[ editar artigo]

[ Conteúdo com vídeo] Como as empresas podem utilizar a inteligência coletiva?

[ Conteúdo com vídeo] Como as empresas podem utilizar a inteligência coletiva?

A inteligência coletiva é baseada na troca de conhecimentos, ou seja, toda forma de pensar e compartilhar seus conhecimentos por meio de alguns recursos tecnológicos. Pode-se dizer que as inteligências individuais são somadas e compartilhadas por um grupo de pessoas ou pela sociedade como um todo. Agora, você deve estar se perguntando como esse conceito pode ser aplicado nas empresas, certo?

Especificamente em tempos de crise, a inteligência coletiva é essencial para manter uma organização saudável, uma vez que é colocado em prática o gerenciamento colaborativo.

Nas empresas, a adoção de caminhos que integrem as informações por meio de conhecimentos individuais é essencial para que o plano de negócios e planejamento estratégico estejam mais próximos da realidade, o que pode minimizar riscos e deixar a tomada de decisão mais assertiva.

Uma boa forma dos gestores incentivarem a conectividade entre seus colaboradores é criar estratégias que unam as diversas áreas do empreendimento, como o setor de vendas, atendimento ao cliente, marketing, administrativo etc. Essa conectividade pode ser feita por meio de pesquisas internas, reuniões periódicas, redes sociais corporativas, workshops e pesquisas internas.

Além dos benefícios estratégicos no modelo de negócios, a inteligência coletiva pode contribuir para o engajamento dos colaboradores, pois estarão inseridos na cultura organizacional.

Quando o gerenciamento colaborativo insere em seus mecanismos esse tipo de inteligência, a saúde empresarial melhora, pois fatores, como redução de custos operacionais, mudanças no comportamento do consumidor, necessidades de mercado, análise da concorrência e especificidades de clientes são estudados de uma forma melhor.

Mas afinal, como é possível aumentar a inteligência coletiva de uma empresa?

Provavelmente, em relação ao seu negócio, os objetivos são conquistar mais clientes e aumentar a margem de lucro, correto? Para isso, você pode combinar as contribuições de toda sua equipe para encontrar alternativas que visem solucionar as demandas da empresa.

Primeiro, a inteligência de cada colaborador pode não impactar diretamente a inteligência coletiva da equipe. Calma, vou explicar! Se você montar um time apenas com pessoas consideradas inteligentes, ele não terá necessariamente alta inteligência coletiva. Ou seja, para a realização de um projeto, não é preciso colocar todas as “mentes brilhantes” juntas!

Outro aspecto importante é o nível de participação coletiva. Equipes que têm o nível de comprometimento mais igualitário possuem alto nível de inteligência coletiva. Por isso, é fundamental que todos os envolvidos em um determinado projeto opinem e contribuam de maneira uniforme.

A percepção social e empatia também são importantes ferramentas quando o assunto é inteligência coletiva. Quanto maior a capacidade de perceber como a outra pessoa “funciona”, maior será a inteligência coletiva do grupo. Por exemplo, essa percepção pode ser notada quando alguém consegue adivinhar o que a outra pessoa está pensando. Essa leitura é fácil de ser feita quando as pessoas conseguem expressar suas emoções por meio de gestos e feições.

Uma curiosidade percebida pelas empresas é que não há diferença na inteligência coletiva entre os grupos que trabalham juntos fisicamente e aqueles que conversam apenas por mensagens. Essa questão gera uma grande vantagem às empresas, uma vez que parte da equipe pode trabalhar a distância sem prejudicar os resultados.

Para esclarecer melhor o funcionamento da inteligência coletiva, vamos a alguns exemplos que se tornaram referência nesse assunto.

Wikipédia

A Wikipédia, enciclopédia livre, é resultado de um grande projeto de inteligência coletiva. Desde sua fundação em 2001, a enciclopédia é escrita e editada por várias pessoas, ou seja, de maneira colaborativa. Além disso, ela está disponível em vários idiomas.

Como qualquer pessoa pode se cadastrar e escrever sobre vários assuntos, os tópicos podem ser corrigidos e melhorados rapidamente.

Linux

Criado na Finlândia em 1991 pelo estudante Linus Torvalds, o Linux é um sistema operacional de acesso livre, utilizado no mundo todo. O Linux possui um código aberto e foi desenvolvido sem fins comerciais. Dessa maneira, todos os usuários podem fazer alterações e melhorias no sistema. Esse exemplo de inteligência coletiva é muito utilizado na indústria automobilística, uma vez que são implantadas telas no painel dos novos modelos de carros desenvolvidos por marcas conhecidas, como a Hyundai, Toyota e a Ford.

Com essas experiências práticas, ficou claro que a inteligência coletiva é uma maneira de valorizar as capacidades de cada indivíduo por meio da tecnologia, permitindo que eles compartilhem suas habilidades. Dessa forma, as práticas de inteligência coletiva têm influenciado as formas de distribuição, construção e acesso do conhecimento no meio digital.

Gostou do artigo? Então que tal você estimular a inteligência coletiva em sua empresa para construir um conjunto de informações que sejam úteis no dia a dia?

 

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você