[ editar artigo]

Que bicho é esse? Sem ele, não haverá alimento. Abelhas: essenciais na natureza.

Que bicho é esse? Sem ele, não haverá alimento. 
Abelhas: essenciais na natureza.

Além do delicioso mel que produzem, você sabia que elas polinizam plantações? Indispensáveis no ecossistema, através delas, 80% de grãos, legumes e frutas se reproduzem.

 E como se deu a apicultura no PR? Na região Oeste e Sudoeste, se iniciou desde a colonização, quando vieram os Sulistas em busca de novas terras. A maioria das famílias tinham colmeias para subsistência, para o próprio consumo. Com o passar dos anos, algumas começaram a desenvolver apicultura como atividade de trabalho e com a formação do lago Itaipu nos anos 80, quando se formou uma grande faixa de reserva na região, muitos começaram a atuar nessa faixa. Vários deles pescadores, pequenos agricultores que enxergaram o mel como atividade econômica e virou um polo produtor no estado.

Diferenciais do local. Especialmente pela faixa no lago, devido as águas, têm muita florada, por isso o mel é considerado multi floral Produtores se reuniram em associações e cooperativas para melhorar a qualidade, preço, resolveram se profissionalizar e fazer a diferença. Alguns passando atividade de pais para filho, outros dando tônica à cultura e tendo a apicultura como principal negócio. Salete Manchini – produtora, reforça essa fala, citando que por terem floradas diversas, são considerados lindeiros no Parque Nacional do Iguaçu. O mel tem sabor especial, investem em aperfeiçoamento na genética das abelhas, compraram abelhas rainha de Minas. Com isso, a produção é mais elevada que a média.

Bate papo com apicultor e gerente da Coofamel - Antônio Henrique Schneider disse que sempre teve um pé no sítio. Saiu estudar, mas com desejo de ter uma atividade no agro. O pai tinha caixas de abelha, mais para subsistência, e ele resolveu ir além, percebeu que a apicultura se encaixava com algo que gostava de fazer e seria uma interessante fonte de renda.

Quando veio o reconhecimento IG para mel do Oeste, foi um grande salto, pois a partir daí puderam mostrar ao mercado que não era um simples mel e esse começou a ser valorizado. O mel do Oeste está entre os melhores do Brasil. As pessoas buscam pelo sabor, qualidade, consideram diferenciado. Isso incentiva os apicultores a melhorar infraestrutura, aumentar colmeias, apiários e investir mais nessa cultura.

E a comercialização para quem tiver interesse - Vendem para supermercados e casas de produtos naturais, mas muitas pessoas da região buscam e vários produtores vendem diretamente. A maioria é para consumo in natura, mas alguns compradores repassam para indústria de fármacos, doces e cosméticos. Também produzem o própolis vermelho. O mel da região oeste, em maioria comercializado pela Coofamel, tem disponível em embalagens de 1kg, 500g e bisnagas.

Hummmm ficou com vontade de provar?

              São muitos os atrativos. Poderoso anti-inflamatório, diminui fadiga, auxilia em tratamento cardiovasculares, ótimo para úlceras, gastrite. Também muito usado como hidratante, esfoliante para pele. À mesa, delicioso com doces, leite, frutas, seja in natura ou onde a criatividade culinária permitir!

SE é do Paraná, tem qualidade, é seguro e é bom.

Do Campo à Mesa

Comunidade Sebrae
Emerson Durso
Emerson Durso Seguir

Consultor do Sebrae, Mestre em Administração, Formação internacional em Cadeia Alimentar pela Legacoop e Governo da Emilia-Romagna/Itália e em Liderança Cooperativista na Europa, Canadá, Estados Unidos e Argentina, Empreteco

Ler conteúdo completo
Indicados para você