[ editar artigo]

Organização e Gestão financeira: as cartas na manga dos pequenos empresários em tempos de crise

Organização e Gestão financeira: as cartas na manga dos pequenos empresários em tempos de crise

Ser pego de surpresa por uma crise tamanha a qual estamos vivendo em tempos de Covid-19 não é fácil para ninguém. Mas no caso dos pequenos negócios, os quais normalmente trabalham com fluxo de caixa para um período entre 10 a 15 dias, estar de portas fechadas para cumprir o isolamento social, por uma semana que seja, pode sim trazer várias complicações e com falta de organização por parte dos empresários ser até fatal para uma empresa. 

Mas CALMA! Agora mais do que nunca, é um momento de manter a cabeça no lugar.

Se você não é lá daquelas pessoas super organizadas, chegou a hora de sentarmos juntos para realizar o PLANEJAMENTO da sua empresa, se é que você ainda não o tem. Esse vai ser um item essencial para sobrevivermos e passarmos juntos por essa crise.

Só assim é possível perceber a importância do bom e organizado gerenciamento das finanças, que a partir de agora deve ser visto como uma obrigação para todos nós. 

Por isso a partir de agora você confere o passo a passo de como reorganizar a gestão financeira da sua empresa para avançar por esse cenário tão incerto e desafiador com os mínimos  impactos possíveis para o seu negócio.

PASSO A PASSO PARA ORGANIZAR A SUA GESTÃO FINANCEIRA:

1. Identifique o seu fluxo de caixa

Papel e caneta na mão porque o primeiro passo é organizar absolutamente todo o recurso financeiro da sua empresa!

Tenha à disposição qual o seu histórico de faturamento e qual a sua provisão de receitas. Nesse momento precisamos saber o quanto, efetivamente, se tem em caixa. Qual a receita prevista e realizada? Só assim é possível se preparar para um futuro ainda incerto.
 

2. Classifique as suas despesas

Além de mapear o capital que se tem em caixa também é de extrema importância agora fazer um levantamento de todas as suas despesas previstas e realizadas.

O ideal é fazer essa projeção para, pelo menos, os próximos três meses, afinal não sabemos quanto tempo realmente levará para que os nossos negócios retornem aos seus fluxos normais de caixa.

Assim, tendo listadas todas as suas despesas, chega a hora de classificar e priorizar os gastos do seu negócio! Vamos analisar item por item: o que realmente é impossível de adiar, negociar ou cortar?

Faça a sua lista por ordem de prioridade de cada uma das despesas para então revê-las uma a uma. A ideia é perceber onde estão as suas possibilidades de conter gastos em um momento de queda de faturamento. 

Precisamos priorizar agora as despesas com os maiores impactos nos negócios, além de avaliar aquilo que é passível de negociação, o que nos leva ao próximo passo...
 

3. Ajuste os gastos e negocie os prazos

Conhecendo os próprios gastos mais de perto passamos a ter mais facilidade para definir correções de despesas e até mesmo implementar mudanças fixas de gastos em nossos negócios. Mas com uma possível redução no faturamento neste momento precisamos, pelo menos temporariamente, ajustar as despesas de acordo com a realidade que estamos enfrentando.

Para isso podemos começar tentando negociar os prazos com os colaboradores e fornecedores. Lembre-se, todos nós estamos passando por essa crise ao mesmo tempo, querendo ou não estamos todos juntos nesse barco, e o diálogo é sempre a melhor forma de encontrar um bom ponto de equilíbrio para ambos os lados. Negocie os valores, os prazos e ainda as entregas de suprimentos e insumos para que o seu negócio não pare de funcionar.

Além disso, o Governo Federal, por exemplo, já está expandindo alguns prazos para ajudar os empresários, por isso também é essencial se manter bem informado sobre as medidas públicas de combate a crise que podem ajudá-lo. Um exemplo é a prorrogação do pagamento do simples nacional de acordo com a resolução nº 152 do CGSN, para mais informações sobre pagamento de tributos, leia este artigo aqui.

Porém se o seu negócio realmente precisa ficar completamente fechado e suspenso durante esse período, ainda é possível tentar alguma negociação com os seus próprios funcionários. Uma opção, se acordada entre ambas as partes, pode ser o adiantamento das férias para aqueles empregados que estão parados durante a quarentena.

Mas lembre-se, um momento de crise é sempre um momento para a INOVAÇÃO. A opção de mantermos os nossos negócios funcionando, mesmo que com menor fluxo de vendas ou prestação de serviços, já é muito melhor do que ficar sem vender absolutamente nada.

Agora mais do que nunca é a hora de estarmos próximos aos nossos clientes nas redes sociais. Seja criativo! Usando a tecnologia a nosso favor é possível manter algum fluxo de caixa para pagar as contas que estão no topo da lista de prioridades.

Todos sabem da realidade que estamos vivendo, então seja sincero com o seu cliente porque eles também podem te ajudar a enfrentar esse cenário!

 

4. Busque linhas de crédito

Com os recursos financeiros organizados você passa a entender de forma clara a sua real necessidade para passar por esse momento de turbulência. E assim estamos mais preparados para buscar crédito junto aos agentes financeiros, se necessário para dar fôlego aos nossos negócios.

Estamos vivendo um momento inédito e extremamente desafiador, o que exige que as informações sejam objetivas e atualizadas. Depois de colocar no papel as suas necessidade e analisar a sua capacidade de pagamento ao reorganizar a gestão financeira da sua empresa, você já tem todas as respostas que precisa para evitar e antever problemas para o acesso as linhas de crédito.

Fique atento: o recurso solicitado precisa ser suficiente para manter suas operações em dia. Se for insuficiente, aumentará suas obrigações de pagamento e ampliará o seu problema financeiro.

Os principais problemas que dificultam o acesso as linhas de crédito são:

- Incapacidade de pagamento
- Insuficiência de informações cadastrais de pessoa física e/ou jurídica
- Conflito de informações, e a sua não comprovação junto à instituição financeira
- Insuficiência de garantias

No caso de insuficiência de garantias, o Sebrae possui o Fundo de Aval que pode garantir até 80% do recurso para Capital de Giro. (Informações em www.sebrae.com.br)

Se você está com todas as suas contas em dia também pode solicitar a carência de 60 dias já divulgada pela Febraban – Federação Brasileira de Bancos. As linhas de crédito de alguns bancos também já estão trabalhando nesse momento com créditos de capital de giro como forma de minimizar os impactos gerados por essa crise em nossas empresas.

Porém se você já possui contrato de crédito, busque renegociação em sua instituição financeira. Novos prazos, carências e, se necessário, recurso extra.

Seguindo esses passos e mantendo o planejamento e a gestão financeira do seu negócio em dia, acreditamos que o seu  negócio vai passar por essa crise com os riscos minimizados ao mesmo tempo em que mantém a obrigação moral com a sociedade. 

Sigamos em frente, prezando pela vida dos humanos e dos negócios, de maneira harmônica.

O Sebrae está com atendimento 100% digital neste período. Todos precisamos nos cuidar! E mesmo de casa, vamos orientar você, com relação a sua empresa, nos acione através dos seguintes canais: 🔵 WhatsApp / Chat / Facebook / E-mail 🔵

Um abraço.

Blog

Comunidade Sebrae
Sebrae Paraná
Sebrae Paraná Seguir

Especialista em Pequenos Negócios - Atendimento ao Cliente | Marketing | Marketing Digital | Finanças | Gestão | Empreendedorismo | Comunicação | Inovação

Ler conteúdo completo
Indicados para você