[ editar artigo]

Gestão de stakeholders: Como fazer?

Gestão de stakeholders: Como fazer?

Todos os projetos em que uma empresa trabalha precisam de informações de outras pessoas. Provavelmente, você dependerá de alguns deles para suporte, investimentos e recursos. A gestão de stakeholders é o processo de engajamento com esses públicos e de manter um bom relacionamento com eles. 

Dessa forma, sua empresa estará trabalhando com pessoas em diferentes funções e com níveis variados de influência sobre seu projeto.

Stakeholders: Via de mão dupla

Os stakeholders são públicos de interesse, grupos ou indivíduos que afetam e são significativamente afetados pelas atividades da organização: clientes, colaboradores, acionistas, fornecedores, distribuidores, imprensa, governo, comunidade etc.

A gestão eficiente dos stakeholders é uma via de mão dupla, pois é um dos aspectos mais importantes para o bom funcionamento e o alcance dos resultados objetivados pelo processo.

Um dos maiores desafios enfrentados é o estabelecimento de uma relação positiva com as partes interessadas de um projeto - sem a construção de um relacionamento saudável com todos os envolvidos, não há chances de estabelecer um ambiente favorável à concretização do projeto.

A construção da vantagem competitiva

A vantagem competitiva se refere ao conjunto das características ou atributos detidos por uma empresa que lhe conferem certa superioridade sobre os concorrentes imediatos.

A evolução dos caminhos para a construção de uma vantagem competitiva pode ser sintetizada em três visões: visão tradicional, visão baseada em recursos e visão baseada na gestão superior dos stakeholders.

Visão tradicional

A visão tradicional tem sua origem na economia, uma vez que é percorrido o processo de administração estratégica, pelo qual as organizações analisam e aprendem com seus ambientes interno e externo, estabelecendo a direção estratégica, criando táticas e implementando-as.

As etapas que compõem o processo de administração estratégica são:

  • Análise dos ambiente interno e externo: É o processo de monitorar o ambiente externo e interno para identificar pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades e elaborar uma análise SWOT.  O valor da SWOT está no fato de constituir uma ferramenta de autoavaliação para a administração;

  • Estabelecimento da diretriz da organização: Determina a missão, a visão, valores e os objetivos da organização;

  • Formulação da estratégia: Nesta etapa,  serão identificadas e selecionadas as estratégias que melhor contribuem para a organização atingir seus objetivos;

  • Implementação da estratégia:  Nesta fase, identifica-se o impacto da estratégia formulada sobre a atual estrutura da organização, bem como analisa-se a receptividade da cultura organizacional para mudanças;

  • Controle estratégico: Na última etapa ocorrem o monitoramento e avaliação do processo de administração estratégica para sua melhoria e funcionamento adequado. À medida que a estratégia é implementada, a empresa precisa acompanhar os resultados e monitorar os novos acontecimentos nos ambientes interno e externo, realizando os ajustes necessários.

Em suma, a visão tradicional visa compatibilizar o planejamento com a alta taxa de mudança que pode ocorrer no ambiente externo de uma empresa.

Visão baseada em recursos

Os recursos podem ser divididos em tangíveis e intangíveis. Os tangíveis são ativos que podem ser mensurados e quantificados. Já os intangíveis são os ativos normalmente enraizados na empresa de forma intrínseca, como sua história ou seus processos. Um olhar interno permite que as empresas gerem vantagens competitivas a partir de melhorias nos seus processos produtivos internos, mediante os programas de qualidade e reestruturação.

Visão baseada na gestão superior dos stakeholders

O foco nas organizações passou a ser criação de valor e crescimento sustentável. Esta visão representa um caminho para a construção da vantagem competitiva mediante um olhar “para fora”. Olhar para clientes, concorrentes, parceiros, imprensa e sociedade é uma forma de criar e entregar  mais valor do que a concorrência.

Stakeholders e o atual contexto da comunicação

O novo contexto social apresenta à comunicação um novo cenário que favorece a geração de contextos de interatividade e relacionamento com stakeholders específicos.

A comunicação engessada de antigamente deu espaço ao conceito de prosumer - consumidores que procuram todas as informações sobre um determinado produto ou serviço e, após uma avaliação criteriosa, compartilham a sua opinião com milhares de seguidores na internet.

O novo modelo econômico baseado na informação e no conhecimento traz à tona a afirmação de que a competitividade e a produtividade das organizações estão diretamente relacionadas à competência de produzir, processar, transmitir e utilizar informação com eficácia e efetividade.

Em resumo, essa rede informacional transforma o relacionamento em item estratégico para a sobrevivência no atual contexto, tornando fundamental o conhecimento do ambiente em que cada organização e/ou indivíduos estão imersos. Dessa forma, o contexto em que esses relacionamento estão inseridos interfere diretamente na produção e interpretação de determinado conteúdo. O movimento e a influência das relações determinam a necessidade de agilidade à comunicação. Por isso, é preciso entender os principais grupos para o negócio ou projeto no contexto em que existem e diferenciá-los de forma homogênea a fim de entender o perfil resultante de cada grupo. Com isso,  é possível criar um fluxo informacional de acordo com cada um, cultivando e desenvolvendo ligações favoráveis ao seu negócio.

 

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você