[ editar artigo]

PROFESSOR - VOCÊ ESTÁ PREPARADO PARA O FUTURO?

PROFESSOR - VOCÊ ESTÁ PREPARADO PARA O FUTURO?

Nossas mentes estão aceleradas e com muitos pensamentos sobre o que virá no FUTURO. Só devemos lembrar que este FUTURO, pode ser daqui uma semana, um mês, um ano!  O futuro não está mais tão longe como em outros momentos. Nesta pandemia, é visível o surgimento de mudanças comportamentais que aceleram em massa e que obrigam as instituições a repensar a forma que são realizadas suas ações. É desafiador, mas é uma grande oportunidade!

Se algumas das tendências pareciam longe de se tornarem reais, o COVID19 que nos levou ao isolamento, parece agora, torná-las em comportamentos normais. E este, pode ser o sinal do que vamos valorizar num mundo pós COVID19, através do comportamento, habilidades e expectativas das pessoas, o que também impactará na necessidade de trazermos uma educação mais empreendedora na agenda de salas de aula.

Para tanto, apontamos para 10 tendências pós COVID - 19 que podem mudar o formato da educação.

  1. Aumento dos serviços virtuais e e-commerce - Já vivíamos numa economia do e-commerce (comércio eletrônico) e a inclusão da inteligência artificial. Porém, dentre tantas inovações surgindo, a nova necessidade é de que as escolas terão sua plataforma de educação a distância trabalhando em sintonia com aulas presenciais. Mudanças também ocorrem na legislação e no formato de levar o conhecimento aos alunos, pois serão necessários.
  2. Aumento de adeptos a cultura “home office- Ajustes na legislação trabalhista e consequentemente refletindo na forma presencial de ministrar aulas. Foram necessários para a sobrevivência de muitos negócios inclusive na instituição escola, refletindo nos estudos dos alunos (penso na quantidade de aulas que foram dadas no país no período da quarentena, à partir da casa de professores). Podemos aproveitar-nos deste cenário para estimular ainda mais a educação empreendedora com o aluno, que promoverá esta cultura também em casa.   
  3. Melhoria nos equipamentos e prevenções de saúde – Aprendemos a agir com novos hábitos de higiene. Hospitais, clinicas e profissionais da saúde tiveram que se adequar melhorando a estrutura oferecendo melhores condições a população. Todas as instituições e sociedade, tiveram que se adequar e a prevenção da saúde, passa a ser assunto de todos e não mais, só de um setor (saúde). E a educação, será o grande elo da nova consciência a ser criada para as atuais e novas gerações, pois viver em ambientes saudáveis passará a ser também uma das prioridades da população.
  4. Valorização da família e pequenos atos, como o ir e vir -  Nesse aspecto, o impacto é maior que imaginamos, pois nossa geração nunca havia experimentado viver somente em casa o tempo todo com sua família. Demandava na sociedade essa valorização do papel da família, independente do seu formato, mas dos valores humanos familiares e da educação familiar. As instituições educacionais poderão ser muito felizes e inovadoras se, ajustarem este termômetro com a educação na escola, aproveitando para incrementar em um método de educação inclusivo, mais participativo, de discussão de ideias, engajado, social, coletivo, participação como presença, espaço de participação das famílias na vida da escola, etc. Além de que, o clima organizacional e a cultura escolar passam ter essas famílias como coautores do processo ensino-aprendizagem do estudante. Também, implementar melhorias em mais projetos que estimulem o aluno a pensar como empreendedor consciente, é um bom caminho.
  5. Valorizar mais seu trabalho – O professor pode e precisa ser o grande promovedor de todas estas transformações que demandam. Ainda mais agora, onde a necessidade é de rapidamente construir uma nova consciência para que os estudantes construam sua formação acadêmica alinhada as novas demandas que o mercado de trabalho exigirá (citação da Primeira Ministra da Alemanha, Angela Merkel em pronunciamento - “Professores não são pessoas comuns e pessoas comuns não são professores. Por favor, não escolha ser professor até que você esteja preparado pra isso. Como eu posso comparar qualquer profissional com quem lhe ensinou?”).
  6. Tempo para colocar novos projetos em ação -  Já são apontadas por especialistas muitas novas profissões que ainda não existem, e um bom momento para estuda-las. Mas, não devemos esquecer que, também é tempo para a ampliação do conhecimento do professor de trabalhar num formato diferente. Estudar metodologias de educação a distância com assertividade no método de educar, é um bom projeto. Ex.: O Curso JEPP – Jovens Empreendedores Primeiros Passos, como projeto há muitos anos sendo implementado pelo Sebrae com excelentes resultados na educação. 
  7. Inovação em soluções para as novas necessidades - Segundo, Thomas Freedmann – no seu livro A Nova Ordem Política e Econômica Mundial, diz que: “É um momento para sermos aprendizes vitalícios e o melhor momento na história da humanidade para investir em novos modelos de negócios”. A cada problema, pelo menos uma nova necessidade surge e a cada nova necessidade, uma ou mais inovações existirão. Este é um cenário certo para os próximos meses e anos. E novamente a oportunidade na escola, do professor trabalhar a preparação do pensamento inovador e empreendedor do aluno. 
  8. Conscientização da importância de um caixa/finanças de emergência - Para empresas e pessoas, é um momento de melhorar este aspecto da nossa cultura. Criar uma consciência de educação financeira e melhor aproveitar os nossos recursos e nos educarmos para viver nos momentos mais difíceis, é um dos assuntos que podemos trabalhar dentro da pauta de educação empreendedora em todos os níveis educacionais de nossos alunos. Empreender pode estar desde, reformar e customizar um brinquedo até criar um projeto para ganhar um extra na mesada do aluno.    
  9. Pessoas mais resilientes para superação de novos desafios – Com tamanha experimentação que estamos vivenciando no isolamento social, cada um está tendo que se reinventar e se adequar à nova maneira de viver. Alguns isolados de tudo e todos, outros expostos demais (como os profissionais da saúde e de áreas das necessidades básicas). Professores que não trabalhavam com ensino a distância, tiveram que aprender rapidamente. Alunos que não estudavam através de aulas pelo computador, tiveram que se adequar. À partir disso nasce então, uma resistência maior para as pessoas enfrentarem novos desafios, renasce um pensamento mais humanizado e solidário, ressurge a vontade de usar a criatividade para novas soluções. Ser resiliente não é mais uma virtude, mas uma condição para qualquer pessoa.
  10. Possível aumento na natalidade nos períodos de dez/jan de 2021 - Mais crianças nascendo daqui a pouco e, é possível que chamaremos de geração “baby COVID19”. O que teremos dessas próximas gerações? Muitos novos alunos, sim com certeza. Mas, como serão? Terão diferenças no seu comportamento impactados por toda esta mudança social? Sim! Mas, a escola vai estar atuando do mesmo jeito? O professor, será um moderador empreendedor das grandes inovações que ocorrerão, de que forma?

Muitas outras perguntas fervem o nosso pensamento que aos poucos, vão unindo os pontos e construindo em cada resposta, um conhecimento a mais para melhorar: nossa educação, nossa sala de aula, nossa escola, nossa cidade, nosso país e nossa humanidade! 

Voltamos a pergunta inicial - Você está preparado para o futuro? Escreva para nós, quais são seus desafios para esta preparação?    

 

Fale pelo e-mail da Juliana - jsouza@pr.sebrae.com.br ou deixe seu comentário.

 

Irene Hoffelder Vioti - Consultora, palestrante e escritora nas áreas: Estratégia empresarial, sustentabilidade, inovação e storytelling empresarial.

Desafios da Educação

Comunidade Sebrae
Irene Hoffelder Vioti
Irene Hoffelder Vioti Seguir

Mestranda em Administração Estratégica de Negócios pela UNAM - Universidad Nacional de Misiones - Argentina. Consultora, palestrante, instrutora e escritora nas áreas: Estratégia empresarial, sustentabilidade, inovação e storytelling empresarial.

Ler conteúdo completo
Indicados para você