[ editar artigo]

Não meça esforços para aparecer nas mídias sociais. Mas cuidado com os erros!

Não meça esforços para aparecer nas mídias sociais. Mas cuidado com os erros!

As mídias sociais se consolidaram como um aspecto normal não somente na vida particular das pessoas, mas também como parte do planejamento das empresas e profissionais liberais, dado seu poder de influência sobre o comportamento de compra dos consumidores, conveniência, praticidade e tantos outros benefícios. Absolutamente devem ser deixadas de fora das estratégias de comunicação, vendas ou marketing de uma organização ou profissional.

Porém, por se tratar ainda de um assunto relativamente novo dentro do contexto do mundo dos negócios, muitas empresas e profissionais calibram mal seu planejamento e cometem erros, de todos os tamanhos e naturezas, quando decidem mostrar sua marca em uma mídia social.

O objetivo de nosso artigo é mencionar quais são os erros mais frequentes e como as empresas e profissionais devem se organizar para evitar deslizes que evitem que sua exposição nas redes sociais lhes prejudique ao invés de lhes trazer os benefícios esperados.

Os erros mais comuns:

1 - Falta de planejamento

O planejamento é necessário para que qualquer ideia possa sair do papel, ganhar forma e entrar em ação visando atingir os resultados esperados. E, com as mídias sociais não pode, sequer, ser diferente. Infelizmente, há um número bastante considerável de empresas e profissionais que investem nas mídias sociais com a crença de que basta a criação de um perfil, a publicação de algumas coisas de vez em quando e o recebimento de algumas curtidas e comentários. Esse é um erro crasso e monumental. Ferramenta nova, filosofia antiga e tradicional. Planeje seus objetivos quando a sua incursão em uma mídia social.

Defina um orçamento para investir. O dinheiro continua a ser real e bem difícil de ganhar, então, dentro dos investimentos em seu composto de comunicação, seja claro quanto dele vai para redes sociais. Contrato um/a especialista para cuidar dos assuntos. Elas cresceram tanto e se tornaram tão importantes que já existem cursos de Pós-Graduação em Gestão de Redes Sociais.

2 - Perfil incompleto

Muitas empresas e profissionais acreditam que o perfil em uma rede social é o suficiente para alcançar objetivos mais profundos. A partir do momento em que uma marca se expõe no mundo virtual, a mesma se torna um portal para que as pessoas interessadas comecem a conhecer a empresa e a própria marca e isso quer dizer a necessidade de informações fidedignas, atualizadas e completas.

É importante ter todos os dados cadastrais, o endereço na Web, e-mail, telefones, quais são os mercados na qual atua, os produtos, enfim, todas aquelas informações que a pessoa que visita o seu perfil e se interessa possa ter para começar a desenvolver um possível interesse pela sua marca e, entrar em contato.

Escolha boas imagens, claras e bem definidas para o perfil. Redija de forma correta, em termos tanto de ortografia como de acentuação e pontuação. E, muito importante: nunca minta sobre nenhuma informação. O efeito disso nas redes sociais pode gerar campanhas virais que vão, no mínimo, desmoralizar a página e a marca.

3 - O complexo da “onipresença” na rede

Diz respeito a um pensamento ainda bastante comum entre muitos de que o importante e certo a fazer é estar presente no maior número possível de redes sociais existentes. Ledo engano. Facebook Twitter, Instagram, LinkedIn, cada uma delas possui um público específico e suas próprias particularidades. Não levá-las em consideração é um movimento fadado ao fracasso.

É crucial compreender o perfil das redes sociais nas quais você pretende investir e quais são os objetivos definidos para com tal investimento. No mundo virtual os princípios de comunicação não mudam quando comparados com os do mundo “real”. Se você investir em um canal de TV que tenha como audiência um público com um perfil que não vá consumir seu produto, isso significa dinheiro jogado fora. O mesmo vale para as redes sociais.

Por exemplo, o LinkedIn é uma rede profissional que é propícia para o anúncio, por exemplo, de cursos, treinamentos e seminários. Será que os mesmos produtos surtirão efeito se forem anunciados, por exemplo, no Par Perfeito, uma rede social de relacionamentos?

4 - Não responder aos comentários

Criar um perfil institucional, fazer postagens aleatórias e observar as curtidas não é o suficiente. É importante que a pessoa, ou equipe, responsável pela página ou páginas seja dedicada a observar todos, e quando digo todos quero dizer literalmente todos, os comentários que sejam feitos por lá. Inclusive aqueles de natureza negativa.

Apesar do “ego” profissional poder ser ferido, não se deve receber um comentário assim, às vezes até grosseiro, como algo pessoal. É importante que a empresa o responda, demonstrando não somente à pessoa que o fez como também a todos os demais fãs de sua página que existem ações concretas e efetivas por parte da empresa no sentido de criar e manter relacionamentos duradouros para com seu público.

Além do mais, a reclamação deve ser entendida e gerida como uma fonte de informações que pode auxiliar a empresa a fazer correções ou melhorias em seus produtos ou serviços, bem como na própria página.

5 - Não analisar as métricas

Muitas vezes a preocupação e o pensamento sobre o que define o sucesso da página estão centrados sobre o número de fãs e a quantidade de comentários, desprezando outras métricas que, de fato, demonstram à empresa ou profissional qual e como vem sendo o desempenho da página.

Métricas como taxa de conversão, custo por clique, visitas no site, bem como tantas outras demonstram não somente se suas ações estão sendo positivas, ou seja, atraindo , mantendo e movimentando o cliente em direção a ações mais efetivas quanto a sua marca, mas se o seu investimento está sendo bem feito. Inclusive, uma ótima métrica é o ROI (Retorno Operacional sobre o Investimento). Sem contar que algumas redes sociais, como o Facebook, por exemplo, oferecem ferramentas para que o desempenho da página seja analisado de forma bastante objetiva.

6 - Uso inadequado de linguagem

Que as redes sociais são um terreno extremamente democrático, todos nós já sabemos. Contudo isso, em absoluto, não significa um passe livre para uma linguagem completamente informal e sem preocupações.

Como afirmamos anteriormente, seu público tem suas características próprias e expectativas a respeito de como você irá se dirigir a ele. Todo o conteúdo, independente de sua natureza, deve refletir o profissionalismo da empresa e seu comprometimento em atender àquele público da maneira mais eficiente possível.

E, independentemente da audiência, a linguagem desenvolvida para tratar com sua “persona”, ou seja, seu público-alvo tem que ser educada, gentil, prestativa e compreensiva. Evite memes e modismos por acreditar que eles sejam “legais” e possam atrair mais interessados para a página e, consequentemente, para o produto. O tiro pode sair pela culatra. Pense que a identidade da empresa não vai mudar simplesmente pelo fato dela agora estar presente nas redes sociais.

7 - Não postar conteúdo relevante

Engajamento é a palavra-chave para uma empresa ou profissional liberal que deseja sucesso nas redes sociais. Um perfil completo é importante, mas não o suficiente para ser bem sucedido. Seu público espera deparar-se com conteúdos com os quais ele não está acostumado a ver na TV, jornais ou revistas.

Invista em hashtags instigantes que despertem a atenção e trabalhe bastante sua linha editorial para que assuntos importantes façam com que o fã consiga movimentar-se das etapas de topo e meio de funil, nas quais desconhece o problema e se inteira a respeito dele respectivamente, para a etapa de fundo do funil, na qual ele opta pela compra.

Não “abandone” sua página. Poste diariamente, respeitando os horários de maior visita de seus fãs à página. Inclua muitos vídeos, pois é sabido que esse conteúdo prende muito mais a atenção da audiência do que o conteúdo textual. E trabalhe, acima de tudo com profissionais. Textos bem escritos e vídeos bem produzidos fazem, sim, muita diferença.

Nada de erros nas redes sociais! Gostou do artigo? Não se esqueça de fazer um comentário!

Comunidade Sebrae
Mário José Martins
Mário José Martins Seguir

Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU-MG) e tenho um MBA Executivo em Marketing pela FGV. Tenho 25 anos de experiência profissional divididos em três campos de atividades: Educação, Serviços Linguísticos e Marketing.

Ler matéria completa
Indicados para você