[ editar artigo]

Desaprender para crescer em vendas (conteúdo com áudio)

Desaprender para crescer em vendas (conteúdo com áudio)

Crescimento nas vendas acontece com a disrupção também na forma de atender o cliente

Dúvidas pairam na cabeça dos empreendedores em diversos momentos do seu negócio em relação as vendas dos seus serviços e produtos. Como todo o mercado é cíclico e pode sofrer oscilações com vendas sazonais e até perda de entradas em determinados períodos do ano, o empreendedor pode se blindar com algumas técnicas e dicas para abrir a cabeça e fazer diferente no processo e vendas, atração e manutenção do seu cliente.

O especialista Guilherme Machado, autor no livro “Você não vai mais conseguir vender assim”, participou do Business CWB 4.0 em Curitiba, com que eu conversei sobre sua palestra “Quebre as regras e torne-se um profissional de alto impacto”. Ele ainda me falei sobre o processo de vendas atual e como mudar o mindset para crescer e obter mais sucesso no seu negócio.

Tanto para o profissional como para o empreender, ele fala que o desafio é deixar de atuar como um pato. Isso mesmo! O animal pato nada, mas não nada bem. Voa, mas não voa bem. Anda, mas não anda bem. Ou seja, faz tudo, mas não faz nada bem. Ser um profissional pato é ser generalista e não identificar realmente seu cliente. Sendo assim, você acaba trabalhando no mesmo sem sair do lugar.


Por isso, a dica do Guilherme Machado é justamente essa: entender o cliente, de onde ele vem e o que ele precisa. É ir além e buscar oferecer aquilo que o cliente nem sabe que ele precisa e antecipar essa necessidade. É desaprender a forma efetuar as vendas e fazer negócios, para aprender com o cliente como ajuda-lo da melhor maneira e no momento mais propício.

Outra sugestão é não se acomodar mesmo em momentos de bonança. Para alcançar sucesso nas vendas e nos negócios através da satisfação do cliente é necessário se reinventar. Buscar inspiração no comportamento do cliente é uma grande oportunidade de exercitar essa transformação.

Recentemente, conheci uma empresa de massas congeladas que estava num momento bom, mas sentiu que se inovasse em uma nova maneira de atendimento, poderia ampliar seu caixa. Foi quando começou a servir alguns alimentos na loja, além apenas de efetuar as vendas para o produto ser consumido em casa. O crescimento nas entradas foi significativo e rompeu as expectativas do empreendedor.

O mesmo aconteceu num açougue perto da minha casa que passou a oferecer espetinhos de lanche no final do dia. Hoje, a empresa fatura no petisco tanto quanto nas vendas de carnes do açougue.    

Essas são inspirações para que o empreendedor saia do papel de gestor e veja seu negócio como cliente. Observar o que ele, como cliente, gostaria de obter se procurasse por aquele serviço ou produto. Por isso que Guilherme Machado explica que o comportamento humano é uma grande fonte de estímulo com ferramentas e soluções para ser disruptivo no atendimento, nas vendas e na prestação de serviços.  

 

Comunidade Sebrae
Suzane Marie
Suzane Marie Seguir

Sou jornalista, MEI e gerente de comunidades da Comunidade Sebrae!

Ler matéria completa
Indicados para você