[ editar artigo]

Empreendedorismo no mundo dos jogos

Empreendedorismo no mundo dos jogos

A uma frequência de comentários a respeito de jogos eletrônicos e, ao contrário do que muitos mistificam e pensam, ser um gamer é ser um empreendedor.

Richard Tyler Blevins se tornou milionário jogando e produzindo conteúdo, um dos maiores streamers do mundo, conhecido na comunidade como Ninja, ele teve um "boom" na sua carreira em 2017, quando o jogo Fortnite foi lançado, um jogo do estilo Beattle Royale que conquistou muitos jogadores.

O Ninja, é um jovem que trabalha como Gamer que ficou milionário antes dos 30 anos de idade, possui diversas parcerias e patrocínios, um deles é a  Red bull.

 

Atualmente, as indústrias dos games estão evoluindo cada vez mais e junto com elas o seu público também se multiplica.

Podemos dizer que hoje jogar vídeo game é uma profissão, isso pode alegrar os jovens da geração Y e Z que amam seus jogos, porém pode assustar seus pais, a geração Baby Boomer, por não compreenderem e acharem que é algo que não lhes garantirá um futuro promissor. Hoje em dia, ela é considerada um emprego e é conhecida como Gamer.

Existem diversas maneiras de se ganhar dinheiro no mundo dos games. A primeira coisa que muitos imaginam é no desenvolvimento de jogos, no entanto vai além da criação de Softwares.  Um exemplo disso, são as várias empresas que fabricam produtos que ajudam a melhorar a performance de jogadores casuais e profissionais além de deixar seu ambiente de trabalho (Setup) mais bonito e confortável.

Estes jogadores utilizam diversos produtos acoplados no computador e são inúmeras as marcas de periféricos como headsets, mouse, teclados, monitores e tudo para aumentar a sua concentração, torná-lo mais produtivo e melhorar a percepção de bem-estar enquanto joga. O que faz a diferença nesses produtos, são detalhes de acabamento, resistência da qualidade do plástico, LEDs com proteção, ergonomia dentre outros.

Seguem algumas imagens para ilustrar a quantidade de opções existentes, coisas que um gamer um dia pode precisar e quem sabe ele esteja comprando da sua empresa.

Nessa imagem temos um exemplo de um quarto gamer. Reparem na mesa, cadeira, LEDs, decorações, caixa de som e até mesmo o tapete, tudo pode virar uma opção de negócio.

Nessa outra imagem vemos uma loja especializada em periféricos, fone, mouse, teclado, etc. Ambiente atrativo, um adolescente, criança e até mesmo um adulto que vive no mundo gamer fica admirado com a quantidade de opções.

E não para por aí!

Existem outros empreendedores que visam aumentar a sua rentabilidade se inserido de forma sutil no mundo de jogos.

Alguns empresários do mundo das tecnologias desenvolveram plataformas de streaming, onde os criadores de conteúdo fazem suas lives (transmissões ao vivo), e que na maioria das vezes é demonstrando algum jogo eletrônico.

As pessoas que são chamados de streamers, recebem um valor acordado para uso da plataforma, e também ganham dinheiro com patrocínio, na qual não tem necessariamente relação com jogos, podendo ser uma marca de energético, chips, Fast Food, dentre outros, e acreditem, esse público cresce a cada dia mais.

Também existem os Pro Players, que são jogadores profissionais e fazem parte de times oficiais que participam de campeonatos de jogos, os eSports.

 

Uma das plataformas de streaming mais conhecidas é a Twitch, e os jogadores mais conhecidos do brasil chegam a ter de 2 mil a 20 mil pessoas simultâneas assistindo-os, dependendo da ocasião pode-se chegar a mais de 100 mil pessoas.

Pode-se afirmar que o paraíso do mundo dos jogos tem gerado muitos empregos, desde o Youtuber que joga por lazer e posta vídeos de desafios e novidades, até o Pro Player, que se dedica inteiramente ao jogo para se tornar o melhor e fazer parte dos melhores times.

Levando em consideração que a área de games é ampla, basta usar sua criatividade e ter leveza para lidar com este público e entrar no mundo dos Gamers

 

 

Blog

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você