[ editar artigo]

Doenças Emocionais - O novo epicentro do Marketing para quase todos os produtos

Doenças Emocionais - O novo epicentro do Marketing para quase todos os produtos

Todo consumo se faz por 2 motivações: necessidade ou desejo.

O critério de compra para os produtos e serviços de necessidade é o “custo de aquisição” (preço e esforço para aquisição). Obvio que não mencionei a disponibilidade de renda para tanto.

O critério de compra para os produtos e serviços ligados aos desejos é a conexão de cada oferta com a percepção do consumidor sobre seu valor quanto a uma “doença emocional”.

O contexto do cotidiano, que foi desconstruído pela pandemia, transformou a esfera emocional, potencializando os desejos em “doenças emocionais”, associados a todo tipo de frustração: ansiedade, medo, insegurança, baixa estima, inveja, solidão, estresse, depressão etc.

Podemos perceber a busca por remédios para esses males quando vemos o crescimento dos principais itens de consumo durante a pandemia:

  • Decoração do lar
  • Pets
  • Plantas verdes
  • Bebidas
  • Meditação
  • Terapia
  • Produtos de indulgencia
  • Mercado imobiliário

Assim, o que cabe ao seu negócio é enxergar menos o produto e mais a entrevista, mais o pedido e menos a oferta, mais o benefício e menos a característica, mais o conhecimento do perfil e menos o estoque.

Não é nada novo, em termos do mundo do marketing, mas é revelador quando propomos um ponto central e unificado das demandas – as doenças emocionais.

Encaixar as pontas de cada universo dos nichos de mercado a esse ponto central é o desafio de quem quer estar no mercado amanhã, sejam lojistas, produtores ou prestadores de serviço.

Augusto Aki – consultor de modelos de negocio e marketing

 

Blog

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você