[ editar artigo]

O2O: você sabe como aplicar essa estratégia em sua empresa?

O2O: você sabe como aplicar essa estratégia em sua empresa?

Dentre as várias siglas existentes para indicar estratégias de negócios, uma relativamente nova no mercado é a O2O. Você já ouviu falar? Não? Fique tranquilo! Neste artigo abordaremos esta estratégia de negócio que vem apresentando grande crescimento nos últimos anos.

Originado e difundido na China, o conceito de O2O significa Online-to-Offline e diz respeito ao modelo de negociação em que os serviços e produtos utilizados pelos consumidores no mundo físico (offline) são adquiridos por meio da internet (online).

No Brasil, as empresas que atuam no setor apresentaram um crescimento superior a 30% entre os anos de 2015 e 2016 (de acordo com a Associação Brasileira de O2O). Na China esse aumento alcançou a marca de 200% nos últimos anos, trazendo à tona o potencial de ascensão desse modelo.

Muitas plataformas de e-commerce (comércio online) são exemplos de negócios O2O - Online-to-Offline. O consumidor escolhe e paga o produto virtualmente, mas recebe o item de forma física. No Brasil, o e-commerce vem apresentando crescimento constante desde o ano de 2011, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM).

Uma das empresas pioneiras a investir nesse modelo aqui no Brasil foi a "Peixe Urbano". Atualmente, ela oferece um modelo de negócios de compras coletivas a partir de uma Plataforma de Ofertas Locais - em que milhares de promoções do mundo offline são divulgadas diariamente, sendo adquiridas no mundo online e usufruídas presencialmente.

Utilizando-se de ferramentas do mundo digital, como a geolocalização, a Peixe Urbano informa que mais de 50% dos cupons usados diariamente foram adquiridos no próprio dia da utilização.

Os apps disponíveis para smartphones, que hoje em dia fazem parte da rotina de grande parte da população, também são tipos práticos de negócios O2O. Aplicativos de transportes, de realização de pedidos e encomendas em restaurantes e lanchonetes, de agendamento de horários e serviços em salões de beleza ou em petshops são alguns dos que podemos citar como exemplo. Esses programas, além de viabilizarem grandes facilidades com relação às formas de pagamento, trazem também conveniência e agilidade, gerando experiências de compras completas e satisfatórias para os consumidores.

As empresas que operam com aplicativos para estratégia de O2O incorrem em inúmeros benefícios, que vão desde o aumento da produtividade até a melhoria da qualidade dos serviços oferecidos. Além da elevação da taxa de ocupação, da segurança das transações financeiras e comerciais, e redução de custos.

Os aplicativos também são uma excelente ferramenta de divulgação para os comércios de cidades pequenas, uma vez que o investimento acaba sendo direcionado de forma específica para a base de consumidores potenciais localizados na região.

É importante lembrar que essas ferramentas precisam ser desenvolvidas para serem práticas e eficientes. Além disso, devem apresentar o suporte necessário para todas as operações do negócio e excelente interface e funcionalidade. Isso proporciona aos usuários experiências práticas, ágeis e positivas, que operem a favor do desenvolvimento e divulgação do estabelecimento.

Novamente de acordo com a Associação Brasileira de O2O, a maior dificuldade que os empreendimentos que investem nessa estratégia têm encontrado nos dias atuais é, justamente, no tocante à fidelização de seus clientes, que estão sempre em busca de novidades, aliadas à praticidade e economia. Dessa forma, um software de qualidade, que não apresente falhas de funcionamento e, muito menos, de segurança, se torna peça fundamental no sucesso da empresa que emprega a estratégia O2O.

O modelo inverso

O conceito de O2O também pode ser aplicado de maneira oposta, ou seja, trazendo consumidores do mundo offline para as plataformas online das empresas. Na estratégia O2O, é muito importante que campanhas iniciadas de forma online incluam a divulgação de conteúdo viral de qualidade, tanto diretamente no Google e no site/blog da empresa, como nas páginas em redes sociais, como o Facebook e o Instagram. Porém, é ainda de maior importância fazer com que tal campanha online, gradualmente, transponha o mundo virtual, engajando o cliente e incentivando-o a comparecer ao local de compra.

Essa forma de aplicação do conceito induz os consumidores das lojas físicas a interagirem também com os aplicativos e redes sociais dos estabelecimentos, aumentando assim o engajamento e fidelidade do público.

A busca pela fidelização e aumento do número de consumidores pode envolver, ainda, a transformação dos clientes offline ou online em clientes omnichannel (uma outra definição de O2O), o que significa tornar os clientes de um único canal em indivíduos que interagem com todos os canais ofertados pelos comércios, circulando pelas possibilidades online e offline.

Um modelo desse trânsito pode ser exemplificado pelos consumidores que, antes de adquirirem um produto específico, acessam os canais online. Ao realizar a pesquisa, podem ser incentivados a adquirir o item em uma loja física da empresa, por meio de ofertas e promoções exclusivas para compras realizadas presencialmente.

Também é possível criar promoções que abarquem o cadastro online de códigos de mercadorias compradas, gerando acúmulo de pontos fidelidade que podem ser trocados por outros produtos ou serviços. Outro tipo de interação online/offline é o "print" dado em uma promoção vista online (nos sites ou mais comumente nas redes sociais) e que deve ser mostrado no local físico para aquisição do desconto ou oferta.

Da mesma forma, é muito importante estar atento à compatibilidade entre os produtos e serviços oferecidos online e sua real disponibilidade offline. Infelizmente, é comum ocorrer casos, por exemplo, em que o consumidor adquire um cupom em um site de compras coletivas e, ao chegar no local físico não consegue ser atendido. Essa discrepância entre os meios online e offline certamente pode acarretar em danos tanto para a plataforma que disponibilizou o serviço online, quanto para a loja física. E esses prejuízos são, não apenas financeiros, mas também relacionados à imagem dos estabelecimentos envolvidos, que podem perder não apenas o consumidor diretamente afetado, mas também aqueles que tomarem conhecimento do ocorrido.

Conseguiu compreender o conceito de O2O e a importância de aplicá-lo em seu comércio? Curtiu o post? Aproveite e deixe um comentário. A Comunidade Sebrae é maior rede de empreendedores do País e disponibiliza vários artigos sobre diversos assuntos. Continue navegando pelo site e fique por dentro das novidades!

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você