[ editar artigo]

Empresas lucrativas, rentáveis e sustentáveis no Agro: A sua é?

Empresas lucrativas, rentáveis e sustentáveis no Agro: A sua é?

Grande parte das empresas no agro apresentam dificuldades em potencializar o lucro e a rentabilidade das riquezas disponíveis em seus 5 Capitais. Esse déficit em gerenciar o presente compromete os negócios de sua empresa no aqui e agora, empobrecendo o legado a ser deixado como herança para as próximas gerações. 

A falta de eficiência e expertise,  acabam por desarmonizar a perspectiva de futuro. Desconhecer os indicadores de desempenho de seus negócios compromete a continuidade da atividade e a permanência das próximas gerações de sua família no agro. 

Convido você, empresário do agro, a realizar algumas reflexões neste momento. 

A cada safra que passa o pacote de insumos e tecnologias necessários para a produção, sofrem alterações seja de preço ou de inovações nos cultivares. Isso impacta diretamente no aumento do custo da produção. De uma safra para outra, a única certeza que se tem, é a projeção de aumento nos custos.

O momento da comercialização também se traduz em incertezas. O agro possui seu preço de venda determinado pelo mercado, interno e externo. A demanda apresenta influência direta na valoração dos produtos, assim, conforme oscila a oferta e a demanda, oscila também a precificação do produto. 

Dessas incertezas que rondam o setor do agro emerge uma necessidade: produzir mais a cada safra. Isso altera e influencia a relação do sujeito com a terra, o viés produtivo passa a ser a produção em escala na tentativa de potencializar as chances de uma margem de lucratividade atrativa. 

Apresentar rentabilidade e lucratividade mínima, não se refere a somente investir mais em insumos e tecnologias. Conhecer, entender e gerir os 5 Capitais se revela tão ou mais importante do que produzir em escala. Desenvolver uma visão sistêmica, um olhar macro, desponta como um diferencial de desempenho e de equilíbrio econômico e financeiro. A combinação do esforço físico com o intelectual, potencializam o direcionamento dos negócios para a sua melhor performance.

Além das incertezas apontadas anteriormente, tem-se também outros fatores, como as mudanças socioeconômicas e espaciais, e os próprios riscos inerentes à atividade agropecuária, como os climáticos e os biológicos. 

Em congruência a isso, endossa-se o citado em artigos anteriores, pois acredita-se que o sistema educacional tenha falhado em sua ementa básica. A não oferta de conteúdos básicos e orientadores em inteligência financeira, comportamental e emocional, por exemplo, deixam os indivíduos despreparados para uma gestão macro. Entende-se por gestão macro ou sistêmica, o olhar combinado entre trabalho braçal e intelectual.

Segundo publicação Sebrae (2014), os principais motivos que impulsionam o fechamento de empresas, são decorrentes da ausência de planejamento prévio, da falta de gestão e do perfil comportamental do empreendedor.

Pesquisas mostram que “de cada 100 empresas abertas e bem-sucedidas, apenas 30 chegam na 2ª geração e somente 5 alcançam a 3ª geração”(LEGADO e FAMÍLIA).

Como pode ser observado, ser um empresário próspero no agro, não é somente trabalhar de sol a sol com longas jornadas de trabalho. O sucesso na jornada é proveniente da conjugação de vários fatores.

O fator base, que inicia e fundamenta, todo e qualquer processo de inovação e aperfeiçoamento nos procedimentos da empresa no agro é a família. Nos artigos: "O Futuro do Agro" Tema - Capital Social e, "O Futuro do Agro" Tema: Capital Humano, descrevem-se alguns elementos fundamentais para o empoderamento familiar na condução dos negócios. 

Esse olhar nos negócios a partir do envolvimento da família potencializa as possibilidades de tomada de decisões mais eficientes e positivas. A condução dos negócios a partir da perspectiva de cooperação envolve o emocional e o comportamental, contribuindo para o sentimento de pertencimento aos negócios, isso por sua vez, tende a diminuir as chances de descontinuidade nos negócios familiares.

Aliado a isso, saber efetivamente a rentabilidade e a lucratividade dos negócios desenvolvimentos é fundamental. Outro aspecto importante é mensurar o retorno obtido pelos investimentos realizados. 

Para que seja possível executar essas ações, destacamos novamente um fator fundamental, já citado em artigos anteriores: o controle do fluxo de caixa. Um diagnóstico eficaz considera a descrição, a qualificação, a quantificação e a valoração dos 5 Capitais. Ter sua vida e da sua empresa na ponta do lápis se revela cada vez mais essencial.

Importante considerar nesta análise o período temporal. O processo deve considerar o período de análise e as projeções e ações no curto, médio e longo prazo. O período de análise deve ser em conformidade às atividades agropecuárias exercidas e considerar os desejos e anseios da família, tanto no aspecto pessoal quanto empresarial.

Acerca dos indicadores econômicos, existem vários usados pelos economistas. Sugere-se neste momento para a análise no longo prazo, que se inicie com dois. Estes são considerados como fundamentais para qualquer empresa: a Taxa Interna de Retorno (TIR) e o Valor Presente Líquido (VPL).

Dentre os indicadores econômicos de curto prazo, indica-se a utilização da lucratividade e da rentabilidade por permitirem diagnosticar a sustentabilidade dos negócios desenvolvidos. Estes são calculados levando em consideração a depreciação dos capitais e a taxa de juros de oportunidade.  

Assim como qualquer outra empresa, as pertencentes ao setor do agronegócio, devem apresentar viabilidade econômica. Para a evolução e continuidade de sua empresa nesta e nas próximas gerações, a viabilidade dos negócios desenvolvidos é primordial. Neste quesito, deve-se considerar como referência nos cálculos, uma Taxa Mínima de Atratividade (TMA) de mercado.

Conhecer os indicadores de desempenho econômicos e financeiros que a empresa possui,  através de uma gestão eficaz pautada em informações e dados reais,  fornece clareza e direcionamento na condução dos negócios. Ter a gestão de sua empresa em suas mãos fornece os subsídios necessários para analisar o que é adequado, coerente e conveniente para o momento, facilitando o processo de tomada de decisões.

O sucesso de um negócio está intrinsecamente ligado ao seu conhecimento, controle, acompanhamento e aperfeiçoamento. Não há fórmula mágica!

Os indicadores sugeridos fazem parte do know how e expertise acumulados e aperfeiçoados durante minha trajetória pessoal e profissional. Estes, foram construídos durante mais de 23 anos de atuação junto ao setor do agronegócio. Nesta jornada destacam-se os trabalhos executados junto ao Programa Empreendedor Rural (PER) e no programa Negócio Certo Rural (NCR) desenvolvido pelo Sebrae e Senar PR, além de consultorias in company. 

Prosperidade e sucesso é realizar a labuta diária de maneira inteligente e eficaz!

Faça dos indicadores de desempenho seus aliados no processo decisório e desfrute de uma vida com liberdade financeira!

 

O futuro só vai existir se você gerenciar o seu presente! 

📌 Faça parte da Comunidade Sebrae Do Campo a Mesa e tenha acesso aos melhores conteúdos!

Luiz Augusto Burei

Equipe Agroburei Agribusiness

REFERÊNCIAS

Artigos anteriores:

"O Futuro do Agro" Tema - Capital Social

https://comunidadesebrae.com.br/manage.app#!/content/articles/5f0da3277754a9468ba6d130

"O Futuro do Agro" Tema: Capital Humano

https://comunidadesebrae.com.br/do-campo-a-mesa/o-futuro-do-agro-tema-capital-humano

SEBRAE. CAUSA MORTIS O sucesso e o fracasso das empresas nos primeiros 5 anos de vida. Disponível em: <https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/SP/Anexos/causa_mortis_2014.pdf>. Acesso em set. 2020.

LEGADO e FAMÍLIA. Empresas Familiares no Brasil. Disponível em:  <https://legadoefamilia.com/informacoes-gerais/>. Acesso em set. 2020.

SENAR PR; SEBRAE; FETAEP; FAEP . Programa Empreendedor Rural. Projetos. 2008.

Do Campo à Mesa

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você