[ editar artigo]

Franquias de sucesso: vale a pena investir?

Franquias de sucesso: vale a pena investir?

Ao optar pela abertura de um negócio, muitos empreendedores se perguntam o que é mais vantajoso: começar uma marca do zero ou investir em uma franquia. Os dois modelos têm os seus prós e contras. Abrir a própria empresa dá ao empresário liberdade para escolher o que fazer, onde se instalar, para quem vender e de que maneira. Por outro lado, ele fica responsável por tudo que envolve o empreendimento: escolha do ponto, questões burocráticas, conquista do mercado, ações de marketing, contabilidade e administração.

Por essas e outras, muitas pessoas escolhem investir em franquias – setor que cresceu 7% em 2018, só no Brasil. Nesse modelo de negócio, uma empresa com marca já consolidada (franqueador) concede a outros empreendedores (franqueados) o direito de utilizar seu nome e expertise, dando suporte tanto na instalação como na manutenção da loja. Em troca, fica com um percentual do faturamento.

Franquias de sucesso

No início de 2019, a Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgou a lista das 50 maiores franquias do Brasil em 2018. Os setores de destaque foram: alimentação, serviços educacionais, saúde, beleza e bem-estar, e moda. No topo, está O Boticário – empresa que ocupa o primeiro lugar do ranking desde 2016, quando a listagem começou a ser divulgada. Veja a lista completa:

  1. O Boticário
  2. AM PM Mini Market
  3. Mc Donald’s
  4. Cacau Show
  5. Subway
  6. Jet Oil
  7. Kumon
  8. CVC Brasil
  9. Wizard
  10. BR Mania

Vantagens das franquias

Como falamos anteriormente, ser franqueado tem os seus prós e contras. Mas será que os pontos positivos compensam os negativos? Para Cláudio Tragueta, dono de três franquias da rede de fast food Subway, sim. O empresário estudou bastante o mercado antes de investir e acredita que a infraestrutura e o suporte que os franqueadores recebem seja um quê a mais. “A arquitetura, a estruturação e o produto que você vai vender – tudo isso vem mastigado. Você não precisa ficar fazendo conta. Isso é um diferencial”, diz o franqueado da Subway.

Jan Olof, analista da empresa de investimentos Capital Research,  que fez parte da maior rede de franquias do Brasil, concorda que esse suporte seja um ponto positivo. O Boticário conta hoje com mais de 2 mil lojas espalhadas pelo País, todas com instalação pensada estrategicamente.

“O Boticário tem um mapa em um aplicativo que registra a renda média dos bairros e os volumes de transação financeira das ruas. Eles sabem qual é o melhor lugar para abrir uma loja”, afirma Jan Olof.

Desvantagens das franquias

Nem tudo são flores para os empreendedores que escolheram investir em franquias de sucesso. Algumas questões burocráticas essenciais para que a empresa funcione bem ficam sob responsabilidade do franqueado – ou seja, ele terá menos liberdade para tocar o negócio, mas não vai se livrar de dores de cabeça comuns na vida de empreendedor.

“Existe toda uma empresa por trás – você vai ter que cuidar da administração contábil, fiscal, trabalhista, se entender com o sindicato, demitir, admitir, treinar todo mundo”, explica Cláudio Tragueta, franqueado da Subway.

Já Olof não gostava do sistema de fornecimento da franquia. Como todos os produtos vendidos nas lojas são comprados do próprio O Boticário, e os demais utensílios vêm de fornecedores indicados, as chances de negociar preços melhores ficavam bem reduzidas. Além disso, a pressão para abertura de novas unidades é grande. “O franqueado paga um percentual pelas mercadorias que compra. Para a marca, é interessante que tenhamos o maior faturamento possível”, afirma o empreendedor.

Ângela Pereira, dona de duas lojas da Cacau Show, também não está satisfeita com o modelo de negócio da franquia. Para a empresária, um dos maiores problemas é que a marca exige que cada loja tenha uma quantidade mínima de diferentes produtos – o que é ruim, já que cada ponto tem o seu perfil de vendas.

“A Cacau Show cria campanhas e me manda uma quantidade absurda de um produto que eu já tenho em estoque e que não tem apelo de venda na minha unidade. Se vencer, o problema é meu”, relata.

Para evitar esse tipo de surpresa ao abrir sua loja, o ideal é conversar com outros franqueados e tentar entender o máximo de detalhes possíveis sobre o estilo do negócio em que você pretende entrar. Além disso, vale ficar atento às marcas que têm o Selo de Excelência em Franchising (SEF) – concedido pela ABF com base na opinião dos próprios franqueados. Uma pesquisa dedicada vai tornar sua vida de dono bem mais tranquila.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você