[ editar artigo]

Plano B - Prepare-se ou morra

Plano B - Prepare-se ou morra

 

Já dizia o grande filosofo Tales de Mileto:

Tenha sempre um plano B para todos os seus projetos. Busque o melhor e prepare-se para o pior.

Os planejamentos estratégicos utilizam como base o cenário atual da empresa, além de realizar a projeção da organização a médio e longo prazo.

2020 foi um ano que nos ensinou que nem sempre o plano A vai funcionar.  E quando não der certo? Onde poderemos ancorar nossos projetos?

Muitas vezes ignoramos o fato de que haverá momentos de instabilidade. E tudo bem! É comum que situações que pareçam ser “inofensivas” no presente, sejam consideradas irrelevantes na tomada de decisão, porém, não é porque o risco é mínimo que estará longe de impactar projetos futuros.

Para exemplificar vamos nos valer de um caso fictício envolvendo o aquecimento global e a agricultura. Imagine que um agricultor está fazendo um planejamento estratégico, porém, ele não leva em consideração a questão do impacto que o aquecimento global poderá influir na sua produção.

Segundo a Organização das Nações Unidas para agricultura e alimentos:

A segurança alimentar pode ser prejudicada em três pontos: disponibilidade, acesso e estabilidade do suprimento.

Viu só? O que pode parecer inofensivo no momento, se não for tratado ou prevenido, pode se tornar algo de proporções exponenciais num futuro próximo e, olhe que na situação descrita acima esta é apenas uma das possíveis, instabilidades, que podem vir a ocorrer em curto, médio ou longo prazo.

Se antes restavam dúvidas quanto à necessidade de haver uma segunda opção estratégica, a pandemia veio para consolidar está divisão de águas, ou seja, daqui pra frente a única previsão certeira para o mercado é sua instabilidade.

É aí que entra o PLANO B! A segunda opção do que fazer caso à primeira opção não de certo.

O “Plano B” deve partir de um desejo realista. Afinal, o objetivo é ser uma rota alternativa que deve funcionar quando o Plano A estiver passando por dificuldades. Não importa a complexidade do momento, o ideal é que, na hora de pensar na mudança, todas as etapas de um bom planejamento estratégico sejam cumpridas, analisando as possíveis contrariedades, cenários econômicos, pontos de melhorias, entre outros.

Existe hora certa para colocar o Plano B em ação?

Afinal, quando é a hora de executar o plano B? Independentemente do momento em que a mudança chega, seja por necessidade ou desejo pelo novo, o principal é que as organizações procurem estabelecer metas realistas e, se possível, busquem ajuda profissional para facilitar a transição.

É extremamente necessário ter em mente que para começar, é preciso ter foco. É um equívoco achar que só mudanças radicais precisam de estratégia.

“Se conselho fosse bom não se dava, se vendia”...

Mas... Não espere a crise chegar para traçar seu Plano B.


FONTE - Pesquisa sobre aquecimento global: https://www.agritempo.gov.br/climaeagricultura/causa-e-efeito.html

Blog

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você