[ editar artigo]

A Cultura Empreendedora na Educação

A Cultura Empreendedora na Educação

 

Com todas as propostas de reforma da previdência, leis trabalhistas e terceirização, o futuro das profissões deve considerar o empreendedorismo como opção de carreira.

As empresas que geram empregos formais poderão cada vez mais variar nas formas de contratação, o que abre grandes oportunidades para os empreendedores serem fornecedores de produtos e serviços para as MPE´s (micro e pequenas empresas) e MGE´s (médias e grandes empresas) construindo cadeias produtivas mais especializadas.

Considerando o pensamento em ser dono do próprio negócio, a cultura de empreender precisa ser iniciada já na educação fundamental para que a semente da independência e autonomia sobre a própria carreira seja plantada já na construção e alfabetização das crianças.

Desta forma, a cultura de empreender deixa de ser encarada como “falta de emprego com registro em carteira” na região ou no país, e passa a ser o desafio de uma geração que precisa aprender sobre como será a ocupação e a geração de renda para a nossa própria vida.

O conceito de empregabilidade, que temos estudado é a condição de ser contratável e necessário para qualquer modelo de negócio, enfrentando as transições que já iniciamos na vida profissional.

Por isso, a disciplina Empreendedorismo é fundamental para construção de um novo pensamento e progresso e profissionalização, e as gerações precisam estudar isso desde pequenos até sempre, pois a inovação é constante e as oportunidades são infinitas.

A dica é pensar em empreender alinhado com a vocação, desenvolver estratégias para atuar com sucesso no mundo competitivo. Competências técnicas, comunicação e relacionamento, uso da tecnologia, competências mercadológicas e marketing, que devem ser praticadas por quem está no mercado de trabalho, precisa vender o seu peixe e precisa ter emprego, trabalho ou contrato.

E para ensinar isso às crianças, o Sebrae atua no pilar Cultura Empreendedora na rede de educação junto as prefeituras parceiras. O programa é totalmente subsidiado e capacita os professores para inserir a disciplina do empreendedorismo no ensino fundamental, médio e superior.

Na região do Vale do Ribeira, escolas dos municípios de Cananéia, Sete Barras, Pedro de Toledo capacitaram mais de 2.000 alunos de ensino fundamental e médio em 2019 e mais de 230.000 no Estado de São Paulo. E para o ano de 2020, a previsão é dobrar a quantidade.

E quanto mais as novas gerações crescem pensando em diversidades, oportunidades, qualidade e inovação, uma nação se transforma e se profissionaliza, renovando o mindset para um modelo de entrega e pensamento eficiente.

 

Michelle Raimundo dos Santos

 

Ler matéria completa
Indicados para você