[ editar artigo]

Qual a importância do Community Manager?

Qual a importância do Community Manager?

“Community Manager” refere-se a mais uma nova profissão, oriunda do crescimento das mídias digitais. Traduzindo para o português, Community Manager significa “Gerente de Comunidade” e, esse profissional é o especialista responsável por criar e gerenciar comunidades online ao redor de marcas. O objetivo é desenvolver e aprofundar o relacionamento com os usuários, clientes, fãs e demais interessados na empresa ou marca em questão.

De forma resumida, temos que o Community Manager tem o papel de criar e gerenciar as comunidades online que existem para a aproximação da marca de seus consumidores, desde os mais fiéis até aqueles existentes em potencial.

Em outras palavras, cabe ao Community Manager o papel de porta voz da marca no universo online, gerando interação e acompanhando os resultados, lembrando da importância de buscar não apenas fidelizar os clientes já existentes, mas também levar a empresa aos potenciais consumidores que ainda não a conhecem, mas que podem vir a ser fidelizados.

Quais as principais atividades desenvolvidas pelo Community Manager?

O gerente de comunidade, como citado anteriormente, tem como principal função o gerenciamento da comunidade online relacionada com a marca. Para realizar tal gestão, faz-se necessário o desenvolvimento de inúmeras tarefas específicas, entre as quais destacamos:

  • Conhecimento e definição do público-alvo e posterior direcionamento de publicações a esse nicho;
  • Monitoramento das notícias e publicações relacionadas à área de atuação da empresa, mantendo-se atualizado e atento com relação aos conteúdos de destaque disseminados pela concorrência e pelas autoridades da área, de forma a propagar (ou replicar) conteúdo aprofundado, atualizado e de qualidade;
  • Criação e participação em eventos da área;
  • Elaboração de conteúdo de qualidade (artigos, newsletters, materiais de comunicação em geral), que seja atrativo para a comunidade, a ser publicado tanto nas redes sociais como em blogs e sites empresariais;
  • Criação e gerenciamento de estratégias de comunicação e de marketing;
  • Utilização de ferramentas de estatística para melhor percepção do ambiente e busca por melhoria dos resultados;
  • Análise e aplicação dos melhores horários para publicar os conteúdos nas redes, com base em itens como intensidade de tráfego, direcionamento para o público-alvo, dentre outros;
  • Monitoramento da reação dos usuários às publicações da própria empresa, acompanhando e analisando a aceitação do público;
  • Construção de relacionamento positivo, estável e de longo prazo com os fãs e potenciais fãs da marca;
  • Identificação (e incentivo) dos prescritores, que são os fãs dispostos a defender a marca frente a críticas externas. Os chamados “defensores da marca” tem grande importância, e devem ser identificados e orientados, podendo tornar-se grandes parceiros voluntários na divulgação da empresa e na melhoria da sua visão perante ao público interessado
  • Gerenciamento de “crises de reputação online”. Essas crises podem ser extremamente prejudiciais à empresa, e cabe ao Community Manager a elaboração e aplicação de estratégias emergenciais que defendam e preservem a reputação da empresa.

Qualquer um pode assumir o cargo?

O exercício das atividades de Community Manager exige uma série de habilidades e competências, muito embora com a popularização do mundo digital e das mídias sociais muitos acreditem estar aptos a exercer essa função, por estarem constantemente imersos nesse meio. Entretanto, para exercer essa função não basta estar nas redes sociais diariamente. É necessário muito mais!

Quais habilidades e competências deve ter o profissional?

Algumas dessas habilidades e competências são inerentes (inteligência emocional, criatividade, empatia, resiliência) e outras relacionadas à formação específica (gerenciamento de processos, utilização de ferramentas digitais, design estratégico). A experiência e vivência profissional na área também são fundamentais, iniciando com pequenas contas até adquirir expertise suficiente para o gerenciamento de grandes comunidades.

É de enorme importância que o Community Manager seja apaixonado pela marca e seus produtos e comprometido com o projeto de valorização e visibilidade da empresa, afinal isso transparece em todo o seu trabalho.

Também, para exercer a função, precisa ser um profissional com grande capacidade de comunicação, com muita empatia e também moderação: impulsividade e “cabeça quente” são características incompatíveis com a função. A versatilidade de conhecimentos e a resiliência em lidar com pressão também são habilidade desejáveis neste profissional.

Em termos mais específicos, ao contratar um Community Manager deve-se procurar um profissional:

1 - Dinâmico, que tenha experiência em redes e mídias sociais;

2 - Com conhecimentos aprofundados em marketing e branding;

3 - Que apresente excelentes habilidades de comunicação, incluindo-se boa escrita, leitura e interpretação;

4 - Com capacidade de empatia e sociabilidade com o público ao qual se dirige e com o qual interage;

5 - Com conhecimentos práticos em ferramentas e plataformas digitais;

6 - Com conhecimento em ferramentas métricas: ROI – Return on Investment, engajamento, alcance, True Social Metric, Google Analytics, etc.

Qual a importância do Community Manager para as empresas?

Um bom Community Manager é fundamental para o gerenciamento estratégico da reputação da marca empresarial, sendo parte de grande importância das estratégias de marketing e relações públicas da empresa.

Cabe ao Community Manager a geração e manutenção de relações de confiança com os usuários, fãs e interessados, a partir da criação de conversas com potencial para conversão em vendas ou afiliação; tais assuntos podem se originar, por exemplo, de publicações de conteúdo de qualidade e devidamente direcionadas ao público que se deseja atingir e conquistar.

Desta forma, temos que a criação e gerenciamento de uma comunidade online garante que a relação com os consumidores – existentes e potenciais – transponha a mera questão da compra e venda de produtos e serviços, tornando a comunicação e a relação não apenas vertical (partindo das empresas para os consumidores), mas também horizontal, abrangendo troca de informações e experiências entre os próprios consumidores. Empresas atualizadas e preocupadas em se inserir na realidade da era digital devem, com toda certeza, investir na contratação desse profissional.

Gostou deste artigo? Quer saber mais sobre os conhecimentos e estratégias necessários ao sucesso do seu negócio? Então conheça e participe das comunidades de empreendedores do Clube Sebrae. Muito conteúdo de qualidade aguarda por você! Continue navegando pelo site e saiba mais.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você