[ editar artigo]

Quanto tempo você aguenta esperar um retorno?

Quanto tempo você aguenta esperar um retorno?

Se for na hora da fome, bem pouco tempo, eu acredito! #tamujunto. É sobre isso que vamos falar hoje nesse conteúdo. Tempo, comodidade e atendimento ao cliente.

Palestrante do Summit Sebrae PR 2019 e fundadora do Aiqfome, Steph Gomides, também foi nossa convidada da 2ª edição do Connect On The Road da Comunidade Sebrae, e conta que não perdeu tempo para matar a sua fome. Cansada de burocracias e muita pesquisa na hora de pedir comida por delivery, montou uma plataforma que solucionou seus problemas e ainda ajudou um montão de gente. Primeiro porque foi uma das pioneiras no Brasil a unir restaurantes e lanchonetes num único aplicativo para entregar pedido de alimentação, criando inovação para o setor. Mas em segundo lugar também fez crescer o número de pedidos dos restaurantes cadastrados na plataforma com mais demanda via um novo canal, que uniu as forças para aumentar a produção e gerar visibilidade do físico para on-line.


Com isso, Steph conseguiu unir três vertentes focadas no cliente da web: tempo, comodidade e atendimento. Além disso, a plataforma ainda manteve a identidade de cada estabelecimento credenciado e a qualidade do produto entregue por conta também das marcas.

O início do projeto foi com investimento próprio, mas em alguns anos conseguiu captar mais verbas por meio do trabalho dos empreendedores das regiões em que se encontram. Em 2014 eram apenas três cidades e em 2018 a marca já estava em 120 cidades. No primeiro semestre de 2019, o Aiqfome soma 198 localidades. E de 48 mil famintos lá em 2014, o fechamento do 1º semestre de 2019 foi de 2.326.669 pedidos, o que representa R$ 77.372.139,86 em pedidos.


Para chegar a esse patamar, a empreendedora fala sim que as pessoas estão em primeiro lugar em relação ao seu business. Por isso, foco no cliente! Entretanto, para que esse cliente conseguisse chegar até a plataforma foi preciso design e tecnologia. Nos tempos da internet discada era bem mais difícil. Hoje, ainda existem problemas de alcance de internet, mas nas cidades universitárias, onde a plataforma está mais aderente, tem estudantes que usam e precisam da internet, além de pedirem muito mais comida rápida.

E não é apenas o pedido que precisa ser entregue rapidamente, mas as decisões também precisam ser rápidas. Em tempos de alta tecnologia, inovação, crise econômica e concorrência, ‘camarão que dorme a onda leva’, como replica a empreendedora.

Comunidade Sebrae
Suzane Marie
Suzane Marie Seguir

Sou jornalista, MEI e gerente de comunidades da Comunidade Sebrae!

Ler matéria completa
Indicados para você