[ editar artigo]

Empreendedorismo Social – Os atores envolvidos e a prática! – Parte 2

Empreendedorismo Social – Os atores envolvidos e a prática! – Parte 2

Depois de entendermos o conceito do empreendedorismo social e entender sua viabilidade, apresentado no primeiro artigo, como podemos nos preparar para disseminar esse conhecimento e construir, quem sabe muitos estudantes, professores e gestores empreendedores sociais?

O desenvolvimento da consciência de que, empreender desde a adolescência é importante e necessário, traz um impacto fundamental na vida de nossos jovens e na sociedade de modo geral, com este novo mindset.

ENTÃO, QUAL É O PAPEL DIFERENCIADO DO EMPREENDEDOR SOCIAL?

  1. Colaborar com as comunidades locais: Os empreendedores sociais investem em parcerias com os governos das comunidades locais, empresas e instituições de caridade. Por meio dessas iniciativas, eles focam em questões como saúde pública, agricultura e educação pública.
  2. Solucionar problemas em larga escala: Os empreendedores sociais procuram identificar quais são os principais problemas existentes na sociedade, a fim de propor novas alternativas para solucioná-los, promovendo uma série de mudanças.
  3. Valores sociais acima de qualquer tipo de lucro: Diferentemente da maioria dos empresários convencionais, a nova geração do empreendedorismo social valoriza as mudanças em prol do benefício da sociedade acima de qualquer fim lucrativo.
  4. Solucionar problemas em longo prazo: O trabalho do empreendedorismo social é voltado para efeitos com nível de excelência, que provoquem mudanças e impactos positivos em médio e longo prazo.

Mas, acima de tudo o empreendedorismo social sempre objetiva que todos os atores envolvidos ganhem. Acredito muito que essa prática colaborativa daqui para frente, deve estar muito mais presente em nossa economia, nossa educação, na preparação profissional nas próximas décadas, assim como, em políticas de estímulo ao desenvolvimento socioeconômico. Essa já é uma reação percebida na volta da economia, depois do isolamento social.

E na prática - A melhor maneira de analisar o cenário do empreendedorismo social e entender como é possível impactar a sociedade é conhecendo projetos que deram certo. Existem alguns empreendedores sociais brasileiros que se destacam pela lucratividade e grande impacto de transformação social. Listamos 6 iniciativas, como inspiração:

  1. EU EMPREENDO - Uma Plataforma Digital Gamificada (Campo Grande-MS) para desenvolvimento de inovação e empreendedorismo nas escolas – Foi criada para possibilitar as escolas, o acesso à solução inovadora, baseada em Metodologias Ativas de Aprendizagem, Empatia e Simuladores de Tomadas de Decisões, para a evolução das habilidades sócio emocionais nos alunos e professores. Eu Empreendo desenvolve o empreendedorismo em jovens de escolas públicas desde 2011, e já formou 7 turmas no Sul e no Centro-oeste. Atualmente desenvolve as habilidades sócio emocionais, protagonismo e independência através de uma Plataforma Digital Gamificada e um Simulador para tomada de Decisões Empresariais que geram engajamento, motivação e aprendizado aos estudantes. Fonte: www.euempreendo.org.br   
  2. O CIEE – Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná – Há 52 anos atuando para diminuir o descompasso entre a formação profissional e a capacitação do estudante para ingressar ao mercado de trabalho. Atua em várias frentes hoje e se mantem com parcerias e apoio inclusive da FIEPO, ACP, Secretaria de Educação do Estado e Instituições de Ensino Médio e Superior. Atualmente possui um conjunto de ações para reduzir as desigualdades sociais e econômicas, por meio de negócios que gerem não apenas lucro em dinheiro, mas tragam melhorias e bem estar para as pessoas, com oportunidades iguais para todos. Fonte: Site www.cieepr.org.br
  3. INSTITUTO CHAPADA - Iniciativa que tem como mentora e principal líder a pedagoga Cybele Oliveira, é uma organização focada em ajudar a melhorar a qualidade da educação pública. A entidade faz isso oferecendo, principalmente, apoio à formação continuada de professores e gestores de escolas. Além disso, auxilia a criação de redes colaborativas voltada a fortalecer o ensino formal e políticas púbicas de educação. Fonte: Site - www.institutochapada.org.br
  4. ASHOKA - É uma organização sem fins lucrativos que lidera um movimento global para criar um mundo no qual todas e todos se reconheçam como agentes de transformação positiva na sociedade. Criada em 1980 na Índia e presente desde 1986 no Brasil, considerada a 5ª ONG de maior impacto social no mundo, segundo a publicação suíça NGO Advisor. Atua como um elo de pessoas, de organizações e de setores. Com mais de 3.500 empreendedores sociais no mundo todo, 376 no Brasil, e 300 Escolas Transformadoras, 18 delas no Brasil. Fonte: www.ashoka.org.br  
  5. FA.VELA – É uma iniciativa que iniciou suas atividades em 2014 no Morro do Papagaio – Uma das maiores favelas de Belo Horizonte, liderados por empreendedora/es sociais negra/os, LGBTs e periférica/os. Trabalha em prol dos objetivos de 1 – Erradicação da pobreza e 4- Educação de qualidade.  Possui entre tantas ações, uma rede de mais de 200 empreendedores na gestão de comunidade ativa empreendedora, participantes de projetos voluntários, parceiros e profissionais para fomentar a cultura empreendedora social na favela. Fonte: Site - www.favela.org.br.
  6. ASID - Iniciada como trabalho de faculdade, a Ação Social para Igualdade das Diferenças atua desde 2010 com um compromisso central: auxiliar na gestão de escolas e instituições que trabalham com pessoas especiais. Alexandre Amorim, Luiz Ribas e Diego Moreira conduzem a organização, que desenvolveu uma metodologia administrativa que aplicam nas entidades atendidas, com o objetivo de melhorar a qualidade do ensino gratuito oferecido a pessoas especiais. Fonte: www.asidbrasil.org.br/

Outra iniciativa motivadora é o Prêmio Empreendedor Social da Fundação Schwab, há 15 anos premiando, com voto popular, os melhores empreendedores sociais no setor público e privado. Este prêmio é conduzido pelo Jornal A Folha de SP.

CARACTERÍSTICAS DO EMPREENDEDOR SOCIAL

O empreendedorismo social está em alta nesse momento da sociedade, e funciona pela iniciativa de empreendedores que enxergam as necessidades das outras pessoas, motivados pelo altruísmo. O empreendedor social gera valor para a sociedade em primeiro lugar, e por isso atrai as pessoas que aderem a ideia, parceiros e oportunidades.

Algumas características e competências:

  1. São sensíveis e focados no benefício da população de baixa renda;
  2. Sabem fazer gestão eficiente para o sucesso do negócio;
  3. Sabem trabalhar de modo empresarial para resolver problemas sociais – analisando e planejando a solução;
  4. Têm senso de solidariedade;
  5. São empáticos;
  6. São realizadores;
  7. Acreditam no impacto social relacionado à atividade principal;
  8. Se lançam em inovação, adaptação e aprendizado contínuos;
  9. São ousados e criativos;
  10. Têm senso de responsabilidade tanto com seus públicos quanto com os resultados.

Para começar a desenvolver uma ideia de empreendedorismo social, primeiro é preciso encontrar um problema social a ser solucionado. Alguns pontos podem nos inspirar:

  1. Geração de renda às famílias, à partir de suas casas.
  2. Revitalização de comunidades à partir da sua capacidade
  3. Saneamento e distribuição de energia
  4. Atendimento popular de advogados
  5. Consultas médicas, psicológicas e odontológicas acessíveis
  6. Inclusão digital – acesso ao ensino a distância
  7. Artesanato e centros de distribuição
  8. Agricultura – plantio doméstico (ex.: hortas comunitárias)
  9. Reciclagem

Após conhecermos os conceitos, o perfil do empreendedor social, as necessidades e oportunidades de empreender, além das práticas consolidadas pelo Brasil afora, desejamos que a inspiração seja o NOSSO CONVITE AOS NOSSOS GESTORES, EDUCADORES, ESTUDANTES E FAMILIARES, para um pensamento voltado à nova realidade. Principalmente no cenário que nos encontramos, para a construção da “volta ao normal”, que não será mais o nosso “normal de antes”, mas, um normal com novas necessidades, e estas, sim podem e precisam ser sanadas com ações de empreendedorismo social.

Para quem gostar do assunto, indicamos alguns livros sobre empreendedorismo social:

  • Criando um negócio social – de Muhammad Yunus.
  • Mude, você, o mundo: manual do empreendedorismo social – de Gabriel Cardoso.
  • De Dentro Para Fora: Como uma geração de ativistas está injetando propósito nos negócios e reinventando o capitalismo – de Alexandre Teixeira.
  • Um Mundo sem Pobreza – Muhammad Yunus.
  • Comece algo que faça a diferença – Blake MycoskieMycoskie.

Contem com o apoio da Educação Empreendedora do Sebrae, que pode contribuir neste processo de transformação. Comente suas percepções sobre esses temas.

Fale com o Sebrae pelo e-mail da Juliana - jsouza@pr.sebrae.com.br.

 

Irene Hoffelder Vioti - Consultora, palestrante e escritora nas áreas: Estratégia empresarial, sustentabilidade, inovação e storytelling empresarial.

Desafios da Educação

Comunidade Sebrae
Irene Hoffelder Vioti
Irene Hoffelder Vioti Seguir

Mestranda em Administração Estratégica de Negócios pela UNAM - Universidad Nacional de Misiones - Argentina. Consultora, palestrante, instrutora e escritora nas áreas: Estratégia empresarial, sustentabilidade, inovação e storytelling empresarial.

Ler conteúdo completo
Indicados para você