[ editar artigo]

Os benefícios do People Analytics

Os benefícios do People Analytics

Obter, organizar e analisar informações sobre os colaboradores de uma empresa para poder tomar decisões a respeito dos rumos do empreendimento: essa, em essência, é a metodologia do People Analytics. Como essa abordagem pode trazer resultados para o seu negócio? Vamos falar sobre isso.

Medir para mudar

Uma das frases mais conhecidas do escritor, professor e consultor de administração Peter Drucker é “o que pode ser medido pode ser melhorado”. Ele partia do pressuposto de que medir e organizar os dados de uma situação ajuda a evidenciar problemas e oportunidades de melhoria.

No mundo dos negócios, isso é bastante comum no que diz respeito a resultados financeiros e, mais recentemente, a desempenho de ações no meio digital (como número de visitas em sites ou cliques em anúncios). De algumas décadas para cá, a mentalidade “analytics” vem sendo aplicada de maneira mais organizada à área de recursos humanos.

A metodologia People Analytics foi tema de um pitch do Summit Sebrae 2019, ministrado por Pietro Rodrigues Chauszcz, CEO da empresa Penelope e Assistente de Gestão de Pessoas no Sebrae.

Em sua apresentação, ele apontou que muitas das decisões tomadas no Brasil são baseadas no “feeling”, mas a competição global não permite mais esse tipo de atitude. É necessário, segundo Pietro, aprender a nova linguagem de ler, escrever e comunicar dados.

O modelo clássico de gestão apresentado por ele tem três elementos: Pessoas, Processos e Tecnologia; já o novo conta com um quarto elemento, os Dados.

Esse segundo modelo se contrapõe à chamada HIPPO (Highest Paid Person’s Opinion, ou “Opinião da Pessoa Mais Bem Paga”), que normalmente serve como diretriz para tomar decisões de negócios em empresas que não fazem uso sistemático de dados para gestão de pessoas.

People Analytics na prática

Ben Waber, autor do livro People Analytics: How Social Sensing Technology Will Transform Business and What It Tells Us about the Future of Work (ainda sem edição em português), explica que “fazemos” people analytics se usamos dados para elevar a eficiência, a criatividade, a felicidade e as capacidades de pessoas no trabalho.

Para atingir esses objetivos, contudo, é necessário aplicá-la juntamente com estatística, matemática, métricas etc. e o uso de softwares apropriados é essencial. Durante o pitch, Pietro apontou algumas ferramentas, como o Power BI, o Click View e o Click Sense.

Eis quatro etapas de um negócio que podem ser exploradas no People Analytics:

  • Relatórios Operacionais ou Informações Básicas (comuns em praticamente toda empresa, podem ser um bom ponto de partida para análises mais complexas e detalhadas)

  • Business Intelligence e Métricas (ferramentas automatizadas que organizem dados como banco de horas, limites de folha de pagamento, headcount etc. facilitam tanto o entendimento da informação como o comparativo com outros períodos)

  • Análises avançadas (correlacionar informações-chave para tomar decisões melhor embasadas é uma das melhores práticas do People Analytics; se há muitos colaboradores se desligando, por exemplo, seria válido elaborar uma pesquisa que apontasse as principais causas e ajudasse a melhorar os rumos da empresa)

  • Modelagem e Prescrições (por fim, boas análises podem ajudar a se preparar para problemas antes que eles aconteçam de fato; ao monitorar o comportamento e o desempenho dos colaboradores, por exemplo, seria possível tomar ações para evitar que ele se desligue)

Seja qual for o seu ramo de atuação, é quase certo que você poderá se beneficiar com a adoção da metodologia People Analytics.

Blog

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você