[ editar artigo]

Workatona (parte 1): A educação do futuro (conteúdo com vídeo)

Workatona (parte 1): A educação do futuro (conteúdo com vídeo)

A educação superior, por meio das universidades, é um celeiro da inovação, da criatividade, da atitude e da pró-atividade. Historicamente, é no meio acadêmico que grandes revoluções acontecem. Transformações políticas mundiais e brasileiras ocorreram devido à movimentação de estudantes e de centros acadêmicos.

Com tamanha importância social que a educação superior tem no desenvolvimento da sociedade e do mundo, não poderia ser diferente em plena transformação digital da indústria 4.0. É como se a educação universitária entregasse de volta para o mundo o aperfeiçoamento daquilo que obteve no ensino básico, por meio do trabalho e do empreendedorismo.

Verdade essa que grande parte de estudos científicos da educação superior, testagens, prototipagens e a criação de empresas se dá no meio acadêmico. Ilustres soluções para os problemas do mundo foram possíveis devido aos estudantes e sua capacidade de aderir ao novo, criar o novo e colocá-lo em prática para beneficiar o meio ambiente, a tecnologia, a engenharia e o homem como corpo, mente e emoções.  

Ao mesmo tempo, a educação está migrando de um modelo de transmissão de conhecimento para o compartilhamento de informações e experiências, de forma transversal e invertida. É certo que todo o mestre, na posição de líder, não apenas repassa o conhecimento, mas ensina o seu aluno e ser tão bom ou melhor que ele, ou mesmo ensina a buscar como e onde ser cada vez melhor.

E hoje, já temos a satisfação de viver a educação do futuro. Algo que quando eu era criança jamais imaginaria. As universidades estão ensinando de forma híbrida e holística, propiciando que a formação de competências do estudante aconteça porque ele também é o autor dessa educação, como parte integrante do processo de desenvolvimento da própria universidade. O produto dessa equação é uma soma de possibilidades da academia, do estudante protagonista e da iniciativa privada, como provedora de recursos financeiros e oportunidades de implantação real.

A FAE Centro Universitário realizou no mês de maio de 2019  mais uma edição da Workatona – uma maratona de trabalho real feito por estudantes, com mentoria de professores e profissionais de mercado, com o objetivo de resolver um problema corporativo real.

Chamada de sala invertida, a Workatona é um imenso laboratório de vida humana, onde mais de 500 alunos e ex-alunos da instituição se encontram para resolver uma missão empreendedora. O diferencial da maratona é justamente executar em poucas horas algo que em muitas empresas é bastante complexo: apresentar soluções para o problema rapidamente, aprender em equipe, trabalhar sob pressão, inovar e ter atitude empreendedora.

Existe competição e premiação, mas o ganho é verdadeiramente de todos, já que os estudantes têm a oportunidade de trocar conhecimento, obter informação, ter a possibilidade de obter bolsas de estudos e até de ser contratado pela empresa parceira do evento, além de gerar valor para a sociedade, por meio do seu próprio aperfeiçoamento.

É justamente isso que a academia quer provocar e estimular: estudantes capazes de se transformar em solucionadores de problemas sem medo, inclusive, de tentar e continuar persistindo, pois entre tantas possibilidades e soluções apresentadas, apenas uma é escolhida.

Esse é o nosso mundo corporativo real: todos temos produtos, soluções e serviços que muitas vezes são muito bons e podem até ser os melhores que existem, mas o desafio está em saber para quem serve, para que tipo de empresas existe e quais problemas queremos resolver. É entregar para o mundo corporativo tanta inovação quanto se produz e deseja, de forma sustentável e altamente promissora.
 

 

Comunidade Sebrae
Suzane Marie
Suzane Marie Seguir

Sou jornalista, MEI e gerente de comunidades da Comunidade Sebrae!

Ler matéria completa
Indicados para você