[ editar artigo]

SERÁ UMA FRUTA?? OU UM LEGUME?

SERÁ UMA FRUTA?? OU UM LEGUME?

Tomate? É fruta!!!!

Comum na culinária italiana, mas sua origem é da América Latina em regiões do Peru, Equador e Chile. No Brasil, se cultivam quase todas as espécies, que mudam no tamanho, formato e acidez. No Paraná, há uma bela plantação na região centro-oeste/sudoeste.

Um pouco dessa história: O Plantio de tomates orgânicos no território Cantuquiriguaçu, começou em 2012 na comunidade de Santa Luzia de Reserva do Iguaçu/PR, com 26 agricultores familiares. Em 2013, o município de Pinhão visitou e se interessou pelo projeto e foi aplicado com mais 30 agricultores que no mesmo ano caminharem com a certificação orgânica.

Em 2014/15 o grupo contava com mais de 120 agricultores certificados pela Assoc. de Desenvolvimento da agricultura Orgânica – AVIPPE, que foi constituída para representar o projeto. A forma de produzir esses tomates em “estufas de baixo custo” que acabaram se tornando uma tecnologia social certificada pela Fundação Banco do Brasil. Atualmente está espalhada em vários municípios do território Cantuquiriguaçu, onde estima-se ter mais de 500 estufas implantadas.

Quer saber o que motivou esse trabalho? Surgiu da necessidade dos agricultores de se organizarem mais, melhor, levando maior qualidade de vida às suas famílias, via desenvolvimento da região como produtora desse fruto e com reconhecida qualidade. Tendo capacitação para produzir e com canais que oportunizassem as vendas. O projeto de tecnologia social foi implementado, inicialmente, na comunidade de Santa Luzia, tendo Sebrae como incentivador, contando com apoio das prefeituras dos municípios envolvidos, Regionais da Emater, Copel e cooperativas. Os agricultores, antes do projeto, não trabalhavam com produção orgânica de tomate em estufa. Somente após, começaram a produzir e pensam em ter uma marca única, algo do tipo “Orgânicos do Paraná”.

Vantagens de consumo:  tomate evita doenças cardiovasculares, é rico em vitamina C e licopeno, duas substâncias antioxidantes que ajudam no transporte de oxigênio no sangue e melhoram o fluxo sanguíneo. Previne o câncer e o Alzheimer: o licopeno, presente no fruto, é um poderoso antioxidante que combate os radicais livres.

Comercialização – segundo o produtor Dimorvan Antônio dos Santos: “Hoje os produtos são vendidos em programas governamentais nas três esferas, vendem ainda para empresas como a CANTU, supermercados, feiras, sacolões, localmente nas comunidades e município. Todos com certificação orgânica. Importante esse produto está também em mesas distantes, há vendas sendo feitas em grandes centros como São Paulo e Curitiba.”

E os desdobramentos do negócio, como ficam? Os produtores contam que indústrias e restaurantes compram para polpa, extrato, o que é bom, pois os melhores frutos vão para consumo in natura e os menos vistosos são aproveitados em derivados do tomate. 

Vale destacar... Inicialmente eram produzidos 1500 kg por estufa. Com os avanços do trabalho, essa produção aumentou para 3200 kg, num ciclo de 6 meses. O projeto cumpre além da função econômica, também ambiental, social e humana.

Salve o tomate! Quantas boas notícias!

SE é do PARANA, tem qualidade, é seguro e é bom.

 

Do Campo à Mesa

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você