[ editar artigo]

Direito Digital, o que podemos esperar da advocacia nos próximos anos?

Direito Digital, o que podemos esperar da advocacia nos próximos anos?

O Direito Digital pode ser considerado a adaptação de diversos ramos do direito tradicional para as relações estabelecidas no ambiente eletrônico por meio da tecnologia, ou podemos dizer que é um ramo do direito em ascensão, que pretende solucionar impasses envolvendo o uso da tecnologia.

Por se tratar de uma área que ainda está em desenvolvimento há poucas regulamentações acerca do tema, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é o mais recente exemplo disso e está, neste momento, em período de vacacio legis, esperando para entrar em vigor em agosto em 2020.

Como decorrência dessa invasão tecnológica no Direito, os profissionais devem procurar formas de se integrar a ela, tendo em mente a oferta de um serviço mais qualificado ao cliente.

Qual é o perfil do advogado da área?

Uma das tendências para a advocacia do futuro, é exatamente, incentivar os profissionais a desenvolverem seu relacionamento interpessoal.

 Isso envolve um novo modelo de trabalho e o aprimoramento de competências comportamentais.

Ter um perfil empreendedor, colaborativo, dinâmico e inovador, além de uma boa visão de negócios, passa a ser necessário para um advogado que deseja atuar no direito digital.

Por que o Direito Digital é uma tendência?

Esse segmento deve apresentar um crescimento nos próximos anos com oportunidades para quem se qualificar. Com essa inovação é possível delegar atividades burocráticas, como a pesquisa jurisprudencial e legal, e a petição inicial a alguns robôs, o que permite os profissionais ficarem á vontade para trabalharem em questões em que são indispensáveis.

Em outras palavras, é a otimização de toda a atividade do escritório de advocacia ou do departamento jurídico.

Ramos de atuação do Direito Digital

Para os profissionais que pretendem atuar no ramo, o campo de atuação é vasto. O Direito Digital permite tanto a atuação do advogado no ramo contencioso, quanto consultivo. Isso sem mencionar as áreas de contratos e compliance que vem aumentando juntamente com o número de e-commerces.

  • Contencioso

Atua nas Causas Cíveis, ações trabalhistas, previdenciárias, tributarias, e até relativas ao descumprimento da proteção dos direitos autorias.

  • Consultivo

Para o e-commerces de produtos e serviços, além de startups que atuam em novas modalidades de economia colaborativa.

  • Criminal

Fruto de informações, injúria, difamação e calunia na internet. Além de crimes contra o consumidor, praticadas por e-commerces.

  • Contratos

Outra demanda que surgiu principalmente por conta do desenvolvimento dos e-commerces foi a adaptação de contratos que visam regular as relações entre essas empresas, fornecedores e clientes.

  • Compliance

A maioria das empresas brasileiras não possui uma cultura de prevenção de problemas. Todavia, essa realidade vem mudando. Com a chegada das multinacionais ao país, que já possuíam protocolos de compliance vindos de sedes estrangeiras, muitas filiais passaram a contratar esse tipo de serviço jurídico.

O Direito Digital traz desafios interessantíssimos, especialmente para o profissional que gosta de inovar, trabalha com criatividade e tem paixão pelo Direito. É preciso se planejar e criar uma boa estrutura para se desenvolver com segurança, e estar preparado para demandas diferentes.

Você está pronto para o que está por vir ?

 

Blog

Comunidade Sebrae
Ryanne Fernandes
Ryanne Fernandes Seguir

Graduanda em Direito pela Unibrasil, atuo na área de Customer Success e apaixonada por atendimento ao cliente.

Ler conteúdo completo
Indicados para você