[ editar artigo]

A economia de atenção e a mudança do poder

A economia de atenção e a mudança do poder

Em um mundo em que a cada minuto as pessoas são bombardeadas por informações, as marcas estão lutando para se manter relevantes no mercado. Por isso, as empresas estão adotando a economia de atenção para sobreviver nesse cenário.

A abundância de informações competindo por nossa atenção não é algo novo. Porém, ela nunca foi tão perceptível quanto hoje. Além das campanhas publicitárias, o volume de telefonemas, e-mails e notificações de posts e mensagens são uma tentativa de nos impactar.

A economia de atenção está diretamente ligada ao tempo das pessoas. Fazer com que o público disponibilize alguns minutos de atenção é um desafio. Essa é o dilema enfrentado por quem trabalha com conteúdo. Produzir textos, vídeos, podcasts, fotos, entrevistas etc., é uma forma de ajudar os consumidores a fazer escolhas com qualidade no menor tempo possível. Dessa forma, o público começa a enxergar valor no que sua marca produz e permanece disposta a consumir o produto ou serviço que ela entrega.

A eficiência do conteúdo deve começar pela concepção das mensagens, uma vez que saturados pelo volume de informações e estímulos  que recebemos, somos sujeitados a lidar com a escolha entre quais conteúdos absorver ou ignorar. 

De acordo com o relatório fornecido pela State of Inbound, 63% dos profissionais de marketing afirmam que o principal desafio enfrentados por eles é a geração de tráfego e leads. Isso se deve ao fato de que a quantidade de informações espalhadas por diversas plataformas digitais está disputando o tempo das pessoas e é nessa hora que a sua empresa deve agir!

Algumas estratégias podem ser adotadas a fim de valorizar os conteúdos produzidos. Assim, para atrair a atenção dos consumidores é preciso estar atento a alguns pontos.

1. Informações imediatas

O comportamento do consumidor mudou. Hoje, a disputa pela sua atenção é vencida ou perdida durante a jornada de consumo, uma vez que ele toma decisões e estabelece suas preferências.

Segundo a pesquisa realizada pela Provokers, 79% dos usuários de smartphones esperam obter informações imediatas quando usam o aparelho para fazer buscas na internet.

Hoje, o hábito de fazer pesquisas via desktop deu lugar a interações rápidas e fragmentadas por meio de dispositivos móveis, principalmente smartphones. Isso é um reflexo da hiperconectividade em que vivemos. Estamos constantemente enviando mensagens, fazendo compartilhamentos nas redes sociais, assistindo a vídeos, ouvindo música - muitas vezes, fazendo tudo ao mesmo tempo. Portanto, o consumidor precisa saber em primeira mão tudo o que está acontecendo.

2. Conteúdos personalizados

Para atrair a atenção dos consumidores e fazer com que eles queiram receber as informações, é preciso personalizar o relacionamento entre a marca e o cliente. A personalização está em cada etapa do processo de compra do consumidor. Ele precisa ser conquistado na hora do atendimento, na negociação, na venda e, também, no pós-venda. Por isso, fornecer conteúdos específicos de acordo com cada cliente é essencial na economia de atenção. Essa personalização pode ser viabilizada pelo uso da inteligência artificial e pela publicidade cognitiva a fim de aumentar a relevância da informação transmitida.

3. Alie-se à semiótica

A semiótica é o estudo de diversas linguagens presentes no nosso dia a dia, como a mídia, a publicidade e o jornalismo. Ao compreendê-la, conseguimos ter um melhor entendimento das mudanças que vêm ocorrendo na economia de atenção.

Com isso, a capacidade de entendimento dos significados que são atribuídos às mensagens facilitam a criação de estratégias mais eficazes. Assim, em meio ao bombardeio de informações que recebemos diariamente, entender os elementos que fazem parte da construção do discurso traz melhores resultados na hora de atrair a atenção do público.

Dessa forma, entender qual é a interpretação que o consumidor está dando para o processo de compras e o que o faz se afastar do seu produto é essencial para identificar e corrigir erros, melhorando a atração do público.

4. Estabeleça sua autenticidade

Os consumidores preferem adquirir produtos e serviços que refletem sua identidade e valores. Empresas que são autênticas se tornam confiáveis aos olhos do público. Dessa forma, sua marca pode contar uma história mais genuína, o que irá ajudá-la a criar uma base de clientes fidelizada. Isso é possível porque os consumidores sentem que estão comprando não apenas produtos e serviços, mas valores. Essa autenticidade cria uma vantagem competitiva para sua marca nesse cenário de economia de atenção.

5. Ofereça formas de acesso

Fornecer conteúdos relevantes por meio de diversas plataformas é uma forma que as marcas encontraram para obter a atenção dos consumidores. Para isso, é necessário estar sempre atualizado sobre as novas tecnologias e recursos digitais, uma vez que o consumidor está cada vez mais omnichannel.

Em resumo, a economia de atenção aumentou o poder do público, que busca por conteúdos relevantes e que estejam de acordo com o seu perfil. Portanto, se o conteúdo da sua marca não disser a que veio nos primeiros segundos de contato com ele, é possível que as pessoas o abandonem. Assim, é imprescindível que as empresas tenham estratégias que façam com que os consumidores curtam, compartilhem, comentem e comprem a partir dos conteúdos propostos.

 

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você