[ editar artigo]

A portabilidade de crédito vale a pena?

A portabilidade de crédito vale a pena?

Não existe nada melhor que você poder pagar suas dívidas com taxas de juros menores que as atuais presentes no contrato de financiamento ou de crédito. Ainda bem que existe a portabilidade de crédito para facilitar a sua vida! Se você ainda não sabe o que é, essa modalidade se trata da possibilidade de fazer transferência de operações de crédito, seja de empréstimos, financiamentos, previdência pública, privada ou crédito imobiliário, de um banco para o outro. O lado positivo disso, é que a portabilidade de crédito pode ser feita por qualquer cliente, pessoa física ou jurídica, conforme o cancelamento do contrato e quitação antecipada da dívida no banco original.

Você sabia que quando foi criada a portabilidade de crédito, a ideia do Governo era estimular a concorrência entre os bancos e diminuir os juros? Desse modo, os consumidores poderiam seguir para os bancos que proporcionassem as vantagens maiores. Vale destacar que as regras atuais da portabilidade de crédito foram definidas pelo Conselho Monetário Nacional no ano de 2013.

Entre os benefícios, podemos citar a transferência de uma dívida para uma instituição que apresenta custos menores. Além disso, também é possível renegociar o financiamento do seu imóvel pela portabilidade.

Outra vantagem é que, por meio da portabilidade, você poderá escolher qualquer instituição financeira para transferir a sua dívida, sem a necessidade de abrir uma nova conta bancária, e também não precisará ser correntista do novo banco. A portabilidade de crédito também tem a vantagem de oferecer um suporte ou atendimento melhor e é uma ótima maneira para quem está precisando organizar as finanças, concentrando assim, todas as suas dívidas em um mesmo banco.

Uma boa dica antes de iniciar a portabilidade, é fazer uma solicitação do valor do Custo Efetivo Total (CET) da nova operação. Assim, será mais simples comparar os valores dos encargos e despesas cobrados pelas instituições.

Um bom momento para solicitar a portabilidade é quando você estiver pagando juros muito altos em uma instituição financeira e ela não quiser reduzi-los, mesmo após você iniciar o processo de portabilidade. Dessa forma, migrando para a outra instituição, será possível conseguir um empréstimo com menor custo e mais fácil de ser pago. Além disso, é importante aproveitar quando ocorrer uma queda de juros, pois ela gerará um valor menor das parcelas mensais da dívida. Em relação às restrições, a única se refere ao valor e prazo da operação de crédito resultante: não podem ser maiores do que o valor e o prazo remanescentes da dívida na instituição original.

Se você necessita realizar a portabilidade de crédito, sugerimos que solicite para a instituição que possui o contrato original, o fornecimento do número número do contrato e modalidade, bem como o saldo devedor atualizado e demonstrativo de sua evolução, o sistema de pagamento, a taxa de juros anual nominal e efetiva, o valor de cada prestação e a data do último vencimento.

Vale ressaltar que a portabilidade poderá ser concluída em até sete dias úteis, após o pagamento do saldo, visto que o banco terá até dois dias para honrar o pagamento, onde o dinheiro será direcionado para a conta do banco cedente, para a quitação da operação. Nesse caso, a transferência é realizada via TED (Transferência Eletrônica Disponível) e os custos não podem ser repassados para o cliente.

Outra questão interessante é que a portabilidade de crédito não costuma fazer cobrança de tarifas, somente nos casos de imóveis e leasing. Apesar disso, o banco pode cobrar uma tarifa para criação de cadastro. Agora, o processo pode ser cancelado sem custo pelo cliente, a qualquer momento, uma vez que a instituição não tenha remetido o pagamento para a instituição credora original.

Mais um ponto positivo é que não existe limitação para o número de operações, sendo que a mudança do banco pode ser feita sempre que o cliente achar necessário, desde que a parte do contrato tenha sido paga. Nessa situação, a ressalva é válida apenas para o caso do período mínimo que os contratos de arrendamento mercantil exigirem.

Um fato importante que merece ser destacado, é que se caso a instituição não fornecer as informações necessárias, poderá recorrer à auditoria, depois ao Procon e ao Banco Central, se o problema não for resolvido. É essencial frisar que banco - no qual o cliente tem a operação - é obrigado a aceitar o pedido de portabilidade. Pode acontecer de surgir uma contraproposta e o cliente decidir se vai aceitá-la ou não. Entretanto, se o cliente desistir de fazer a portabilidade, deverá formalizar a desistência com a instituição credora original, que fará o comunicado ao banco autor da proposta para o novo crédito.

Um bom conselho antes de realizar a portabilidade, é fazer uma solicitação ao novo banco do Custo Efetivo Total da operação. Assim, será possível fazer até uma comparação para verificar se a troca será vantajosa do ponto de vista financeiro também. Outra dica é fazer simulações em mais de um banco.

Se você deseja fazer a portabilidade de um empréstimo consignado, é fundamental buscar informações sobre o contrato do mesmo com o credor atual. Para isso, será necessário saber o número do contrato, saldo devedor atualizado, demonstrativo da evolução do saldo devedor, modalidade, taxa de juros (nominal e efetiva), prazo total e remanescente, sistema de pagamento, valor de cada prestação, detalhando o valor do principal, dos encargos e data do último vencimento da operação.

Ótima ferramenta também para pensionistas, aposentados, servidores públicos ou trabalhadores com carteira assinada que estiverem com muitas dívidas acumuladas, a portabilidade de crédito ajuda inclusive a controlar o orçamento e a ter uma visão melhor das dívidas em andamento, centralizando todas em apenas um lugar. Por meio da portabilidade de crédito você vai se organizar e até mesmo planejar melhor o seu orçamento.

Concluindo, a portabilidade de crédito vale muito a pena para operações de longo prazo e de altos valores, visto que qualquer dedução, terá um grande impacto. É válido complementar que se caso o seu financiamento ou empréstimo for antigo, também poderá inclusive conseguir propostas melhores, visto que as taxas de juros eram até mais elevadas anos atrás.

Saiba mais sobre outros assuntos. Continue navegando pela Comunidade Sebrae.

Blog

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você