[ editar artigo]

Os desafios da alfabetização digital nas escolas

Os desafios da alfabetização digital nas escolas

Conforme a internet e os dispositivos eletrônicos evoluem e ganham presença nas nossas vidas, a alfabetização digital fica mais desafiadora. Afinal, as possibilidades (e, também, os riscos) se tornam mais numerosas a cada dia que passa, e é preciso preparar as crianças e os jovens para lidar com esse cenário da melhor maneira possível.

Em Junho de 2020, o Brasil tinha 424 milhões de dispositivos digitais em uso, de acordo com um estudo feito pela FGV EAESP. Smartphones, tablets, notebooks… Alfabetização digital é prioritária. Mas por onde começar?

Preparando o terreno

Existem pelo menos três temas para a alfabetização digital: os dispositivos, a internet, e os aplicativos/programas. É importante ter uma boa estrutura em sua instituição, com computadores atualizados, licenças de softwares e uma conexão rápida com a internet para poder trabalhar com os alunos. Cada instituição tem os seus limites, naturalmente, e é preciso levá-los em conta na hora de montar a estrutura.

As tecnologias são recursos valiosos para o aprendizado de maneira ampla, não simples instrumentos para resolver problemas específicos. Um processador de texto como o Microsoft Word, por exemplo, não serve só para "escrever textos" – ele permite que você organize e comunique ideias com palavras e imagens. Explorar esse tipo de potencial, ajudando seus alunos a desenvolver habilidades de comunicação, raciocínio lógico, criatividade etc. deve estar entre as metas do seu plano de alfabetização digital.

É como a leitura, que não serve apenas para obter informação escrita, mas ajuda a expandir a mente da pessoa.

União e responsabilidade

A conectividade é um ponto-chave dos ambientes digitais e uma ótima base para promover trabalhos em equipe na sala de aula. Saber dialogar, ouvir, trocar conhecimentos e colaborar para uma solução conjunta são práticas que podem tornar o "mundo virtual" muito melhor. Há programas e plataformas voltados para isso e que podem ser usados pelo professor.

Também é fundamental ensinar os alunos a se manterem seguros em ambiente virtual – podendo ser necessário restringir acesso a determinados conteúdos e programas. Como tudo na vida, o mundo digital tem seu lado ruim, e os alunos devem estar preparados para lidar com ele para não serem vítimas de usuários mal intencionados.

Por fim, outro aspecto da alfabetização digital que merece espaço em sala de aula é o da criação e desenvolvimento de dispositivos e aplicativos. Saber programar tende a ser uma habilidade cada vez mais valorizada no mercado de trabalho, além de ajudar a desenvolver a mente para solucionar problemas de maneira inovadora e criativa.

Quer saber mais sobre alfabetização digital? Tem alguma experiência para compartilhar? Deixe seu comentário!

Desafios da Educação

Comunidade Sebrae
Juliana Bacilla
Juliana Bacilla Seguir

Consultora de Negócios em Educação Empreendedora no Sebrae/PR.

Ler conteúdo completo
Indicados para você