[ editar artigo]

Wesley ter Haar: mídia e criação devem trabalhar juntos na era da transformação digital!

Wesley ter Haar: mídia e criação devem trabalhar juntos na era da transformação digital!

 

Essa semana tive o prazer de participar de um dos maiores eventos de inovação e conteúdo para o mercado digital. O Proxxima 2019 aconteceu em São Paulo entre os dias 07 e 08 de março de 2019 e trouxe grandes nomes do mercado mundial focado no mundo digital.

Ao assistir a apresentação do Wesley ter Haar, COO da Media Monks, ele trouxe uma apresentação que nos faz refletir sobre os caminhos que o mundo digital está tomando. Cada agência de propaganda no mundo busca hoje seu próprio caminho para a inovação e reinvenção. Para quem investe nesse novo modelo de negócios, a pergunta é em qual modelo apostar. 

De origem holandesa, a Media Monks desde sempre combina dados, tecnologia e conteúdo como diretriz para atender seus clientes. Inclusive o uso de dados e big data foi um dos assuntos que mais foram tratados durante os 02 dias de evento do Proxxima 2019. 

De acordo com o executivo, o atual momento é construir um novo modelo de agências em que as redes se adaptam a novos modelos de negócios. Nesse contexto, a disrupção criativa precisa ser construída no lugar dos velhos modelos por meio da ausência de barreiras, que representam um entrave para a eficácia, e com menos etapas, seja entre o cliente e o talento, entre criação e produção, entre briefing e execução.

De maneira clara, não deve existir equipes de social, mídia, digital e RTV: precisam trabalhar juntos para serem mais eficientes, pontuou o executivo. Wesley inclusive apresentou que as maiores empresas de tecnologia do mundo já atuam neste modelo de negócios com suas agências faz bastante tempo, encurtando em muito o processo criativo. Entre elas Facebook, Amazon e Google. Ele inclusive defendeu que as agências podem e devem construir isso junto com o cliente, estando presente em todo o processo junto com pessoas das mais variadas áreas da empresa. Ao se trabalhar como um único time, o processo se acelera e pode ser testado em muito pouco tempo. A ideia neste caso é trabalhar da maneira mais flexível possível de forma que se atinga rapidamente um objetivo e pode ser testado e validado e caso não dê certo, isso pode ser repensado de maneira imediata.

Esse formato de negócio serve tanto para as pequenas como para os grandes negócios. Para ele essa disrupção de se trabalhar em conjunto faz com que não se tenha apenas uma única grande ideia, mas sim várias grandes ideias que podem inclusive serem trabalhadas em conjunto entre cliente e agência.  O executivo disse que já foi o tempo em que a indústria girava em torno de uma única grande ideia. “É mais sobre ideias menores, hiper segmentadas e conectadas ao contexto do canal em que são distribuídas”, afirmou.

Wesley finalizou sua apresentação afirmando que isso está reduzindo o budget em 40% e irá reduzir o tempo de produção de 12 para quatro semanas, além de impulsionar o desempenho dos anúncios, já que são mais segmentados e personalizados.

E você que trabalha com a agência de publicidade, já segue este modelo de negócios? 

 

 

Comunidade Sebrae
GUSTAVO BERNARDO
GUSTAVO BERNARDO Seguir

Consultor da Unidade de Atendimento Digital do Sebrae PR e gestor do Clube Sebrae e Comunidade Sebrae.

Ler matéria completa
Indicados para você