[ editar artigo]

Big Data no Agronegócio

Big Data no Agronegócio

Se você tem uma grande quantidade de dados armazenados, seja em
alguma plataforma ou servidor de empresa, e quer usar essas informações
de forma inteligente, o Big Data pode ser a melhor alternativa.

Com um conjunto de tecnologias para capturar, modelar e organizar esses dados, é
possível obter informações valiosas que podem gerar lucro para uma
companhia, aumentando sua rentabilização e auxiliando em suas tomadas
de decisões. Portanto, o Big Data pode ser entendido como uma evolução do
que já existe na computação e estatística.

O Big Data:

O Big Data, apesar de ser um termo novo (publicado oficialmente somente
em 2005, no artigo “What is a Web 2.0”, por Roger Mougalas) vem ganhando
grande notoriedade dentro da área de tecnologia da informação, visto que
sua aplicabilidade é diversificada, podendo desde a criação de campanhas
publicitárias com grande engajamento, até a prevenção de surtos de saúde.

Você provavelmente já se deparou com uma sugestão de amizade no
Facebook de um colega que você estudou anos atrás e não tem mais
nenhum contato. Isso é o resultado das informações disponibilizadas pelo
Big Data.

Como a análise de dados otimiza a lavoura?

Entre as tecnologias mais conhecidas de análise de dados no campo podemos citar o entendimento e análise de dados meteorológicos.

Com a interpretação correta de dados sobre a previsão meteorológica, o agricultor consegue administrar outras operações como a semeadura, a colheita, a irrigação e as aplicações de defensivos agrícolas. Outro exemplo que podemos citar da agricultura digital são as tecnologias que garantem o ajuste das doses de fertilizantes que são aplicados, o que reduz custos e perdas.

Além disso, outra importante ferramenta que pode ser utilizada é o cruzamento dos dados de produtividade com os dados dos manejos adotadas em cada área, como por exemplo: adubação, análise de solo, deficiência de nutrientes, precipitação e aplicações.

Listamos algumas outras vantagens de utilizar o BIG DATA em lavouras: 

  • Dados sobre a fertilidade química do solo, por meio das análises de solo;
  • Redução de desperdícios, reduzindo os custos de produção;
  • Estande de plantas, gasto de sementes e velocidade de semeadura;
  • Ações mais assertivas após interpretação dos dados;
  • Pluviosidade, temperatura e dias nublados, que ajudam na tomada de decisão para aplicação de defensivos, fertilizantes e corretivos;
  • Possibilidade de controlar tudo isso do escritório;
  • Informações sobre monitoramento de pragas, doenças e plantas daninhas;
  • Informações sobre consumo, aplicações de defensivos agrícolas, dados de produtividade, velocidade e perdas na colheita;
  • Aumento de produtividade com tomadas de decisão mais assertivas.

Com a imensidão de dados coletados no decorrer do tempo por empresas e
plataformas em seus servidores, em conjunto com uma necessidade de lucro
e rentabilização nasceu o Big Data, sendo hoje um importante meio de
atuação em diversos setores do mercado de trabalho.

Embora fique claro que a tecnologia do Big Data é uma tendencia de lucro para as empresas, ainda é um processo em fase teste, portanto BIG DATA não se trata apenas de dados, mas também de pessoas, tudo é evolução nesse meio. 

 

Do Campo à Mesa

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você