[ editar artigo]

Burnout do professor: como cuidar com o esgotamento profissional

Burnout do professor: como cuidar com o esgotamento profissional

Todos nós sabemos o quanto o dia a dia docente é desafiador.

Hoje, vivemos uma realidade em que os desafios continuam, mas aparecem na rotina com novos formatos e dinâmicas. Se, antes, precisávamos conquistar e manter a atenção dos alunos em sala de aula, agora, o desgaste acaba surgindo com o excesso de tarefas, a adaptação às ferramentas virtuais, a preparação de aulas em uma proposta diferente e o maior desafio de todos: manter o aluno conectado e interessado pelo conteúdo remoto.

Com todo esse novo cenário, o cuidado precisa ser redobrado para que o desgaste e o cansaço não se tornem um problema mais sério: o burnout.

Neste artigo, compartilho com você minhas reflexões sobre o tema.

Como o burnout pode afetar o professor?

O burnout também é conhecido como Síndrome do Esgotamento Profissional – e o nome já explica muito por si só. Trata-se de um estado emocional que deriva de uma exaustão extrema, um esgotamento físico e mental por conta do trabalho.

A quarentena é um período de risco para os professores, já que a nova dinâmica traz um acúmulo de funções. O tempo de preparação das aulas costuma ser maior e o período de dedicação aos alunos e aos pais também pode ultrapassar o período normal de trabalho. Somam-se a isso, ainda, as atividades domésticas e da família e a organização pessoal.

O burnout não é apenas cansaço, é corpo e mente levados ao limite. Por isso, precisamos nos cuidar mais do que nunca para não chegar nesse tipo de situação.

Como evitar o burnout na quarentena?

O período de isolamento social fez com que todo mundo tivesse que se adaptar. E, quando falamos do professor, essa realidade é ainda mais forte. A quarentena pausou as aulas presenciais em todo o país e muitos profissionais ainda não têm uma perspectiva de quando elas de fato serão retomadas nas escolas.

Se você também faz parte da parcela de professores que teve a rotina virada de cabeça para baixo, confira as dicas que compartilho com você aqui:

  • Termine seu dia de trabalho preparando como será seu dia seguinte. Coloque na sua lista de tarefas apenas o que você consegue dar conta e deixe espaço para imprevistos.
  • Prepare um ambiente de trabalho confortável e organizado.
  • Faça pausas durante o trabalho, saia do cômodo em que você fica a maior parte do tempo e alongue seu corpo.
  • Hidrate-se durante o dia e cuide da sua voz.
  • Defina horários de trabalho e horários de descanso – e faça de tudo para cumpri-los!
  • Tente manter uma rotina de sono adequada e de qualidade.
  • Se sentir necessidade, procure ajuda profissional.

O trabalho é parte fundamental da nossa vida e ele deve ser algo que contribui para o seu crescimento. Não o deixe levá-lo ao limite.

E você, que forma tem encontrado para equilibrar a dinâmica nessa fase? Compartilhe comigo!

Desafios da Educação

Comunidade Sebrae
Juliana Bacilla
Juliana Bacilla Seguir

Consultora de Negócios em Educação Empreendedora no Sebrae/PR.

Ler conteúdo completo
Indicados para você