[ editar artigo]

Que caminho seguir depois do isolamento com aulas ONLINE? (1ª. Parte)

Que caminho seguir depois do isolamento com aulas ONLINE? (1ª. Parte)

O que pensam os estudantes com as mudanças na educação?

Boa pergunta! Analisando as inúmeras mudanças que estão ocorrendo e como estão impactando em cada público relacionado a educação, resolvi buscar na fonte as informações frescas do momento em relação à professores e estudantes, pois uma das áreas mais impactadas, segundo a UNESCO, é a educação e a essa consequentemente, impacta em tudo!

Por indicação da coordenadora de educação Michelle resolvi trabalhar um pouco mais sobre este assunto – “Como aprimorar o desenvolvimento pessoal dos adolescentes e jovens neste momento, buscando a excelência nas suas atitudes, nas relações sociais e nos estudos; e qual a participação das famílias na construção desse protagonismo que se faz necessário? Mais do que nunca!

Nosso foco foi investigar as mudanças comportamentais dos alunos e mudanças x preparo dos professores neste período, além da cultura familiar que manifesta certa rejeição e grande carência para lidar com a educação em casa. Vamos saber qual é a opinião dos maiores interessados – os professores e alunos e o impacto nos seus comportamentos e atitudes, assim como: expectativas, desejos e necessidades daqui pra frente. 

Aplicamos questionário sucinto, que trouxesse algumas respostas de professores e estudantes. Selecionamos seis professores (de disciplinas diversas) e seis estudantes do ensino fundamental e ensino médio, ambos oriundos de escolas públicas e privadas da grande Curitiba/PR (meninos e meninas, entre 12 e 16 anos de idade). O resultado deste trabalho, apresentamos a seguir:

PESQUISA COM OS ESTUDANTES:

Percepção sobre o formato das aulas on line:

Avaliação dos estudantes:É Tudo muito novo e diferente para nós, nunca tivemos nenhum contato próximo com o formato de EAD durante o percurso escolar. Mas, de qualquer forma está sendo um momento de muito aprendizado, e com certeza absoluta, está sendo uma ótima alternativa para não pararem as aulas. É um formato parecido com o convencional, mas é pior para o emocional do aluno, por conta da falta de interação social e descontração do professor. Temos bastante estudo e tarefas, como era no presencial. Na escola pública, não temos aulas direto. São gravadas e não temos sala de aula para interagir com os colegas. É muito ruim.

Comentário: É algo bom e necessário, porém a falta de domínio sobre o assunto por parte dos professores e estudantes para este formato, é um desafio a ser melhorado em todas as escolas privadas e nas públicas a diferença se acentua.  

Os professores estão preparados para aulas à distância? Sim ou não e porquê?

Avaliação dos estudantes - “Os professores não estão preparados, assim como nós alunos. O ponto é que para eles também, está sendo uma novidade, então em diversas situações os professores tem dificuldade em se habilitar a nova plataforma de ensino. Muitas vezes, os professores atrasam as aulas e perdem muito tempo sem ser trabalhado (as vezes até 30 min. de aula parada).”

Comentário: Todos os entrevistados dizem que a metade dos professores estão preparados e aparentam dar conta do recado, mas para a outra metade, não demonstram domínio com a tecnologia e com as aulas on line, com a quantidade de conteúdo, na gestão do tempo da aula e na comunicação para encantar os estudantes e despertar o interesse em estudar.

 A aprendizagem ficou: igual as aulas presenciais, pior ou melhor com as aulas on line?

Avaliação dos estudantes“O processo é mais entediante; não consigo me planejar direito e fazer os estudos que devo em paralelo e estudo menos; A convivência com outros alunos e professores nos agrega muito academicamente, porém, o nível de concentração é maior para o aluno autodidata, aquele que quer aprender mesmo e leva a sério obtendo o próprio ritmo; minha rotina de estudos aumentou, porém, faz falta a explicação como era em sala com o professor, pois nem sempre a matéria fica tão aprofundada.”

Comentário: 80% dos estudantes respondem que ficou pior o nível de aprendizagem e a argumentação enfatiza isso. Somente um dos estudantes acredita que a aprendizagem é igual da sala de aula presencial, sendo de escola pública, onde o ensino não está acontecendo da mesma forma e também não sentem que está sendo dado aula propriamente dito.

O que mudou no comportamento e atitude do aluno na vivência da quarentena?

Avaliação dos estudantes “Tenho ganhado muito tempo que antes era usado para transporte, troca de professores, recreio, etc. Minha rotina de sono está péssima, estou dormindo pouco e em horários errados, além disso estou passando muitas horas irritado com essa situação e tudo isso me prejudica muito. Talvez a quarentena tenha me ajudado na organização por fazer mais atividades, já que agora estudo mais, faço almoço e caminhadas diárias. Comecei a valorizar mais minhas amizades e as experiências interpessoais, pela falta disso. Percebo que meu comportamento tem piorado.”

Comentário: De modo geral, todos foram impactados na maneira como levavam a vida, nas suas atitudes e percebem que mudou e eles precisam se adaptar rapidamente para continuar aprendendo. É uma experiência não tão confortável e falta planejamento do tempo, mas percebe-se que está acontecendo certo amadurecimento na responsabilidade e no auto desenvolvimento de cada um.  

Preocupação com o rumo da formação escolar, em virtude da quarentena. Com qual aspecto?

Avaliação dos estudantes “Preocupados com o cancelamento e adiamento de provas. Em relação ao estudo, não estou muito preocupado, pois todos estamos no mesmo barco, mas sinto falta das amizades, festas, etc. Atualmente nossa dependência dos professores é muito pequena (3º. Ano do Ensino Médio) e temos acesso aos melhores materiais e até coisas excelentes gratuitas em plataformas como YouTube. O receio da preparação on line, pode não ser tão qualificada como seria com as aulas presenciais. A presença em sala de aula é muito importante para que a aprendizagem ocorra bem.” 

Comentário: 50% dos estudantes dizem que estão preocupados se terão o conteúdo do ano inteiro concluído. Porém, 50% deles alegam, que não estão preocupados com relação a este aspecto, porque estão todos no mesmo patamar.

Como quero que ocorra minha preparação escolar daqui pra frente?

Avaliação dos estudantes “Gostaria que retornássemos a forma presencial. Pra falar a verdade, eu não vejo a hora de voltar a aula presencial, por isso não quero nem imaginar o futuro da aula virtual. Espero que ao voltar da quarentena, os professores se atentem a fragilidade com a qual os alunos estarão voltando deste período vivido. Portanto, com uma atenção maior no que diz respeito à preparação do vestibular. Gostaria voltar as aulas presenciais o mais rápido possível. Gostaria que minha preparação escolar fosse melhor e com aulas presenciais.”

Comentário: 100% dos estudantes responderam que querem a volta das aulas presenciais, pois não acreditam que o rendimento será o mesmo com aulas virtuais.

Com relação a formação escolar, qual é seu sonho?

Avaliação dos estudantes“Quanto a formação escolar, meu sonho é deixar de perder tempo com assuntos de pouca utilidade e focar naquilo que realmente possa me trazer resultados práticos. Meu maior objetivo é ser aprovado em medicina em uma boa faculdade. Conseguir passar no vestibular, cursar uma boa universidade para ter uma vida futura estável. Espero chegar à faculdade que tanto desejo, medicina veterinária. Durante esse ano, pretendo me formar no ensino médio e passar no vestibular de Engenharia em SP.”

Comentário: Todos os estudantes afirmam uma preocupação e foco no sonho de passar no vestibular, mesmo aqueles que se encontram nos anos finais do segundo ciclo do ensino fundamental. Trabalhar melhor o sonho deles no decorrer de toda a formação do estudante é um caminho interessante para torna-los mais comprometidos e assíduos com a aprendizagem.

O que deseja aprender que a escola não oferece?

Avaliação dos estudantes “Design gráfico, programação, finanças pessoais, oratória, liderança e gestão (principalmente de e-commerce), o mínimo de computação, Trabalhos com retórica e discussões, funcionamento do sistema político e economia do Brasil e estudar biologia no 9º. Ano, assim como, atividades mais técnicas em relação as profissões dadas no ensino médio (vivenciar experiências próximas as respectivas áreas de interesse de cada aluno sobre sua faculdade) ”.

Comentários: Todos os estudantes, afirmam que gostariam de ter acesso a informações e assuntos mais técnicos voltados a preparação para a universidade.

ANÁLISE DAS RESPOSTAS DOS ESTUDANTES:

A partir dos dados levantados, pontuaremos a seguir sugestões que trarão oportunidade de trabalhar melhor as aulas no modelo EaD, podendo ser desenvolvido com projetos, ajudando assim nessas carências de conhecimentos que se fazem necessários à alunos, professores e junto as famílias:

Quero convidá-lo a ler o próximo artigo, ele traz a pesquisa realizada com os professores - Artigo “QUE CAMINHOS SEGUIR DEPOIS DO ISOLAMENTO COM AULAS ON LINE?  (2ª. parte)”

 

Antes comente esta pesquisa e aguardo vocês lá!

Fale com o Sebrae pelo e-mail da Juliana - jsouza@pr.sebrae.com.br.

 

Irene Hoffelder Vioti - Consultora, palestrante e escritora nas áreas: Estratégia empresarial, sustentabilidade, inovação e storytelling empresarial.

Desafios da Educação

Comunidade Sebrae
Irene Hoffelder Vioti
Irene Hoffelder Vioti Seguir

Mestranda em Administração Estratégica de Negócios pela UNAM - Universidad Nacional de Misiones - Argentina. Consultora, palestrante, instrutora e escritora nas áreas: Estratégia empresarial, sustentabilidade, inovação e storytelling empresarial.

Ler conteúdo completo
Indicados para você