[ editar artigo]

Refletindo sobre conflito de gerações

Refletindo sobre conflito de gerações

Em agosto, publiquei este texto no meu perfil do Linkedin. Ao final, vou explicar o que ele tem a ver com o profissional de Customer Success.

"Sabe que uma coisa que não me chamava muito a atenção era quando falavam que eu era da geração tal, que quem era mais novo ou mais velho que eu já pertencia a geração tal+ ou tal-, etc. Porém, a coisa foi começando a fazer sentido quando, trabalhando com recrutamento e seleção, eu estava tendo que contratar profissionais com uma boa diferença de idade em relação à minha. E não era somente e apenas isso: eles tinham desejos e aspirações muito diferentes das minhas quando eu tinha a mesma idade que eles.

Mas isso até que não era ruim. Esse pessoal me parecia muito antenado, com grande vontade de curtir a vida com a grana que ganhavam, ao invés de mim, que queria comprar carro e apartamento. A sua motivação era: sempre estudar muito porque isso atrai os melhores salários e consequentemente possibilita a realização de sonhos materiais, quase sempre voltados a experiências como viagens e mais conhecimento.

Trabalhei numa Companhia em que muitos dos cargos de gestão eram ocupados por profissionais mais jovens que eu e isso começou a me incomodar. Entrei num dilema existencial tipo 'ah, eles devem ter tido maiores oportunidades', 'ah, a família deles tinha condições de pagar boas escolas', 'ah, tiveram oportunidade de estudar fora', 'ah', 'ah', 'ah',... Foi aí que eu entendi que se eu continuasse nessa de ficar justificando o porquê de eu não estar na mesma condição de oportunidade nunca sairia da condição de vítima; meu comodismo não me deixava enxergar o quanto eu poderia estar usufruindo se tivesse um foco.

Então tudo ficou muito claro: a forma que eu tinha de poder competir em igualdade era me capacitando, estudando e principalmente parando de me comparar e buscando o meu próprio lugar.

E nessa vibe, em 2017 eu tive uma grata surpresa na minha turma de MBA. Pelo menos a metade dela tinha até 25, 26 anos (eu já estava com 43), tinha acabado de concluir a graduação e estava começando seus vôos profissionais mais altos. A sintonia entre nós foi a melhor possível (eles, com a energia da juventude; eu e os meus colegas mais 'experientes', com a nossa vivência e todo mundo era super feliz nas confraternizações ao final de cada módulo).

Este ano também está sendo fantástico. A empresa onde trabalho realizou meu sonho de estudar matemática pelo método Kumon e adivinhem: meus 'coleguinhas' têm de 7 a 14 anos! Minha professora tem menos da metade da minha idade!

Que lição eu aprendi de tudo isso? Conflito de gerações existe quando falta respeito e tolerância. Há coisas boas e outras nem tanto em todas as faixas etárias. No mais, cada um tem uma história, uma forma de ver o mundo e isso é excelente para enriquecer nossas relações. Como disse Einstein, 'a mente que se abre a uma nova ideia jamais volta ao seu tamanho original' e isso independe se você tem 5, 50 ou 100 anos."

Pois então. Se você tem uma relativa experiência profissional, isso vai te ajudar bastante se você optar pela carreira como Customer Success, mas não servirá de nada se não fizer um esforço para entender o pensamento da "miscelânea  etária" que existe em qualquer Organização. Desde as mais tradicionais (com culturas mais paternalistas) até as startups (com culturas mais liberais), o desafio é exatamente o mesmo: entender o que moverá cada um a ter vontade de atingir um mesmo objetivo.

Há um tripé que tem me fascinado nesta minha pesquisa: a empresa precisa ter um propósito (sabe aquilo que chamam de "Missão", que normalmente fica pendurada na parede? Então, só que com uma abordagem beeeeeeem mais profunda...); os funcionários, que também precisam ter objetivos pessoais e valores similares aos dela; consequentemente, os Clientes se sentirão atraídos aos seus produtos e serviços por sentirem que há verdade em tudo o que a empresa e os funcionários fazem.

Resumindo:

  1. O CS é para todos os que têm um pensamento livre de preconceitos e muita vontade de servir à empresa, aos colegas e aos clientes;
  2. Qualquer profissional, para se manter ativo, precisa estar atualizado. O profissional de CS, em especial, precisa gostar de aprender, de se relacionar, tem que ter uma rotina regular de estudos e muita resiliência para mostrar o quanto uma cultura baseada em CS é benéfica para todos. Isso é super legal porque ao incluir também palestras e eventos, ganha uma oportunidade-bônus de conhecer gente de todas as idades e assim diversificar seu network;
  3. Inteligência emocional é algo que se deve cultivar todos os dias. Cuide da sua saúde mental, física e da qualidade dos seus relacionamentos. Não há competência mais importante a ser observada do que essa.

Comunidade Sebrae
Mareline Kessy de Lima
Mareline Kessy de Lima Seguir

Curitibana, feliz da vida! :) Minha experiência tem um pouco de área Comercial, Marketing, Comunicação, RH e Projetos, mas principalmente relacionamentos, os quais me levaram a caminhos onde eu jamais chegaria sozinha. www.linkedin.com/in/kessylima

Ler matéria completa
Indicados para você