[ editar artigo]

Indústria 4.0 – você está preparado?

Indústria 4.0 – você está preparado?

As revoluções industriais ao longo dos últimos séculos foram determinantes para o avanço da nossa sociedade. Foi a partir desses eventos históricos que várias tecnologias foram sendo desenvolvidas e aperfeiçoadas. Por isso, para ficar por dentro das novas tendências tecnológicas e ter uma noção de qual será o cenário em um futuro não tão distante, então é preciso estar atento às mudanças na indústria. Atualmente está em curso a chamada quarta revolução industrial, também conhecida como indústria 4.0.

A indústria 4.0 é nada menos que a síntese de todo o avanço tecnológico pelo qual já passamos. Com isso, estamos falando de como foi possível passar pelas grandes e barulhentas máquinas a vapor da primeira revolução industrial até chegarmos a aparelhos eletrônicos portáteis como smartpones, tablets, notebooks e etc.

Para entender esse processo e o que nos espera é preciso entender o conceito de indústria 4.0 e o que ela engloba. Mas antes, vamos conhecer um pouco mais das indústrias 1.0, 2.0 e 3.0 ou Primeira Revolução Industrial, Segunda Revolução Industrial e Terceira Revolução Industrial, respectivamente.

A indústria 1.0 teve o seu início na Inglaterra ainda no século XVIII e durou até o ano de 1850, meados do século 19. A principal mudança observada nesse período foi justamente a substituição do sistema de manufatura para um o novo sistema fabril. Tal mudança foi possível graças às invenções das máquinas a vapor e de fiar além do tear mecânico.

Essas invenções levaram a mecanização dos processos. Com muitas descobertas e invenções de máquinas, esse período da indústria 1.0 trouxe tecnologias que permitiram a expansão das indústrias, progresso técnico e científico além de grande melhoria da linha de produção.

Dentre as principais consequências dessa primeira revolução, podemos destacar: troca do trabalho manual pelo industrial com vários processos mecanizados, aumento da produção, otimização da linha de produção, expansão do mercado consumidor e aprofundamento do comércio do internacional entre os países.

A partir de 1850 até o ano de 1950 tivemos o período da Segunda Revolução Industrial, ou indústria 2.0. Uma de suas principais características foi a consolidação do método e do progresso científico e tecnológico com destaque para países da Europa Ocidental, principalmente Alemanha e França. Algumas das descobertas que impulsionaram o período: criação dos meios de comunicação como telefone, telégrafo, cinema, televisão e rádio; invenção da lâmpada incandescente; avanços importantes na medicina e na química que propiciaram a descoberta das vacinas e antibióticos.

Outra grande característica da indústria 2.0 foi o avanço quanto à utilização do aço em vários processos da indústria bem como na construção de novas máquinas, fábricas, pontes e obras de infraestrutura em geral. Como exemplo, podemos citar a construção da malha ferroviária para facilitar o transporte de mercadorias, matéria-prima e até mesmo como meio de locomoção para as pessoas. Além disso, o avião e o automóvel foram desenvolvidos nesse período.

Outro elemento importante nesta fase da indústria mundial foi o petróleo. A partir da nova forma de utilização dos recursos energéticos, o petróleo passou a ser combustível além de ser utilizado para o desenvolvimento de derivados importantes como o plástico, por exemplo.

Também merecem bastante destaque o Fordismo e o Taylorismo. O Fordismo é um modelo de produção em massa com base na otimização da linha de produção idealizada por Henry Ford. Já o Taylorismo, idealizado por Frederick Taylor, trata-se de um sistema de gestão do trabalho onde o principal objetivo é extrair o máximo de resultados da mão de obra.

A indústria 3.0, por sua vez, começa a surgir a partir de meados de 1970 com o surgimento dos primeiros sistemas de automação. Com isso, temos como principal marco a montagem automatizada para fins de aplicação na indústria, sendo que todo esse processo de aplicação se dá por meio de máquinas de inserção de componentes, computadores, centro de usinagem, dentre outros. Dessa forma, trabalhos que antes eram realizados por pessoas passam a ser feitos por máquinas.

O período em si é bastante marcado por grandes avanços em áreas da ciência, tecnologia e informática com principal destaque para o desenvolvimento da internet como conhecemos hoje, computadores, robótica, eletrônica, softwares e hardwares além dos dispositivos móveis aos quais temos acesso.

Indústria 4.0: histórico, mudanças, impactos e benefícios

O termo indústria 4.0, a Quarta Revolução Industrial, é bastante recente, haja vista a primeira menção a este termo ter surgido em 2011, em uma famosa feira de tecnologia na Alemanha, mais precisamente em Hannover. A apresentação do conceito se deu por meio de centros de pesquisas alemães e empresas de tecnologias, universidades e o próprio governo alemão. O principal objetivo é propor mudanças um tanto radicais no modelo industrial atual.

A principal característica da indústria 4.0 é a substituição de processos limitados da atual indústria. Sendo assim, se propõe efetuar uma descentralização do controle dos processos a partir de dispositivos inteligentes interconectados. Tais dispositivos passam a estar presentes em toda a cadeia de produção além da parte logística das fábricas, por exemplo. Em linhas gerais a expectativa aqui é que a indústria 4.0 proporcione ao setor industrial os mesmos avanços e impactos que as transações bancárias, o sistema bancário em si, o comércio e os meios de comunicação tiveram por meio da internet.

Em relação aos benefícios esperados com a implementação da indústria 4.0, saiba que os cenários são bastante interessantes. Um dos principais destaques está ligado a virtualização da indústria. Isso mesmo, a expectativa é que tudo dentro de uma fábrica, por exemplo, possa ser controlado e monitorado por uma pessoa com um smartphone ou tablete na mão ou até mesmo por meio de uma inteligência artificial.

Além disso, também não podemos deixar de destacar a capacidade de operação em tempo integral, um dos pontos fundamentais para o aumento da produtividade. Por meio de dispositivos inteligentes e conectados entre si, que deverão fazer parte de toda e qualquer etapa da produção, será possível fazer a análise de dados em tempo real, o que resultará no gerenciamento mais eficiente e capaz de se antecipar a possíveis problemas.

Outro benefício fundamental que irá surgir com a indústria 4.0 é a descentralização de processos. Esse avanço será possível graças a uma das tecnologias mais atuais, como a inteligência artificial, também conhecida como IA - uma área da ciência da computação cujo principal objetivo é o desenvolvimento de dispositivos virtuais com a capacidade humana de raciocinar, tomar decisões, resolver problemas e etc. Tal tecnologia está integrada a indústria 4.0, sendo que o principal objetivo aqui é a otimização do monitoramento de cada etapa e área da indústria. Dessa forma, não será mais necessário aguardar o fim da linha de produção para encontrar problemas, soluções, traçar metas e fazer planejamento, tudo será feito em tempo real.

Outra palavra chave quando falamos de indústria 4.0 é modularidade. Uma das formas de otimizar todo o modelo industrial é por meio da capacidade de modularizar as máquinas bem como os equipamentos que envolvem as etapas de produção. A flexibilização dos processos tornará tudo mais fácil, pois uma vez que os diferentes módulos de produção poderão ser acoplados e desacoplados de acordo com a necessidade de demanda, então a linha de produção poderá sofrer alterações em tempo real para melhor atender uma demanda.

Além dos benefícios também podemos destacar os vários impactos que os estágios finais da indústria 4.0 trarão para a nossa sociedade. Além de toda a revolução tecnológica que envolve esse processo, desde a criação de novas máquinas, aperfeiçoamento da inteligência artificial e novos softwares também é grande a expectativa quando o assunto é o mercado de trabalho bem como mão de obra qualificada.

Dessa forma, já é possível adiantar que atividades que envolvem demasiado esforço manual e repetitivo devem dar lugar, de forma gradual, a mão de obra automatizada. Ou seja, toda a tarefa repetitiva e bastante manual passa a ficar na conta de robôs e máquinas especializadas. Sendo assim, haverá uma mudança de paradigma nas indústrias de todos os setores, pois o profissional deverá ter um papel mais estratégico e técnico dentro da empresa. Com isso, possuir uma sólida formação técnica não será apenas um diferencial, mas sim uma condição necessária para que o trabalhador desempenhe suas funções na indústria.

De fato algumas tarefas e exigências deixarão de existir com o advento de mão de obra automatizada além da utilização de sistemas inteligentes. No entanto, novas tarefas, novos cargos e novas demandas no mercado de trabalho também irão surgir a partir da chegada das tecnologias que englobam a indústria 4.0. Os principais impactos devem ser mesmo nas áreas de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para suprir as demandas das indústrias.

Muitos profissionais da área e especialistas já apontam a necessidade de conhecimento técnico e formação multidisciplinar para aqueles que pretendem fazer uma carreira de sucesso em um cenário de quarta revolução industrial. Quanto mais conhecimento de tecnologias diferentes a sua formação abranger maiores serão as suas chances e credenciais para ocupar cargos de destaque nesse cenário.

Além disso, uma das consequências da indústria 4.0 certamente será o surgimento de novos modelos de negócios. Um exemplo simples é a customização prévia, a cargo dos consumidores, de produtos em geral. Vale destacar que esta já é uma tática adotada pelas indústrias e empresas em geral, pois os custos com processos de manufatura levam a busca de alternativas para diminuir a conta na hora da produção.

Com a possibilidade de inserir máquinas e tecnologia de inteligência artificial durante o processo as opções de customizações se tornarão cada vez mais parte do processo. As tecnologias da indústria 4.0 permitem com que as máquinas e sistemas inteligentes aumentem a capacidade de personalização ainda na linha de produção, em tempo real. Isso também trará um novo tipo de relacionado entre empresa e consumidor.

Perspectivas de crescimento da indústria 4.0 no Brasil

O que parece ser um conceito abstrato e parte de um futuro distante é, na verdade, uma realidade. Por meio de um relatório o Fórum Econômico Mundial já destacou que 25 países em todo o mundo já conseguem colher os frutos da indústria 4.0, com destaque para países da Europa Ocidental e do Sul da Ásia. No Brasil, no entanto, isso ainda não é uma realidade.

Apesar das expectativas serem boas, algumas mudanças estruturais devem ser feitas para a indústria 4.0 comece a despontar em território brasileiro. O investimento em ciência e tecnologia do século 21 não é dos grandes, as empresas não são estimuladas a utilizarem as tecnologias da indústria 4.0. Dessa forma, é necessário reduzir estruturas legais e normativas complexas que travam os investimentos das indústrias, fomentar e estimular o investimento em inteligência artificial, sistemas inteligentes, sistemas automatizados e etc, mudar o sistema de políticas públicas para elevar o nível do sistema educacional e inseri-lo no cenário da indústria 4.0. Essas são apenas algumas das medidas que podem mudar as perspectivas de crescimento da indústria 4.0 no Brasil.

Para se ter uma ideia do atual cenário, segundo a Agência Brasil de Desenvolvimento Industrial (ABDI), apenas 2% das empresas brasileiras já adotam tecnologias da indústria 4.0 como parte fundamental dos seus processos. Em países onde a indústria 4.0 não apenas é uma realidade, mas uma alternativa para o futuro, esse número é de 15% como é o caso de Estados Unidos, Alemanha e Israel.

Mas nem tudo são notícias ruins, pois números de 2018 já apontam que as empresas brasileiras vão buscar as tecnologias da indústria 4.0 de modo a se modernizar e automatizar os seus processos.

Em recente estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) chegou-se a conclusão que a indústria brasileira buscou modernização para aumentar sua eficiência quanto à produção além de melhorar a gestão de negócios. A pesquisa destaca ainda que, entre as empresas que já usaram tecnologias digitais, 90% delas tinham o objetivo de atingir o processo de produção bem como gestão. Já quando o assunto é o desenvolvimento de produto, 58% das empresas já utilizaram as tecnologias digitais para tal fim. Além disso, 33% das empresas apostaram nas tecnologias digitais para desenvolver novos produtos e modelos de negócio.

Também merece destaque a porcentagem de empresas que utilizam a automação digital com sensores para controle de processos: 48% das empresas que participam da pesquisa afirmam utilizar tal tecnologia em 2018. Esse mesmo número era de 40% em 2016. Quando o assunto são os sistemas integrados de engenharia voltados ao desenvolvimento e manufatura de produto também há crescimento: 37% das empresas utilizam essa tecnologia em 2018 contra 27% em 2016.

Além disso, uma pesquisada Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) também revela que a perspectiva de crescimento da indústria 4.0 no Brasil é interessante. Nada menos que 55% das empresas brasileiras já optaram pelo processo de implementação ou estão em planejamento para desenvolver ações que permitem a inclusão no cenário da indústria 4.0 como processo fundamental para a empresa.

A mesma pesquisa também revela que 90% dos negócios brasileiros veem a inovação tecnológica como a grande oportunidade para aumentar a produtividade. Os segmentos com maior potencial para essa mudança são: produção, 55%; controle da produção, 50%; rastreabilidade, 38%; controle de qualidade, 32%; planejamento, 31%; além de engenharia de desenvolvimento de novos produtos com 34%.

Qual o futuro dos empregos na indústria 4.0?

Devido à implementação das tecnologias provenientes da indústria 4.0 é inevitável que alguns trabalhos que ainda são essenciais hoje em dia deixem de existir. Além disso, também haverá uma mudança na formação dos profissionais, haja vista os novos processos automatizados, a necessidade de lidar com inteligência artificial, computação na nuvem, big data, internet das coisas, dentre outros exemplos de tecnologias vinculadas à indústria 4.0.

Um exemplo importante está relacionado aos empregos na área de gestão, por exemplo. Essa será uma área bastante impactada, pois a chegada da inteligência artificial eliminará a gestão intermediária quanto à tomada de decisões. Neste caso, a máquina poderá tomar a melhor decisão por conta própria ou até mesmo fazer uma série de análises e disponibilizar vários cenários formatados com antecipação para que o gestor apenas faça a escolha final. Por isso, os profissionais dessa área deverão aprender a lidar com as máquinas.

A parte de manutenção nas indústrias também deve sofrer grande mudança com a inteligência artificial. Sendo assim, o resultado final de um processo sofrerá grande impacto, pois a inteligência artificial poderá determinar por si só quando um processo deve ser parado ou não, quando ele deve ser customizado. Tudo isso por meio da integração da inteligência artificial responsável com as máquinas inteligentes da indústria 4.0.

Mas não pense que a chegada da indústria 4.0 será acompanhada de desemprego em massa. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) mostra por meio de um estudo recente que o avanço da indústria 4.0 deve proporcionar, pelo menos, a criação de 30 novas profissões ao longo dos próximos anos. Os segmentos beneficiados serão: alimentos e bebidas, automotivo, construção civil, máquinas e ferramentas, têxtil além de tecnologia da informação e comunicação. Dentre essas novas profissões, podemos destacar:

Alimentos e Bebidas:

  • Técnico em impressão de alimentos;
  • Especialista em aplicações de TIC para rastreabilidade de alimentos;
  • Especialista em aplicações de embalagens para alimentos.

Tecnologia da Informação e Comunicação:

  • Analista de IoT (internet das coisas);
  • Analista de segurança e defesa digital;
  • Especialista em big data;
  • Engenheiro de cibersegurança;
  • Engenheiro de softwares.

Construção Civil:

  • Integrador de sistema de automação predial;
  • Instalador de sistema de automação predial;
  • Gestor de logística de canteiro de obras;
  • Técnico de construção seca;
  • Técnico em automação predial.

Máquinas e Ferramentas:

  • Projetista para tecnologias 3D;
  • Programador de ferramentas;
  • Operador de High Speed Machine;
  • Técnico de manutenção em automação.

Como implementar e trazer benefícios para sua empresa?

A implementação de tais tecnologias, que a princípio pode parecer algo difícil, pode ser feita aos poucos e trará benefícios para o seu negócio. Uma das formas de implementação é por meio da interoperabilidade, ou seja, dispositivos, máquinas, pessoas e sensores devem estar conectados. A interatividade pode ser garantida por meio da internet das coisas e da internet das pessoas.

A transparência informacional também será importante no seu processo de mudança. Os seus sistemas informacionais devem ter a capacidade de possuir uma copia virtual do mundo físico, algo possível por meio de sensores digitais em equipamentos, por exemplo.

A tomada de decisões com o auxílio de sistemas informatizados também deve se tornar uma realidade na sua empresa. Dessa forma, seus funcionários terão a ajuda de inteligência artificial para tomar as melhores decisões. Por exemplo, podemos citar o caso em que um supervisor deve decidir se a linha de produção deve ser parada ou não para que uma manutenção seja feita ou mudança na linha de produção. Com uma inteligência artificial apresentando vários cenários e consequências da tomada de decisão o supervisor poderá chegar a melhor alternativa.

Descentralizar as decisões a serem tomadas também é uma boa dica rumo à indústria 4.0. Sendo assim, sistemas digitais devem possuir cada vez mais autonomia tanto para realizar suas tarefas pré-determinadas, como para tomar decisões. Em casos extraordinários ou quando surgir um conflito de objetivos ou finalidades, então aquela decisão deve ser repassada para os colaboradores.

Como já foi destacado aqui, medidas como essas poderão trazer impactos positivos nos custos da sua empresa. Além disso, inserir essas tecnologias na sua empresa também trará muita inovação e diferencial em relação aos seus concorrentes. Se antecipar aos processos de modernização fará com que sua empresa tenha enorme sucesso na era da indústria 4.0.

Portanto, é possível concluir, com base nos dados e informações aqui apresentados, que a indústria 4.0 não é um conceito abstrato ou parte de um futuro distante, mas sim a própria realidade que nos cerca. Assim como nas demais revoluções industriais tivemos mudanças na relação trabalhador e trabalho, mudanças de paradigmas na sociedade, novas tecnologias, não será diferente na indústria 4.0.

Então, é preciso se adaptar às perspectivas de futuro e manter-se atualizado quanto às tendências tecnológicas que nos acompanham, pois o futuro de todas as empresas que almejam sucesso passa justamente pela adaptação as novas tecnologias e como usá-las para melhorar seus serviços, suprir as demandas dos seus clientes, diminuir custos e se manter competitiva.

Além de encontrar vários textos completos sobre os mais diversos temas que envolvem o empreendedorismo, você também pode comentar aqui embaixo e interagir a respeito do tema desenvolvido neste texto. O que você achou das perspectivas sobre a indústria 4.0 e como ele deve mudar a nossa sociedade em um futuro bastante próximo?

Quer ficar por dentro de outros assuntos? Continue navegando pelo Clube Sebrae.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você