[ editar artigo]

Rock in Rio: um festival de experiências

Rock in Rio: um festival de experiências

Você quer saber o que o Rock in Rio tem em comum com você, empreendedor? Tudo! O maior festival de música do mundo mostrou no Summit Sebrae como gerar experiência, inovar, encantar o cliente, formar o maior time de lovers e tornar um sonho, realidade! Além disso, o Rock in Rio também revela que o desafio é constante, porque assim o idealizador, o empresário brasileiro Roberto Medina, e Luis Justo, CEO do Rock in Rio e palestrante do Summit, o melhor Rock in Rio sempre será o próximo.

Essa frase explica o incansável trabalho de tornar a experiência do cliente única e cada vez mais desejada. Para se ter uma ideia, muitos dos visitantes da cidade do rock compram seus ingressos antes mesmo de saber qual banda tocará no dia do seu ticket, e há ainda aqueles que beijam o chão do festival e deixam a emoção do momento tomar conta! Afinal, são 34 anos de um casamento entre o Rio de Janeiro, os brasileiros e todo o restante do mundo, que faz questão de prestigiar o festival. Afinal, o Rock in Rio ganhou uma notória amplitude após ser apadrinhado por Frank Sinatra nos EUA, nos anos 80. Era dessa prova social que o evento precisava para romper todas as fronteiras das raças, gostos musicais, ritmos e melodias, e se transformar no maior do mundo.

Há, sim, hoje uma solidez da marca e da comunicação com o público, que já tem em sua essência uma característica peculiar de se relacionar com todos os seus stakeholders. O próprio patrocinador entra no clima e cria campanhas inusitadas, totalmente inovadoras, apenas para encantar o consumidor, que se emociona com pequenas ações artísticas, mas que tocam o âmago do cliente, humanizando ainda mais essa conexão.


A proposta de valor ultrapassa a escolha dos artistas, bandas, músicas e performances. Hoje, o consumidor já pode adquirir em perfume o Rock in Rio, capturado após muitos estudos. Hoje, a fragrância é difundida por meio de 250 máquinas que expelem a essência, formando uma memória olfativa e ampliando a experiência do usuário. Além disso, ainda é um produto a mais do festival vendido nas gift stores e que ajudam a pagar a conta no final.

Uma história de ficção, em formato de websérie, cria uma story telling em paralelo ao evento, misturando a fantasia com a realidade. O New Dance Order é um palco de música eletrônica do festival que abriga a websérie de quatro episódios, cujo enredo mescla um vírus do futuro que invade s celulares do nosso tempo com uma música desconhecida, e faz uma relação com o domínio da inteligência artificial. A ação foi mais uma forma de engajar o público com o festival por meio de outros apelos audiovisuais. Tudo para fazer o cliente entrar no clima e consumir o produto antes, durante e depois do evento.

O desafio é sempre criar novos conteúdos e novas experiências, para ampliar as vivências. O festival desse ano proporcionou que empreendedores de comunidades cariocas de moda e alimentação comercializassem sem produtos no evento, no Espaço Favela. Esse palco contou que mais de 30 apresentações de música, dança e demais manifestações culturais. Além disso, os empreendedores tiveram preparação antecipada de gestão e boas práticas para participar.


Da cozinha para o banheiro, os visitantes da cidade do rock assistiam suas bandas até nos toiletes para que não perdessem um minuto dos shows nem mesmo nos apuros. Justo explica que esse e outras tantas novidades visam a satisfação do cliente e uma jornada impecável. Afinal, entre um grão de café e um café gourmet servido existe a experiência oferecida.

Todos esses detalhes só conseguem ser executados se o empreendedor por traz da máquina tiver algumas características que o CEO conta aqui:

  1. Atenção aos detalhes: as flores do jardim do rock na cor na logomarca do patrocinador é um detalhe que fideliza e renova contratos, mesmo sem ser essa a ideia principal;
  2. Tenha obsessão pelo cliente;
  3. As palavras convencem e os exemplos arrastam;
  4. Dinheiro ou propósito? O que te motiva?
  5. Resiliência: aprender com os erros e com os fracassos, fortalece, como no caso do incêndio do prédio da Osklen, cujos escombros transformaram-se em inspiração para a nova coleção da marca, a que mais vendeu!
  6. Compartilhe valores com os seus parceiros: a energia contagia, cria, vivencia, conecta e inspira.

Com essas dicas e essas histórias, você também pode amplificar sua operação e ter uma legião de fãs da sua marca, produto ou serviço, para fortalecer o empreendedorismo que transforma!

 

Blog

Comunidade Sebrae
Suzane Marie
Suzane Marie Seguir

Sou jornalista e conteudista!

Ler conteúdo completo
Indicados para você