[ editar artigo]

Seu negócio está na low touch economy?

Seu negócio está na low touch economy?

Economia de pouco contato. Essa é uma possível tradução para Low Touch Economy. O que ela quer dizer? O que temos vivenciando ao longo da pandemia do Covid-19. Afinal, o isolamento social nos leva a consumir de formas diversas da que estávamos acostumados, passando a usar recursos da tecnologia da informação para suprir o contato direto com o vendedor. Se você comprou comida por aplicativo, fez reuniões de trabalho em seu home office, conversou com seu médico à distância e seu personal aplicou o treino pela telinha do seu Smartphone, você se inseriu na Low Touch Economy.

Agora, e o seu negócio? Ele usa dos recursos da tecnologia da informação para levar seus produtos e serviços aos consumidores? Se antes da pandemia a orientação aos empreendedores era conhecer de forma mais próxima o que o Marketing Digital poderia fazer pela empresa e avaliar quais recursos poderiam melhorar o desempenho das atividades, como na produção, na comunicação com os colaboradores, na proximidade com clientes e fornecedores, agora é imperativo estar inserido no digital.

As mudanças que estão sendo vivenciadas não são adequações para um período de tempo, enquanto não se encontra a vacina para o vírus. São hábitos que já vinham sendo absorvidos e que com a crise, se intensificaram.

Se o consumidor, o fornecedor, o colaborador acharem interessantes as novas formas de realizar atividades na sua rotina de vida, elas vão ficar. Por exemplo, os aplicativos de entrega de alimentos – como IFood – cresciam na casa dos 20% ao ano. Com novos clientes fazendo uso dos aplicativos, agora por necessidade, e gostando do que estão experimentando, qual a tendência de uso? Para aqueles que realizavam atividades físicas em academias e passaram a fazer os treinos em seus espaços privados e gostaram, qual deve ser a continuidade do processo? Se as sessões de terapia, agora permitidas à distância, permitiram a mais pessoas terem acesso ao tratamento, como você avalia essa abertura de mercado para continuidade?

Pensar o negócio de forma digital, usando recursos que já estão à disposição é uma questão de permanência no mercado. Usar o que já está disponível para trazer mudanças positivas ao negócio e estar inserido numa tendência – a low touch economy – que deixará em breve de ser tendência para ser a nova ordem.

 

Adequar, inovar, se refazer.

 

Patricia Favorito Dorfman                                                                                                                       Jornalista, consultora nas áreas de empreendedorismo, marketing e comunicação. Minha crença é nas pessoas, só elas podem fazer mudanças!

Blog

Comunidade Sebrae
Patricia Favorito Dorfman
Patricia Favorito Dorfman Seguir

Mentora, Facilitadora e Consultora nas áreas de Marketing, Comunicação e Empreendedorismo. Movimento Tava Pensando.

Ler conteúdo completo
Indicados para você