[ editar artigo]

O FUTURO E O PRESENTE DA CONSTRUÇÃO CIVIL: um Organismo Vivo de dificuldades, desafios e Inovações...

O FUTURO E O PRESENTE DA CONSTRUÇÃO CIVIL: um Organismo Vivo de dificuldades, desafios e Inovações...

Olá amigos da Construção Civil.

Em continuidade ao nosso espaço, destinado a discutir, pensar e repensar a construção civil, invoco a principal dificuldade da indústria da construção brasileira: a inovação. O Brasil, na construção civil, enfrenta um GAP duplo: o primeiro se dá em relação à produtividade da economia do país, o segundo, refere-se à média da produtividade na construção dos 17 países, em pesquisa encomendada pelo SINDUSCON/SP junto a FGV.

Inovar na construção é um desafio enorme em nosso país. Afinal, “não adianta nada ter uma empresa produtiva em um ambiente improdutivo, pois isso limita a concorrência” (Eduardo Zaidan, vice-presidente do SindusCon-SP). Apesar de não concordar em termos absolutos com essa afirmação, ela tem seu caráter de validade e corrobora com o fato de ser extremamente difícil inovar em terras tupiniquins.

Ana Maria de Castro, da FGV, completa: "há, sem dúvida, um trabalho interno que as empresas precisam fazer”. Segundo ela, esse esforço passa por questões como (a) métodos eficientes de gestão, (b) qualificação da mão de obra, (c) organização do canteiro, (d) otimização do processo produtivo e (f) fornecimento de materiais à indústria e sub empreiteiros. A esses tópicos, acrescento, (g) sistemas de crédito eficiente em todas as esferas da cadeia, (h) ampliação de ferramentas de tecnologias aplicadas (construtech e proptech - sugiro ler os posts: https://comunidadesebrae.com.br/construtech/o-que-e-proptech e https://comunidadesebrae.com.br/construtech/parcerias-de-valor-o-mercado-das-construtechs-e-proptechs e a matéria do NYT: Seeking an Edge, Developers and Investors Turn to ‘Proptech’, em: https://www.nytimes.com/2019/05/07/business/proptech-real-estate-technology.html?searchResultPosition=1)

Empreendedores no Brasil afora tem se movimentado no sentido de resolver ou  atenuar a questão da inovação no cenário nacional. Empresas como o Juntos Somos Mais (aparentemente, problemas a, b, f), ConstruLearning (a, b, d, h), Coteaqui (a, c, d, f, h), Molegolar (d, h), Construcode (a, c, d, h), Constructweb (a, c, d, h), e por ai vai. A TerraCotta Ventures fez um levantamento das construtechs em atividade no território brasileiro.

No mapeamento deste ano, foram identificadas 702 startups Construtechs e Proptechs no país, representando um crescimento de 23% em relação ao ano anterior e 180% em relação ao primeiro mapeamento (2017).

Podemos acrescer ainda, as iniciativas que encontram-se incubadas em empresas do setor e que ainda estão ganhando vida própria, o caso da ConstruLearning (www.construlearning.com.br), da Artefácil (www.artefacil.com.br)  e da Concreposte (www.concreposte.com.br). A primeira, fruto do joint venture entre a ConstruLiga e a Ethos Soluções, provendo educação e conteúdo corporativo para o setor de construção. A segunda, tem uma iniciativa muito bacana em termos de operação: a empresa não vende tubo ou caixas, vendo o sistema hidrosanitário como um todo - a solução do problema, não o produto. A terceira empresa monitora todos postes, da produção até o cliente (inclusive a colocação). Isso permite de forma simples, identificar características das peças a luz do tempo. Três iniciativas de empresas do setor que geram impactos no dia a dia do setor e dos clientes.

Pode parecer pouco ou até insipiente em relação a outros setores. Porém, para quem conhece a construção no Brasil, suas dificuldades e problemáticas, se assusta com a velocidade das iniciativas. O setor sempre se caracterizou por uma busca de conhecimento. A Ethos Soluções, a ABCP e o Sebrae, realizam anualmente diversas missões empresariais, que já levaram centenas de empresários para conhecer tecnologias de ponta para o setor. O desejo já existe, porém o que temos agora são start ups e iniciativas gerando respostas ao setor.

"Uma maneira é comprar soluções para melhorar a eficiência. (...) Outra é desenvolver soluções próprias internamente ou criar fundos de capital de risco dentro da empresa que co-investirão em soluções"

Tomasz Piskorski - Columbia Business School

Esse caminho não tem mais volta, tendendo a crescer exponencialmente - transformando o setor de construção no novo "eldorado" da tecnologia.

Estamos caminhando para o futuro e o futuro é agora...

 

CONSTRUTECH - Tecnologias da construção civil e inovações para o mercado imobiliário.

Comunidade Sebrae
Filipe Honorato
Filipe Honorato Seguir

Empreendedor, palestrante, mentor, inovador, leitor voraz, pai de família, marido apaixonado e consultor. @mundoconcreto_

Ler conteúdo completo
Indicados para você