[ editar artigo]

“O Trigo” Série: ORIGEM PARANÁ

“O Trigo” 
Série: ORIGEM PARANÁ

VOCÊ SABIA que o Paraná é o maior produtor de trigo do Brasil?

Que temos trigo de origem de altíssima qualidade?

Que o trigo é a segunda maior cultura de cereais do mundo, só perde para o arroz.

Que para fazer um bom pão, pizzas, massas em geral, você precisará de uma excelente matéria prima, o trigo?

História: No Brasil, o trigo chegou no período colonial, por volta de 1534, na região do Estado de São Paulo. No entanto, somente teve sucesso quando a produção migrou para o sul do país, com condições climáticas adequadas. A região de gente acolhedora também teve terra acolhedora à essa cultura. No século 19, com a chegada de italianos e alemães, ganhou novo impulso para sua produção. No século 20 passou por queda de produção atribuída à doença causada por sementes importadas. Analisando a situação, o Ministério da Agricultura buscou incentivar o plantio deste cereal, e, para isso, criou em 1919, duas estações de pesquisa: uma no Paraná e outra no Rio Grande do Sul. O objetivo era auxiliar os *triticultores em suas lavouras. Muita coisa mudou, de um sistema praticamente feudal, houve evolução da cultura, das práticas, das políticas, melhorias no campo, avanços com tecnologia e o grão se fortaleceu.
Consagração: o Paraná se transformou o principal produtor de trigo do Brasil, com 50 a 60% da produção, seguido pelo Rio Grande do Sul. Motivo de duplo orgulho, já que a produção em quantidade também é acompanhada por um produto à altura de outros produtores mundialmente conhecidos, como do Canadá, USA, Itália e Argentina.

Uma das ações que vem fazendo a diferença é o estudo e análise com outros setores de sucesso. Um deles é o de cafés especiais e das cervejas artesanais, que estão dando uma nova vida ao setor com criatividade e bom gosto, trazendo novos conceitos e experiências, capacitando novos profissionais como os baristas e mestres cervejeiros que estudam, exploram o potencial dos grãos, fazem bebidas. Agora, os profissionais da panificação, massas e confeitaria buscam trigos, farinhas especiais de primeira linha para fazerem maravilhas, produtos esses antes só encontrados em outros países. Temos no Paraná, trigo de origem comprovada, cultivada com clima e características específicas.

Case: a Moageira Irati. Tradição de 70 anos e localizada na região dos Campos Gerais, em 2019 a Moageira deu start ao projeto “Trigo de Origem” como continuidade de práticas iniciadas pela própria empresa no início da década de 1990. O objetivo do projeto era apostar na originação, segregação e rastreabilidade dos grãos. “Quando separadas as variedades e feita a moagem individualmente, é possível se obter mais qualidade e direcionar para diferentes produtos: pães, massas, biscoitos e afins. Quando se processa tudo junto, não há como ter a mesma qualidade para cada finalidade culinária”, citou Marcelo Vosnika – Diretor da Moageira Irati.

Nesse projeto, a partir de um QR code, o consumidor pode conferir todas as informações sobre a origem do produto em 2 embalagens – uma de 25kg para padarias de pães artesanais e de 1kg para os consumidores que são apreciadores da qualidade dos produtos criados, a partir dessa farinha.

Reconhecimento, um respeitado padeiro, Michel Suas, francês de origem, da San Francisco Baking Institute, uma das escolas de panificação artesanal mais respeitadas do mundo mundialmente conhecida, esteve no Paraná e se surpreendeu. Michel participou da festa da colheita do trigo de origem 2019/2020, na cidade de Palmeira, em novembro 2019, numa imersão cultural com todos os envolvidos nesse ciclo – agricultores, pesquisadores, padeiros, chefs de cozinha – na oportunidade, ele pode explanar mais sobre a importância da segregação dos grãos para garantir a qualidade, disse estar surpreso com o quão longe o Paraná está nessa caminhada, o envolvimento de todos na cadeia, algo que ele não viveu na Califórnia, quando iniciou o processo nos anos 1990.

O Diretor executivo da Trilhas do Trigo, envolvido no projeto, Divanildo Carvalho Junior, citou a importância do protagonismo de cada integrante da cadeia, respeitando cada fase, desde as pesquisas, plantio, desenvolvimento, moagem, produção, valorizando o papel desempenhado pelos profissionais para o resultado final.

Tudo isso fez com que o trigo paranaense se destacasse tanto como commodity na produção em escala, como no produto de origem, farinha especial de produção local e qualidade internacional.

SE é do PARANA, tem qualidade, é seguro e é bom.

 

*Cultivador de trigo

Do Campo à Mesa

Comunidade Sebrae
Mabel Guimaraes
Mabel Guimaraes Seguir

Pós graduada em Empreendedorismo. Trabalha no Sebrae na área de Agronegócios há 10 anos. Participou de missões técnicas para conhecer experiencias no Agronegócios em países como Holanda, Alemanha, Itália, França, Argentina, Chicago, NZ e Austrália.

Ler conteúdo completo
Indicados para você