se um leque do que se pode fazer neste momento.
 

Como pequenas empresas podem agir sem prejudicar os funcionários?

É evidente que o intuito não é pensar apenas no bolso e deixar o funcionário na mão. Acima de tudo devemos ser humanos, valorizando cada profissional e chegando a um acordo temporário que a medida do possível seja bom para ambas as partes. Isso é importante para a imagem da empresa e é uma forma de mostrar lá na frente que foi possível dar a volta por cima mesmo em um período de crise como esse.

A intenção é tentar uma renegociação amigável, com intuito de minimizar os danos e as implicações jurídicas. Pode ser feito um acordo provisório, com o que prevê a CLT, de redução de jornada e salário. No caso, o artigo 503 da CLT já prevê uma redução coletiva de até 25% para ocorrências de força maior.

Em relação aos benefícios, é possível alinhar também o ideal para cada pessoa. Os vales de alimentação e refeição e plano de saúde devem ser mantidos até para quem está em esquema de home office. O vale transporte pode deixar de ser pago, junto com o vale refeição para os que estão em férias. Além disso, os pagamentos de comissões e gratificações também podem ser suspensos nesse período. Dessa forma o bolso do empreendedor não fica no prejuízo e os funcionários também não saem com uma mão na frente e outra atrás.

A arte de renegociação também dever ser feita com as contas da empresa.
Afinal, não basta só ajustar o contrato com os funcionários. Para não ficar no vermelho, é preciso organizar despesas e afinar os pagamentos com as prestadoras de serviço, como o caso de bancos e de empresas telefônicas.


Os bancos por exemplo prorrogaram por até 60 dias os vencimentos de dívidas de pessoas físicas e de micro e pequenas empresas. A decisão vale para todos os contratos de créditos, mas não se estende para dívidas no cartão, no cheque especial e nem contas de consumo. Cada caso pode ser negociado por telefone, então dessa forma o empresário poderá alinhar as demandas com bom senso e cautela. Os prazos já prorrogados já dão alívio para a empresa conseguir alinhar as demais contas pendentes.

Se no seu estabelecimento os funcionários têm o hábito de viajar a trabalho de avião, aproveite para reaver o valor das passagens já compradas no período de março a junho de 2020. A passagem pode ser usada em até 12 meses da data do vôo, reaproveitando o valor integral do bilhete. Se no seu caso for preciso cancelar a viagem e receber o dinheiro de volta, a companhia poderá reter parte do valor pago, de acordo com o que está previsto nas regras contratuais.

Os serviços essenciais como os de água, luz, gás e telecomunicações podem ter os pagamentos adiados por 60 dias, e nesse caso as empresas até conseguem parcelar as contas se for necessário. Caso o seu estabelecimento esteja no sufoco mesmo, essa é mais uma alternativa para segurar os gastos neste período de quarentena. Além de que alguns deles, como a internet, podem ter até os pacotes reduzidos. Avalie a necessidade e faça suas escolhas em relação aos cortes de gastos.

Aproveite o momento para também organizar pendências da empresa e busque alternativas para desenvolver o seu conhecimento como gestor. Na Comunidade Sebrae trabalhamos com diversos conteúdos que podem estimular a criatividade para o seu negócio continuar caminhando bem. Acesse aqui se você quer saber tudo sobre organização e gestão financeira.

Que nesse período de pandemia do coronavírus nós possamos aproveitar para investir em conhecimento. É um período em que o mundo está parado, mas que podemos movimentar ideias e criatividades para o futuro das empresas. Pensar positivo é o diferencial para atrair notícias boas. Faça sua parte que logo superaremos tudo isso juntos.

E se precisar, já sabe, o Sebrae está junto com você, nessa luta!

🔵 Atendimento Digital SEBRAE 🔵
WhatsApp / Chat / Facebook / E-mail

Blog

Comunidade Sebrae
Sebrae Paraná
Sebrae Paraná Seguir

Especialista em Pequenos Negócios - Atendimento ao Cliente | Marketing | Marketing Digital | Finanças | Gestão | Empreendedorismo | Comunicação | Inovação

Ler conteúdo completo
Indicados para você