[ editar artigo]

O que é Engenharia Diagnóstica?

O que é Engenharia Diagnóstica?

Engenharia Diagnóstica é o nome dado a formação profissional técnica, baseada na engenharia civil (e na arquitetura), resultando em um título de pós-graduação em latu-sensu. Este tipo de profissional tem sido necessário porque os prédios estão ficando velhos, ou mesmo passando por acidentes como incêndios, e eles precisam de cuidados especiais para garantir a segurança aos usuários e a estabilidade da edificação, prolongando a sua vida útil (VU), como uma manutenção adequada.

A pós-graduação de Engenharia Diagnóstica tem outros nomes como Engenharia Legal, Engenharia Patológica ou Patologias e Diagnósticos, há diversas escolas que oferecem conhecimento suficiente e necessário, capacitando o especialista em cuidar do prédio/edifício ou qualquer construção (como pontes, viadutos, rodovias, aeroportos), entendendo e descobrindo as razões dos defeitos, falhas e vícios, apontando as melhores soluções para conserto e principalmente para garantia de segurança e estabilidade da edificação. 

Um curso para formar um engenheiro diagnóstico, ou às vezes chamado como engenheiro patologista, conta com as cadeiras de:

  • Engenharia diagnóstica
  • Vistorias, auditorias e inspeções na engenharia diagnóstica
  • Perícias e consultorias na engenharia diagnóstica
  • Introdução à patologia das construções aplicada à elaboração de perícias de engenharia
  • Prova pericial no direito imobiliário
  • Mecanismos de degradação dos elementos construtivos
  • Patologia das fundações, contenções, solos e obras de terra
  • Patologia das estruturas (projeto, concreto, aço, técnicas e equipamentos de análise destrutiva e não destrutiva)
  • Reparo, recuperação e reforço das estruturas de concreto
  • Patologia das vedações (paredes, janelas, portas)
  • Patologia dos revestimentos argamassados
  • Patologia dos revestimentos cerâmicos e de pedras naturais
  • Efeito da umidade sobre as construções e impermeabilizações
  • Metodologia científica (resolução CNE/CES 01 de 06/04/2018, o aluno pode optar pela não realização, pois o TCC não é obrigatório)
  • Patologia dos sistemas hidráulicos e sanitários
  • Patologia das instalações elétricas
  • Patologia dos pavimentos rígidos
  • Patologia dos pavimentos flexíveis

Existe uma forte relação com a área de medicina, sendo arte de criar ações (atividades) pró-ativas, por meio dos diagnósticos (análise), prognósticos (expectativa de evolução) e prescrições técnicas (escolha de soluções), visando a QUALIDADE TOTAL, prolongando a vida útil e a correta finalidade do empreendimento. O engenheiro diagnóstico é o “médico” do prédio. E neste escopo, busca origem sobre rachaduras, razão do aparecimento da vegetação em áreas do edifício, marcas escuras de mofo e bolor, marcas brancas de cristalização no emboço, estampados na cor marrom, devido a corrosão de armaduras. Ainda existem atividades como indicar os níveis de desempenho que podem ser mínimo, intermediário ou superior, como estabelece a NBR 15.575 da ABNT,

Evolução histórica da Engenharia Diagnostica

Evolução histórica da Engenharia Diagnóstica

Historicamente há ondas cíclicas que tem se tornando cada vez mais importantes para a área de edificação, como em 1999, quando surgiram as primeiras INSPEÇÕES PREDIAIS, em que se buscava a anomalia funcional, através de Vistoria.

Em 2003, surgiu a AUDITORIA PREDIAL, com estabelecimento das Normas Técnicas (ABNT) e que prestam a realizar o aceite ou não, dentro da concepção de existir conformidades e não conformidades.

Merece todo o mérito, o professor e engenheiro Tito Lívio Ferreira Gomide, precursor das palavras de engenharia diagnóstica no Brasil (trazidas de Portugal), sendo que ele percorreu os vários CREAs do país, palestrando e plantando o conceito de “PPEU” lançado em seu livro de 2005 da obra “Engenharia Diagnóstica de Edificações”, realizando em conjunto com Marco Antonio Gullo e Jeronimo Cabral. E que em 2015 evoluiu para o “PPEEU” e que no livro “Manual de Engenharia Diagnóstica” de 2018, passou a tratar como “PPEEURD”, que são as iniciais das fases de:

  • Planejamento,
  • Projeto,
  • execução,
  • Entrega de Obra,
  • Uso,
  • Reabilitação,
  • Desconstrução .

Engenharia Diagnóstica para os edifícios

PPEEURD

Em 2005, as palavras “Engenharia Diagnóstica” se concretizaram com sendo uma série de procedimentos claros de diagnose (análise), que é a anamnese do prédio/edifício através de procedimentos técnicos como a garantia e segurança.

Existem diversas etapas ou partes da análise técnica que este tipo de engenharia estabelece:

VISTORIA

• é a iniciação unida à percepção, para a constatação técnica de determinado fato (falha, vício ou defeito), condição ou direito relativo a um objeto.

INSPEÇÃO

• é a intuição unida à análise técnica de fato, condição ou direito relativo a um objeto.

AUDITORIA

• é a inter-relação com as referências técnicas (ABNT) para criar o atestamento, ou não, da conformidade de um fato, condição ou direito relativo a um objeto.

PERÍCIA

• é a conclusão (inferências) como apuração técnica das origens, causas e mecanismos de ação de um fato, condição ou direito relativo a um objeto.

CONSULTORIA

• é o prognóstico (determinação de coo irá evoluir o defeito/falha) e a prescrição técnica a respeito de um fato, condição ou direito relativo a um objeto.

  • Engenharia diagnóstica na avaliação da fachada

    Risco de queda da Fachada

  • engenharia diagnostica na estrutura de concreto

    Corrosão da Armadura

Engenharia Diagnóstica oferece conhecimento para obter a origem das falhas e defeitos

Este tipo de engenharia oferece os muitos instrumentos para que se consiga realizar a investigação técnica das manifestações patológicas prediais, segundo diretrizes técnicas, para a primorar a qualidade e determinar as responsabilidades, portanto, avalia as anomalias construtivas, falhas de manutenção e mesmo irregularidades quanto a forma e uso.

E então é necessário aliar técnicas da Engenharia, através de metodologia científica para descobrir as causas das falhas, vícios ou defeitos. Emprega-se:

  • Análise baseada na sensibilidade individual como a visão, tato, olfato e audição;
  • Uso de réguas, escalas, trenas, como instrumentos para medição;
  • Imagens (gravação com drone, por exemplo);
  • Técnicas de apoio como esclerometria (equipamento para medição da resistência do concreto), ou testes de arrancamento (para revestimentos externos) ou busca por som cavo (som de oco ou de chocho);
  • Uso de equipamento de análise da corrente elétrica para avaliar a corrosão do aço;
  • Uso de reagentes como fenolftaleína para avaliar o grau de alcalinidade do concreto;
  • Raio-X, com equipamento de energia nuclear, entre outros

A sabedoria popular nos lembra, “é melhor prevenir que remediar”. Então, é cuidando que se consegue o melhor da qualidade e funcionalidade da edificação, a um custo justo.

Temos o livro ENSAIOS TECNOLÓGICOS EM PRÉDIOS ANTIGOS: ESTUDO DE CASO: PRÉDIO INTERDITADO DE 66 ANOS DE IDADE que é um livro científico, aponta o caso de envelhecimento das grandes cidades, seus prédios e as diversas anomalias nestas edificações (manifestações patológicas) sobre o campo da atividade de engenharia diagnóstica. Este livro está disponível na Amazon. Nele ainda temos os tipos de ensaios e os custos em se fazer as análises necessárias.

Engenharia DiagnostiKa é empresa especializada que trata exatamente deste assunto, a prevenção das falhas, correção dos defeitos e vícios e apura as responsabilidades, bem como determina as formas de correção. Contate-nos para uma avaliação técnica.

CONSTRUTECH - Tecnologias da construção civil e inovações para o mercado imobiliário.

Comunidade Sebrae
ILIMAR CANDIDO KASPER
ILIMAR CANDIDO KASPER Seguir

Engenheiro civil há mais de 30 anos, pós graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho, Gestão em Engenharia Ambiental, MBA em Ergonomia de Processos e Produtos, pós graduação em Engenharia Diagnóstica, é CEO & Fundador da Engenharia DiagnostiKa

Ler conteúdo completo
Indicados para você