[ editar artigo]

Inteligência emocional para empreendedores

Inteligência emocional para empreendedores

Já parou para pensar qual a relação da Inteligência Emocional - IE com as Características do Comportamento Empreendedor - CCEs de sucesso? Se não fez isso ainda, vou lhe ajudar e mostrar o quanto esta relação é importante para o Empreendedor e para o Sucesso do Negócio.

Há muito tempo olhamos para as emoções como “vilãs” no ambiente de trabalho. O que é profissional não se mistura com o pessoal, eles disseram. No entanto, estudos vem nos mostrando que isso é totalmente falacioso.

As emoções usadas de forma estratégica auxiliam empreendedores a alcançar resultados mais eficientes e com mais coerência com os seus negócios e o seu perfil. 

Conheça a seguir quais são os aspectos da Inteligência Emocional que favorecem ao desenvolvimento de cada comportamento de Empreendedores de Sucesso, sendo que estes comportamentos têm por base a metodologia do Empretec.

Antes de você continuar a leitura, é importante frisar que as emoções relacionadas a inteligência emocional devem ser entendidas, reconhecidas e acolhidas por você, além de identificar qual foi o gatilho que desencadeou tal emoção.

A IE é um exercício diário que advém do desenvolvimento e da melhoria contínua e, mesmo assim, você poderá errar as vezes, mas, em contrapartida, aprenderá com estes erros e vai aprimorar o gerenciamento das emoções de acordo com o contexto no qual estiver.

 

Inteligência Emocional x Características do Comportamento Empreendedor

autoconsciência, pilar essencial no desenvolvimento da Inteligência Emocional, é a base para você adquirir a CCE – Independência e Autoconfiança. Ter consciência das suas emoções permite que você crie ferramentas para gerenciá-las e usá-las de forma estratégica. Além disso, o autoconhecimento também é ponto chave para reconhecer suas qualidades e pontos de desenvolvimento permitindo que você tome decisões mais conscientes e com mais confiança e independência. 

Investir na Inteligência Emocional permite que você possa ressignificar a tristeza, potencializando a CCE - Persistência, visto que a jornada empreendedora é repleta de desafios, com momentos de altos e baixos.   Sendo assim, é importante ressignificar os tão temidos fracassos como uma oportunidade de aprender e ajustar a rota para alcançar seus objetivos.

gerenciamento do medo e da ansiedade  é necessário para adquirir a CCE - Correr Riscos Calculados. Não devemos negligenciar todos os sentimentos que surgem quando temos medo e ansiedade, eles nos mostram onde precisamos investir para nos desenvolver e nos auxilia a respeitar nosso tempo e nos ajuda a desenvolver a competência de correr riscos calculados. Portanto, é essencial aceitar que empreender é arriscado, mas que o planejamento e a visão estratégica com foco nas oportunidades reduzem os riscos para agir. 

A alegria te conecta ao que você realmente deseja. Ter consciência dos objetivos o auxiliará na CCE – Estabelecimento de Metas. Aqui vale a refletir sobre a frase: “para quem não sabe para onde vai qualquer caminho serve”. Quanto mais você se conhece e entende o que realmente quer, mais fácil fica para estabelecer metas claras e relevantes para você e sua empresa. 

Gerenciar as emoções propicia segurança e calma trazendo facilidade para desenvolver a CCE – Planejamento e Monitoramento Sistemáticos. As metas não farão sentido se você não planejar como vai alcançá-las, além disso, é necessário também criar e monitorar indicadores que meçam como está a execução do planejamento e ajustá-lo quando necessário. Com segurança e calma, você terá mais clareza de se reposicionar e tomar novas decisões. 

busca da satisfação é a base para a CCE – Exigência de Qualidade e Eficiência, tendo aqui a busca não somente da própria satisfação, mas também de clientes, colaboradores e parceiros. A inteligência emocional te ajudará aplicar sua energia nas coisas que realmente importam para você e para o seu negócio. 

A autorresponsabilidade está ligada intimamente à CCE – Comprometimento, tendo como atitude prometer somente aquilo que pode entregar, cumprir sempre com suas promessas e, quando não for possível, ser sincero e minimizar ao máximo os prejuízos. Outro ponto importante é saber diferenciar o que está dentro ou fora da sua zona de influência, além de estar apto a distinguir aquilo que é sua responsabilidade e o que é do outro.

A automotivação é um dos pilares da Inteligência Emocional e a base para a CCE - Busca de Oportunidade e Iniciativa. Um empreendedor com essas competências trabalhadas tem uma boa visão do contexto no qual está inserido, conseguindo acessar boas oportunidades e se mantendo firme para conseguir gerar resultados. É importante acolher todos os sentimentos e emoções que te desmotivam, gerenciá-los e usar essa força para chegar onde se pretende. 

Uma pessoa motivada mantém seu interesse sempre alto e ele é o primeiro passo para o desenvolvimento da CCE – Busca de Informações. O empreendedor é inquieto por natureza, gosta de aprender e inovar, tendo interesse principalmente pelas pessoas, afinal, seus clientes, fornecedores, colaboradores e parceiros são pessoas, se você não entender sobre elas jamais entenderá sobre negócios. 

A empatia e as habilidades sociais são essenciais para o desenvolvimento e para a aplicação da CCE – Persuasão e Rede de Contatos, no sentido de:

  • Realmente “calçar o sapato do outro”;
  • Praticar a comunicação não violenta;
  • Observar a linguagem corporal;
  • Ter a consciência que toda e qualquer negociação precisa ser do tipo ganha-ganha;
  • Ser a melhor versão de você mesmo para si e para o mundo sem comparações, num processo de autodesenvolvimento e aprimoramento contínuo.

Bom, espero ter convencido você que Inteligência Emocional e as Características do Comportamento Empreendedor têm tudo a ver, mas, talvez, você esteja pensando: “...o que faço para me desenvolver em ambos?”.

Mergulhe na jornada do autoconhecimento, procure estudar e entender melhor sobre pessoas, em paralelo busque profissionalizar a gestão do seu negócio e, por fim, só não vale ficar parado, o mercado está cada vez dinâmico e desafiador.

Olhe para o mundo das possibilidades, aprenda, reaprenda e evolua sempre.

Agradecimento especial a Raissa Gomes Kill , Analista de Negócios Sênior do Sebrae-SP que contribuiu muito para que este artigo tivesse este resultado.

 

Blog

Comunidade Sebrae
Rafael Souza
Rafael Souza Seguir

Consultor de Negócios e Palestrante do Sebrae-SP, Empreteco, Agente Local de Inovação, formado em TI, especialista em Gestão de Pessoas e em Gestão Estratégica de Negócios. Apaixonado por empreendedorismo e admirador de empreendedores!

Ler conteúdo completo
Indicados para você