[ editar artigo]

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E O PÚBLICO INTERNO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E O PÚBLICO INTERNO

      A atual ordem econômica estabeleceu novos critérios de relacionamentos entre patrões e empregados.  Gerir pessoas e valorizar o “capital humano” de uma empresa tornou-se imprescindível para o sucesso de qualquer empreendimento que queira tornar-se competitivo no mercado em que atua. As mudanças não atingiram apenas as relações profissionais dentro das empresas, seu relacionamento com os diversos públicos envolvidos em suas atividades também sofreram alterações.  Os grandes desafios dos gestores de hoje – em qualquer área de atuação e nível gerencial - estarão intimamente ligados à forma como eles se comunicam. Não basta se relacionar, é necessário estabelecer de que maneira se dará esse relacionamento, seus objetivos e resultado que se espera deste.

            A abertura econômica, a globalização, o avanço tecnológico e a velocidade das mudanças impulsionaram o surgimento de novos modelos de negócios (e de mercados) e exigiram uma nova postura na gestão da comunicação organizacional.   As mudanças ocorridas nas últimas duas décadas alteraram conceitos, mudam comportamentos e elegeu como prioridades uma série de novas ferramentas estratégica de sobrevivência empresarial, entre elas a comunicação integrada, a tecnologia da informação e o endomarketing para desenvolvimento de equipes eficazes.  Olhar com atenção para ambiente interno das empresas levou a uma verdadeira revolução na conflitante relação patrão-empregado; a valorização e motivação dos funcionários, aliado a um programa de benefícios e constantes capacitações trouxeram, às empresas que investiram nessas mudanças, resultados positivos retensão de talentos.  A gestão de equipes para melhor desempenho de suas atividades passou a ser um desafio para os gestores. A mudança se deu inclusive nas terminologias utilizadas no ambiente de trabalho: há algum tempo atrás, as empresas tinham empregados; depois passaram a ter funcionários, hoje, é comum ouvir a expressão: colaborador.  Mas será que, de fato, há um regime colaborativo de trabalho? Há comprometimento das equipes? O empresariado passou a apostar numa parceria com seus funcionários em prol de um objetivo comum: a satisfação do cliente e a consequente sobrevivência no mercado.

              Motivação constante e comunicação permanente com todos os stakeholders passaram a ser num forte binômio no composto de comunicação integrada de marketing adotado por empresas e instituições antenadas com essas mudanças e com foco no resultado.  Mudanças que ocorrem em um ritmo acelerado e que nem sempre são acompanhadas pela cultura comercial dos empresários e, principalmente, de seus trabalhadores.  Interferir na cultura organizacional e das pessoas requer técnica, estratégias e tempo, não se faz através de determinações administrativas ou controle rígido.   É comum vê em empresas e prestadoras de serviços ações motivadoras de início de expediente, botons que demonstram metas alcançadas, quadro do “melhor funcionário do mês” e uma série de recursos desenvolvidos por equipes cada vez mais multidisciplinares; são administradores, comunicólogos, psicólogos, assistentes sociais, gestores de tecnologia da informação... Em fim, vários profissionais buscando o ambiente de trabalho ideal que resultem no crescimento da empresa e, consequentemente, daqueles que fazem parte dela. Um ambiente com um mínimo de ruído na comunicação entre gestores e funcionários, entre os pares na empresa e entre os diversos públicos ligados à organização. São ações que buscam uma forma de amenizar o impacto causado no relacionamento pela automação e a implantação de novas tecnologias na transmissão da informação empresarial, seja ele um relatório, um balanço anual ou um simples convite para a confraternização de fim de ano.

             A comunicação, como elemento agregador e facilitador dos processos administrativos, aliada à motivação do público interno de uma empresa tem um papel vital no combate ao estado de apatia e de falta de perspectiva que assola boa parte dos trabalhadores. Fatores econômicos, relações sociais, inovações disruptivas eliminando postos de trabalhos e incertezas.   É nesse cenário que age a comunicação, um elo entre as técnicas motivacionais e gerenciais e o indivíduo que as recebe; estabelecendo contatos, criando relacionamentos, estimulando cooperação, participação, comprometimento; disseminando a cultura organizacional, incentivando a alto-estima, patrocinando o crescimento profissional, e, acima de tudo, interagindo, integrando. É nesse ponto que ferramentas tecnológicas como a internet e seu derivado interno, a intranet; dispositivos móveis, aplicativos, redes sociais e sistemas integrados e o bom contato humano, tornam-se poderosos recursos de gestão e um desafio, simultâneo, para o gestor moderno.  Como ser presente estando distante? Como gerenciar um ambiente virtual? Como manter o “calor humano” em ambientes gelados onde cada pessoa está isolada com suas máquinas? Como estabelecer uma relação de confiança, de respeito, de liderança fazendo com que cada pessoa se sinta verdadeiramente colaboradora do sucesso da empresa ou coautora dos insucessos, mas acima de tudo, parte integrante. Um patrimônio, um recurso humano.

            Uma empresa moderna contabiliza como bens, sua marca, suas edificações, seu ativo financeiro, suas máquinas e equipamentos e – principalmente – seu capital humano.  Como está se trabalhando o com esse bem?   Como as técnicas de gestão moderna conseguem estabelecer a comunicação com o seu público interno? De que maneira se dá esse relacionamento?  Que impacto a implantação de mudanças causadas por adoção de novas tecnologias tem no ambiente de trabalho? São muitos os questionamentos a serem respondidos na gestão dos negócios. O fato é que, sem um plano de comunicação eficaz boa parte dos esforços de gestão terão dificuldades de atingirem os objetivos traçados e reforça o bordão do saudoso Abelardo Barbosa - o Chacrinha, que anunciava que “quem não se comunica, se trumbica”.

  Carlos Malafaia

Blog

Comunidade Sebrae
Luiz Carlos Malafaia Ramos
Luiz Carlos Malafaia Ramos Seguir

Consultoria: Comunicação e Marketing

Ler conteúdo completo
Indicados para você