[ editar artigo]

Varejo sem toque (Touchless Retail): o que o mundo pode aprender com as novas formas de compras na China?

Varejo sem toque (Touchless Retail): o que o mundo pode aprender com as novas formas de compras na China?

Os consumidores estão mudando seus hábitos de compras de varejo em resposta à pandemia mundial do COVID-19. Os consumidores vão preferir comprar em locais usando auto-checkout e auto-checkout sem toque, estamos enfrentando tempos difíceis e os consumidores irão tomar todas as precauções para proteger a si mesmos e suas famílias.

Grandes crises trazem inovações, varejistas e marcas chinesas criaram o termo “Touchless Retail ” (varejo sem toque), uma nova maneira de atender seus clientes. Isso significa eliminar ou tornar virtual todos os possíveis pontos de contato humanos ao longo da jornada do cliente de ponta a ponta, desde a seleção do produto até a entrega na porta.

O crise do COVID-19 acelerou a atenção a entrega sem contato humano . Em fevereiro deste ano, 66% dos consumidores da China adotaram entregas sem contato para todos os pedidos. Carros sem motorista, robôs de entrega automatizados, rastreamento intensificado de aplicativos e até armários refrigerados de coleta inteligentes foram adicionados a experiencia de compra. Tudo isso em um país onde a maioria dos produtos online já é entregue dentro de 24 horas após o pagamento do pedido.

 

Na pratica o que significa esta mudança de varejo sem toque:

  • Pesquisa, avaliação e seleção de produtos são concluídas em um Smartphone;
  • O ciclo do pedido até o pagamento também é concluído no Smartphone;
  • A intervenção humana no atendimento e entrega de pedidos é reduzida ao máximo com o uso de robótica e automação;
  • Estações automáticas de entrega ou retirada, instaladas em prédios de apartamentos ou comunidades locais, impedem o contato humano no ponto de recebimento;
  • Informações mais profundas sobre o produto;
  • Rastreamento em tempo real da disponibilidade do produto;
  • Flexibilidade nas opções de pagamento;
  • Flexibilização da entrega serão as principais mudanças.

Uma nova pesquisa realizada pela TRUE Global Intelligence da FleishmanHillard, concluída em seis países como Estados Unidos, China, Alemanha, Itália, Coréia do Sul e Reino Unido para obter uma visão de vários estágios e expectativas da crise, que explora a mentalidade COVID-19 para entender como o vírus está remodelando percepções, comportamentos, valores e sociedades, indicou que os consumidores planejam ser cautelosos, mesmo quando a propagação do vírus diminuir.

  • 95% dos consumidores desejam que as empresas implementem medidas de proteção física e distanciamento para ajudar a mantê-las saudáveis;
  • 68% relatam que a pandemia mudou os produtos e serviços que antes consideravam importantes, um fenômeno ainda mais difundido na China (86%) e na Itália (73%);
  • 65% estão adiando compras e viagens e 52% pretendem que as mudanças em seus comportamentos de compra continuem;
  • 34% estão adiando decisões importantes da vida e 26% levarão o planejamento de decisões importantes da vida mais a sério após a pandemia;
  • Atualmente, 27% estão economizando mais do que normalmente e 26% planejam economizar mais no futuro do que o normal.

A pandemia levará a um “novo normal” com tendências aceleradas de transformação digital, várias das quais já estão acontecendo.

 

Blog

Comunidade Sebrae
Vera Moraes
Vera Moraes Seguir

Inventtando- Somos uma consultoria de inovação e transformação digital para empresas .Atuando com ferramentas de open innovation, transformação cultural, metodos ageis e ecossistema de startups.

Ler conteúdo completo
Indicados para você