[ editar artigo]

Pantera Negra: 4 reflexões essenciais

Pantera Negra: 4 reflexões essenciais


Confesso que ainda não havia assistido ao filme Pantera Negra, mas com a triste notícia da partida do herói Chadwick Boseman e elogios à obra, ontem parei pra assistir.

4 diálogos no filme me deram aquela sensação de “Opa! Preciso refletir sobre isso”, e gostaria de compartilhar a reflexão aqui com vocês. Importante: o que estou trazendo aqui são a ideias compartilhadas, e não os diálogos exatos. Vamos a elas:

1) Um homem que não preparou seu filho para sua morte, não cumpriu seu papel de pai. O que bateu aqui pra mim foi algo que eu valorizo demais: a autonomia.

Desde que iniciei minha jornada como Coach, mentora e instrutora de cursos de desenvolvimento pessoal, esta é uma questão que está na essência do meu trabalho: cocriar caminhos para o autoconhecimento e a autoconfiança, e ensinar técnicas e ferramentas para solução de problemas com foco na autonomia de cada pessoa.

Pais, líderes, professores, coaches, instrutores, parceiros afetivos, amigos, todos podemos refletir sobre esta competência de apoiar, guiar, ajudar, sempre com um olhar especial à autonomia da outra pessoa, pra que na nossa ausência ela possa seguir sua caminhada, inteira, completa.

2) Não permita que as falhas de seus pais te definam. Temos uma tendência significativa a repetir ou evitar, excessivamente, alguns passos das pessoas que são nossas referências (pais, avós, irmãos mais velhos, professores, chefes), e muitas vezes esses movimentos ocorrem de forma inconsciente.

Repetir....é simples. Você admira uma característica ou critica algum comportamento e, acaba fazendo igual (sim, muitas vezes criticamos e fazemos igual...). Evitar excessivamente ocorre quando por exemplo, você teve uma referência extremamente dura, ríspida, exigente e, ao evitar esta característica você acaba se tornando extremamente tolerante e incapaz de impor limites ou dizer “não”.

Importante checarmos se as nossas escolhas (inconscientes) fazem sentido na nossa vida, se estão alinhadas com nossos valores e se trazem os resultados e o bem estar que desejamos pra nós. Se a resposta for sim, maravilha. Se a resposta for não, é hora de arregaçar as mangas e iniciar um trabalho de escolhas conscientes e decisões importantes.

3) Existem mais coisas que nos conectam do que nos separam. Em uma crise, sábios construirão pontes enquanto tolos construirão barreiras. É fato que se deixássemos de lado o nosso medo de parecer fraco, de ser percebido como “menos” ao sermos comparados com outros... se desistíssemos das nossas armaduras colocadas pelo instinto de sobrevivência, se baixássemos a guarda que busca nos proteger da exposição de todas nossas vulnerabilidades, conheceríamos o poder da conexão e tudo que muitas mentes juntas são capazes de construir.

O autoconhecimento, o fortalecimento da autoconfiança, o exercício da empatia, da escuta ativa, da comunicação não violenta, o respeito ao outro, o interesse de se conectar, verdadeiramente, podem ser um caminho INCRÍVEL a trilhar.

4) Para um bom homem é difícil a tarefa de ser um bom líder. Não, isso não quer dizer que a natureza da liderança é má, de modo algum. Mas o papel do líder passa muitas vezes por tomar decisões difíceis que não são exatamente as que as pessoas em geral gostariam, impor limites, dizer não, trazer más notícias, ser mais duro em situações que exigem um posicionamento mais firme, trazer um feedback mais intenso quando os anteriores não surtiram efeito, trazer dados de realidade, entre outras.

Uma pessoa extremamente empática pode encontrar algumas dificuldades nesta caminhada, sentir culpa, não compartilhar feedbacks importantes, assumir tarefas que não são suas, se sobrecarregar técnica e emocionalmente. É claro que uma dose de autoconhecimento e fortalecimento de algumas competências podem tornar a jornada menos complexa e mais exitosa. 

P.S: ser uma boa pessoa também é possuir uma das características mais impactantes nas ações de um bom líder. A partir de uma boa intenção, caminhos e soluções construtivas podem ser criadas na direção certa.

Enfim, o filme traz diversas outras reflexões profundas sobre liderança, poder, lealdade, empatia, decisões/consequências, gestão emocional, planejamento, etc. Dentre tantos, resolvi trazer as reflexões baseadas em diálogos que me marcaram, espero que elas possam fazer sentido pra você, como fizeram pra mim 😊

Aquele abraço e até o próximo encontro!

Blog

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você