[ editar artigo]

O perfil profissional 4.0

O perfil profissional 4.0

Não é novidade que estamos vivendo a 4ª revolução industrial, impulsionada pela transformação da era 4.0, a era digital, em que a tecnologia toma conta, e tudo, ou quase tudo, a nossa volta é robotizado e automatizado. Assim, a nossa forma de viver, nos relacionar, nos comunicar e trabalhar se transforma e então passamos a nos identificar como cidadãos 4.0.

Diante desse cenário, inevitavelmente o mercado de trabalho é afetado. Surgem novas ferramentas e tecnologias que, aliadas ao avanço da Inteligência Artificial e da robotização, tomam conta das atividades rotineiras, repetitivas e que usam dados intensamente, fazendo funções e trabalhos perderem força ou até mesmo desaparecerem. Assim, novos trabalhos surgem e um novo perfil de profissional também. Chamamos este de profissional 4.0, que fará parte de um mercado altamente competitivo e com um alto grau de exigência. Milhões de pessoas deixarão de conquistar um trabalho por falta de atualização e adaptação à nova realidade de mercado, e tenho certeza de que você não quer fazer parte dessa estatística. Assim, as hard skills, competências técnicas, já estão perdendo força ao analisar a competitividade de um profissional, pois estas são facilmente ensinadas e alcançadas. Já as soft skills protagonizam a análise do perfil profissional e acabam sendo o fator de contratação ou demissão.

Mas qual o perfil profissional que devo ter para sobreviver ao mercado 4.0? Primeiro você não deverá mais procurar um emprego e sim um trabalho. Os profissionais nômades, ou seja, que não querem mais um emprego em período integral têm sido tendência. Assim, em um futuro próximo, o termo empregabilidade poderá ser substituído por trabalhabilidade, em que o profissional será tomado por diversas atividades em tempos e lugares diferentes. Com a robotização de processos e atividades, as habilidades comportamentais, meramente humanas, nunca foram tão importantes. As soft skills, tais como atitude empreendedora, criatividade, comunicação, inteligência emocional e resolução de problemas complexos, tornam-se cada vez mais um diferencial no mercado. Mas não podemos deixar de lado a destreza digital: o profissional deve inserir a tecnologia no seu dia a dia produtivo. Aliando às soft skills a destreza digital, a disposição para adquirir diferentes hard skills e propósito, bem como a cultura da empresa, você poderá se tornar um profissional de alta performance e destaque.

E é claro que a 4ª revolução digital e a sua influência no mercado de trabalho geram uma mudança de atitude das empresas também. Cada vez mais, a boa gestão de pessoas será necessária no ambiente de trabalho, para canalizar, direcionar e evoluir as características pessoais e os valores de seus profissionais, formando equipes de alto desempenho. A utilização da Inteligência Artificial nos processos seletivos é cada vez mais frequente, com o objetivo de identificar de forma mais assertiva as soft skills e encontrar profissionais com propósito e comportamentos alinhados com a cultura da empresa, o tal do fit cultural.

Se você deseja ser um profissional de alta performance na era digital, esteja disposto a aprender e desaprender novas e velhas hard skills e mantenha o foco nas suas soft skills, potencializando aquelas que você tem de melhor e desenvolvendo aquelas que você considera uma fraqueza.

Blog

Comunidade Sebrae
Elaine Pacheco
Elaine Pacheco Seguir

Consultora de carreira, Coordenadora e Professora Universitária. Atuação de mais de 10 anos nas áreas de Recursos Humanos e Empreendedorismo. Formada em Administração, Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas e Mestre em Educação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você