[ editar artigo]

Você já parou pra pensar que estamos vivendo os últimos meses dessa década?

Você já parou pra pensar que estamos vivendo os últimos meses dessa década?

Parece que era ontem que ouvíamos que em 2020 iríamos ter carros voadores. A realidade é que a próxima década já está batendo na porta, sem o carro voador, porém com muitos outros desafios que - pelo menos para mim – causam muita empolgação. 

Primeiramente, antes de mais nada, preciso me apresentar: me chamo André Espada, sou engenheiro mecânico e atualmente sou Diretor Executivo da Metalco – Comércio de Metais , uma distribuidora de aço localizada em Curitiba. 

Mas vamos voltar ao que interessa: como a sua empresa vai estar preparada para a próxima década? 2010 parecia ontem, e quando estávamos lá, tudo era mais lento: desde a concepção de um novo negócio até o lançamento de um novo produto. Hoje tudo é muito volátil, incerto, complexo e ambíguo (várias verdades ao mesmo tempo) e sinto lhe dizer que este caminho tende a ficar cada vez mais veloz.

As metas de algumas empresas continuam longas e inflexíveis em um mundo muito volátil, possuem o mesmo ritmo e cadência, independentemente da incerteza, são criadas por equipes que não se comunicam num mundo complexo e feitas de cima para baixo num ambiente ambíguo. O resultado é que as empresas estão com o ciclo de vida menor, como podemos observar nesse gráfico da S&P:

https://lh4.googleusercontent.com/yf1_Hb7o3zfPuL4sSX8eS6EOX_WAH_lDnz5k-9MmGJzb6ezvAzbawK2QeWZwPJxqzTnvDgDdnmCl_7LNl2d8nvf0tIW_zR1SFFgqFy3x8mZ5JlgDqckEGVO-g_FCkhzp

 

E como podemos fazer com que o ciclo de nossas empresas sejam maior do que isso? Podemos inovar e mudar. 

Tenho visto muitos lugares falando sobre inovação, mas poucos explicando o que realmente precisa ser feito. Veneram Elon Musk e Steve Jobs (não que não mereçam nosso respeito), mas na hora de trazer para a prática, para o pequeno e médio empreendedor, fica longe da realidade. 

A inovação para o pequeno e médio empreendedor não é sinônimo de novidade, mas sim valor percebido pelo cliente. Não precisamos pensar fora da caixa para criar algo real. Podemos reinventar um serviço ou aprimorar pequenos processos do nosso dia a dia para chegarmos a um resultado melhor. É errar cedo, é corrigir rápido, é amar o problema, é aprender com o erro. É realizar múltiplas apostas pequenas ao invés de poucas apostas grandes, medindo e corrigindo ao longo de sua jornada.

Nunca antes a Razão Social de uma empresa foi tão importante. Qual a Razão Social da sua? Qual é a Razão dela existir? Qual benefício ela trará para a sociedade? Junte o seu repertório de experiência com um processo estruturado e não tenho dúvidas que o resultado será uma empresa inovadora, capaz de navegar mais uma década.

Blog

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você