[ editar artigo]

Aprendendo a definir Metas e ganhar espaço

Aprendendo a definir Metas e ganhar espaço

Olá, meu nome é Marta Bolette, tenho 43 anos sou de Ponta Grossa/PR, mas moro em Marmeleiro/PR há 5 anos, cidade que escolhi para ser minha Terra Mãe. Sou mãe do Andrew que hoje tem 19 anos, fruto do meu primeiro casamento, e já fazem 6 anos que casei com Valderi, meu companheiro de todas as horas. Sou filha de Humberto e Nadir que juntos enfrentaram muitas adversidades para criar uma prole de 8 filhos.

 Perdi meu pai cedo com 11 anos, dois anos depois minha mãe resolveu mudar de cidade em busca de oportunidades, vendeu a casa e um fusca que tinha na época e mudamos, nesse período que foi meio de ano letivo tive que sair da escola, onde atrasou minha educação, ficamos pouco mais que um ano, porém minha mãe não conseguiu se adaptar e voltamos para Ponta Grossa, desta vez sem nada. Aos 15 anos tive que começar a trabalhar para ajudar minha mãe, trabalhava na casa de uma tia. Aos 17 anos com a ajuda de meu irmão mais velho consegui emprego na empresa  Foto Colorama, porém todo dinheiro que eu ganhava era usado nas despesas domésticas, pois restara só minha mãe e irmã mais velha para sustentar a casa, os outros já haviam casado, devido a isso comecei com meu irmão Mauricio a trabalhar com filmagens e meu irmão com fotografias, trabalhávamos em casamentos, aniversários, e fechávamos parcerias com agências de modelo para fazer book fotográfico das meninas; foi aí que começou minha jornada empreendedora, mesmo sem saber que estava empreendendo, pois pra mim era um jeito de produzir mais dinheiro para poder pagar cursos e voltar a estudar. Voltei a estudar a noite visando sempre um futuro melhor, mudei de emprego pois a empresa Colorama encerrou as atividades em Ponta Grossa, então comecei em um novo emprego que estava se instalando na cidade, Foto Iris Color, cursei secretariado e não tentei vestibular na época porque acabei me casando e a prioridade era montar a casa, nesse período fiz cursos na área de liderança, e gerenciamento, assumi o cargo de encarregada do Laboratório fotográfico, e posteriormente Gerente da loja.

Após isso engravidei, e quando tive meu bebê, veio a dificuldade de encontrar uma pessoa responsável pra cuidar dele, acabei tomando a difícil decisão sair da empresa até que o Andrew completasse idade onde eu ficasse mais tranquila para deixar ele em uma escolinha, trabalhei um curto período com uma assessoria de cerimonial, onde eu fazia parte da equipe de organização de eventos, porem eram apenas finais de semana e era mais fácil para eu conciliar e cuidar do meu filho, mas não tinha um plano de carreira e eu decidi ir em busca de algo a mais, quando ele completou 1 ano e 8 meses o  matriculei  numa escolinha; na época já estávamos a caminho da era digital e os Fotos um a um começaram a perder espaço, e eu havia ficado dois anos sendo mãe sem me atualizar,  tive que recomeçar do zero no mercado de trabalho, desta vez comecei a trabalhar em um hipermercado como segurança; nesse período aquela fagulha empreendedora que eu tive na adolescência estava adormecida, mas o espírito de liderança sempre foi forte, desempenhei um ótimo trabalho além de ter sido a primeira mulher a ser contratada como segurança na empresa, dois anos depois fui convidada a ser encarregada de uma equipe de 13 homens e 2 mulheres, aceitei o desafio, porém tinha que trabalhar período noturno, e meu filho começou a sentir minha falta, mudou o comportamento na escola e começou a ficar agressivo, tentamos lidar com isso, mas uma tarde quando fui buscar ele na escolinha, era mês de maio semana do dia das mães, ele olhou com aquela carinha triste e disse que não tinha me visto durante a apresentação. Naquele momento eu disse que não trabalharia mais com horários determinados por terceiros, e aquela fagulha de empreender voltou a ascender, porque eu queria liberdade para estar ao lado de Andrew e acompanhar o crescimento e desenvolvimento dele. Saí do emprego e montei uma pequeno Trailer de lanches no calçadão de Ponta Grossa, as coisas estavam sob controle porém sem perspectiva de crescimento porque eu não gostava desse segmento, e tudo o que não colocamos amor não conseguimos desenvolver, foi então que decidi fazer o curso de cabeleireira, pois sempre gostei dessa área, mas já sem economias, e com filho pequeno em período escolar, foi complicado concluir um curso de 10 meses, pagar mensalidade, comprar todo o material, gastar com alimentação a noite porque em cidade grande era tudo muito longe,17 km de casa até o centro da cidade, mas assim segui, tinha um Uno ano 86 bege, as vezes quebrava, eu tinha que ir de ônibus, para me deslocar do trabalho até o curso, que eu fazia a noite, eu ia a pé para economizar dinheiro percorria 6 km, com uma bolsa pesada que carregava o material, secador, escovas, prancha, toalhas, pentes, tesouras etc. Quando estava terminando o curso, arrebentaram a porta do meu carro e roubaram a bolsa com todo meu material, tive que pagar aquela mensalidade e não fazer aula, só assistir as colegas pois não tinha material para fazer a prática, comprei novamente tudo parcelado e atrasou o término do meu curso, mas apesar dos contratempos eu segui com o meu objetivo até o fim.

Eu precisava de experiência para conseguir me colocar em um Salão bom, então trabalhava de segunda à sábado durante o dia a noite tinha o curso, e aos domingos eu visitava os asilos, orfanatos e comunidades carentes para colocar em praticar tudo o que eu havia aprendido no curso, isso gratuitamente. Depois que me profissionalizei, fiz vários outros cursos, pois temos que fazer todo ano, ao longo de alguns anos trabalhei em 3 salões ao todo, onde busquei aprender o máximo que pude, sempre me encarregava de fazer as compras, organizar estoque e estar por dentro de tudo o que acontecia, porque eu visava ter o meu salão e precisava de toda experiência possível, onde desenvolvi a cooperatividade dentro do salão, pois sempre ajudava alguma colega que estava atrasada ou em apuros.

 Montei o meu pequeno porém “grande” espaço numa edícula em minha casa, digo isso porque num curso um Professor o Reginaldo Oliveira que até hoje é Técnico Estadual da Italian Collor Hair Tec falou para nós alunas, que até poderíamos montar um pequeno espaço em casa, mas que nunca deixássemos virar um salãozinho sem respeito, que produzíssemos a beleza com qualidade para que nosso trabalho fosse valorizado, e isso valeu muito, as pessoas falavam pra eu abrir o meu cantinho,mas eu permaneci no Salão onde eu trabalhava pois precisava adquirir conhecimento, e no meu Pequeno Grande espaço, eu atendia as vizinhas e parentes nos domingos e feriados, para desenvolver autonomia e confiança.

Estávamos cansados de viver naquela loucura de uma cidade de 311 mil habitantes, transito louco e marginalidade grande, surgiu a vontade de morar em um lugar tranquilo então conversamos e começamos a procurar uma cidade pequena, calma e acolhedora, Meu marido é natural de Marmeleiro, mas desde os 4 anos de idade viveu em Ponta Grossa, um dia a passeio em Marmeleiro, durante uma janta na casa de uma madrinha do meu marido, o Valderi falou: vamos vim morar em Marmeleiro, e aquelas palavras entraram no meu coração .Quando retornamos pra casa conversamos e começamos a nos programar para mudar em um ano e meio, e quando a gente está focado as coisas acontecem. Meu marido estava muito estressado com o atual emprego e pediu pra sair da empresa, pegou o acerto, mas como sempre temos que fazer escolhas, a primeira que tivemos que fazer foi quitar nosso carro ou montar o nosso negócio, decidimos pelo segundo e fomos em busca disso, depois que havíamos ficado uma semana em Marmeleiro escolhendo o ponto comercial e um apartamento pra morar,  e veio a proposta de comprar o salão o qual eu trabalhava, novamente outra decisão importante, lá nós já tínhamos profissionais competentes e uma carteira ótima de clientes, comprar o salão ou manter a posição de mudar de cidade, então seguimos com o plano de mudança, mas a decisão mais difícil foi aceitar que meu filho ficasse em Ponta Grossa pois ele já tinha 14 anos e eu não queria obrigar a me seguir e mudar de cidade,  pessoas mais próxima diziam que eu devia obrigar ele a vir comigo, mas eu sempre o criei com liberdade e responsabilidade, e teria que respeitar, pois a cidade pequena era ideal pra mim e não para um adolescente em período escolar e no auge de engajamento no seu universo social, se descobrindo como pessoa, e já com sua tribo urbana formada, foi complicado manter uma estrutura  emocional de relacionamento a distância, mas superamos juntos isso, com visitas frequentes.

Depois foi mudar o nome que já estava determinado para o Salão, era Prime Beauty, mas em pesquisas com as pessoas locais a opção parecia um tanto fora do padrão do público, então depois de muita pesquisa e conversas, tiramos o Prime e usamos o meu Sobrenome, para ficar mais de acordo com a realidade do local, enfim no dia 04 de julho de 2015 estávamos inaugurando o Bolette Beauty em Marmeleiro, com vontade, coragem e muita determinação, e uma pitada do destino também, tivemos sucesso com a clientela, pouco a pouco fomos conquistando as pessoas, pelo trabalho bem executado, carisma e bom atendimento, exploramos as redes social, fomos buscando relacionamentos, tive contato  com o Núcleo da Mulher pela primeira vez e patrocinamos a produção das modelos do desfile que iria acontecer de primavera verão;  no ano seguinte entrei como membro do Núcleo, esse relacionamento foi primordial para nos fixar.

Vieram as dificuldades administrativas, então começamos a buscar cursos na área de gestão financeira, implantamos sistema e começamos a organizar custos, despesas,  comissão etc. e quanto as de recursos humanos, mais dificuldades pois cidade é pequena e as pessoas atendem em casa, ou a domicílio e não tinham noção de coworking e esse foi o meu maior desafio, tentei parceria com algumas pessoas que já eram formadas, mas tive dificuldades de fixar profissionais ora pela falta de compreensão, pois achavam que trabalhando sozinhas elas não iriam ter que dividir o lucro, ou enriquecer a empresa,  essa mentalidade é forte em pessoas pouco esclarecidas, ora com outras que não tinham responsabilidade e deixavam de cumprir horário agendado, causando transtorno para todos, salão e clientes.

Outra dificuldade que foi  enfrentada do  meu marido não havia se dado bem no segmento escolhido, pois ele também havia iniciado um empreendimento e não estava dando certo, despesas começaram a preocupar, pois as reservas já estavam esgotadas, então decidi mudar para um lugar de menor custo, o ponto comercial assustou o meu marido, pois era desestruturado, mas o espaço era grande e eu tive uma visão de futuro, o risco era calculado, pois com a clientela que eu tinha conseguiria manter o aluguel e ir fazendo pequenas reformas para adequar o espaço  que era grande o suficiente pra meu projeto de Salão de Profissionais da Beleza, a ideia era ir arrumando deixando com a nossa cara.

 Muitas pessoas me chamavam de louca porque Marmeleiro é uma cidade pequena e não comportava um Salão com vários profissionais, está aí um desafio que eu topei, foquei na  mudança e transformação da mentalidade das pessoas com ações e mostrando que Marmeleiro é capaz, afinal eu escolhi como minha cidade e tomei essa responsabilidade em ajudar no desenvolvimento Social e econômico contribuindo com geração de emprego e fazendo com que as clientes tivessem uma opção diferente do que elas tinham até então. O segundo ano eu me instalei no endereço onde estou já a quatro anos, precisava arrumar o lugar deixar bonito e agradável então a cada ano fazemos uma reforma, precisava também de  parceiras, porque sozinha o crescimento era limitado, e já estava saturada de trabalho e começando a perder clientes por não conseguir atender em prazo curto, a agenda lotada com espera de 10 a 15 dias, e nos sábados ficava com espera de 30 até mais dias, fechei mais algumas parcerias com pessoas que vinham de outros salões, com pouca ou sem técnicas e as clientes não estavam se adaptando, tentei pegar auxiliares pra me ajudar mas não deu certo porque o foco delas não era trabalhar com Beleza e algumas não tinham ambição por isso não desenvolviam.  Mudei novamente a estratégia e comecei a procurar então pessoas que buscavam oportunidades, as jovens de primeiro emprego, comecei com uma, a Bia, dei um curso para ela sem custo nem um, ensinei as técnicas e os processos padronizando do jeito que as clientes do salão gostam, no final do terceiro ano eu tinha uma nova parceira e amada pelas clientes, já buscando crescimento profissional, no ano seguinte ela fez outros cursos ampliando o leque de atendimento dentro do salão.

Como o protótipo havia dado certo, no quarto ano selecionei mais duas meninas para dar curso e treinamento, já pensando em aumentar a gama de produtos ou serviços optamos em iniciar o projeto de do Espaço para Noivas, junto com locação também, mas  dessa vez tinha que trabalhar mais forte, busquei mais network entrando como membro da Diretoria da Associação Comercial, me inscrevi em Cursos em Curitiba e em São Paulo de especialização em Penteados, fui a primeira a trazer a técnica Russa para a Região, em abril de 2019.

 Comecei o Programa SEBRAE Delas, e em uma mentoria me foi apresentado Seminário EMPRETEC, decidi fazer, e em seguida o Sumit em Curitiba, todos no mesmo ano, virei uma consumidora de informação, formação e capacitação, e um conselho para quem não fez ainda o EMPRETEC, faça !,  é realmente um divisor de águas. Em setembro fui para São Paulo fazer o curso de Especialista em Noivas com os 10 melhores profissionais na área do Brasil, e tive mentoria com Chloé Gaia diretora artística e neta dos Fundadores do mais conceituado e pioneiro Salão a proporcionar o Dia da Noiva, o Jaques Janine, sempre penso se é para fazer, tenho que fazer com excelência!

            Desde o primeiro ano eu já havia aberto  CNPJ, e naquele ano trabalhei em parceria  com minha cooperativa para conseguir um financiamento pois a reforma dessa vez seria um pouco mais cara, outubro começamos a criar o Primeiro espaço dedicado para noivas de Marmeleiro, com medo de não ser compreendida, não peguei arquiteta, eu o Valderi e o Andrew desenhamos cada detalhe desse espaço, eu queria trazer um mundo lúdico, um quarto de Princesa inspirado no quarto da Cinderela da Disney,  inauguramos em dezembro com 4 noivas lindas agendadas, com uma equipe forte bem preparada capacitada por mim e por outras instituições renomadas, e parcerias já acordadas, trabalhamos num ritmo ótimo geramos muita visibilidade, e já estávamos com agendamentos para o ano seguinte.

 Já em 2020 após voltar das férias de já entrando fevereiro, tínhamos que trocar o piso, usamos a semana do carnaval, foi mais uma semana sem captar recurso, pois o salão ficou fechado, voltamos a todo vapor com as formaturas e começando preparar mais duas novas meninas para integrar a equipe, pois estávamos em 3 e ainda dependíamos de meu marido ajudar no salão e não era o ideal,  tínhamos uma agenda repleta de cliente para as festas e já tinha agendamentos até junho, mas em Março veio o Corona Vírus, e ceifar a nossa pequena colheita, reduzindo o nosso faturamento drasticamente, no começo o medo das pessoas e o fechamento do comércio causou um caos, mesmo com incerteza, passei força para a equipe e disse que estávamos juntas e iriamos manter nossa estrutura e aguentar em pé, as notícias na TV eram as piores possíveis mas não nos intimidamos, a opção era enfrentar o que viria.

Deveria tomar uma postura para resolução desses problemas e como membro da Diretoria da Associação Comercial discutimos o que podíamos fazer, e conseguimos unir forças e buscar argumentos e alternativas para conduzir essa situação, o cooperativismo é fundamental nesses momentos, conseguimos concluir essa etapa e retomar as atividades.

 Com as restrições, usei novamente as redes sociais para tentar tranquilizar as clientes, e divulgar sobre os cuidados, além do álcool em gel e cada cadeira é esterilizada com álcool após cada atendimento, instalei um lavatório para as clientes lavarem as mãos na entrada e divulgar que dividíamos elas em salas separadas pois o distanciamento é essencial nesse momento, então a sala de maquiagem e o espaço de noivas estava dando lugar aos serviços convencionais para que pudéssemos dividir as clientes e não causar aglomeração.

Não deixando de citar o suporte do SEBRAE e já com a pequena bagagem qual eu venho adquirido estamos navegando nesse Mar e nos mantendo sem naufragar por essa maré turbulenta, pois a força em equipe prevalece sempre.

Aproveitamos todo o tempo disponível para treinamentos, e desenvolvimento pessoal, em conjunto desenvolvemos serviços quais não tínhamos, criamos pacotes promocionais e voucher para garantir o fluxo de caixa sem ir para o vermelho. No meio dessa agitação desse ano, conheci o nosso Bebê aqui de Marmeleiro o pequeno Valentim que sofre de uma doença rara chamada AME, e pra mim não existe a possibilidade de deixar isso sem tomar nem uma atitude, fechei parceria com o meu fornecedor principal de produtos e criamos um Kit em Prol a campanha AME Valentim, e estamos na corrida contra o tempo para ajudar na compra dos remédios.

Mantemos nossas metas de desenvolvimento, adicionamos pesquisa de satisfação, que são enviadas diariamente as clientes por WhatsApp, um link de fácil acesso e fácil de ser respondido, e começamos a fazer pós vendas perguntando como está o procedimento uma semana ou mês após dependendo do procedimento, e já iniciamos também o pré vendas, verificando no sistema os serviços que já estão no prazo de retoque e mandando mensagem para a cliente retornar.  Mesmo com fluxo menor de caixa, e passos curtos colocamos uma nova opção de produto, folheados e bijoux, e estão dando um giro dentro do estimado, e criamos um serviço de voucher de festas, onde a cliente compra o pacote antecipado de locação de vestido penteado e maquiagem e ganha desconto,  e irá usufruir quando forem liberadas as festas, para divulgar organizamos um desfile onde a equipe desfila para fazer demonstração dos vestidos e da produção cabelo e maquiagem, começamos a publicar diariamente nas redes sociais. Organizamos cursos de auto maquiagem com apostila, fizemos o marketing estimulando a cliente a se produzir para o marido em casa.

Esse ano meu filho veio morar aqui e está aprendendo a trabalhar no administrativo do salão, e voltado para essa área empreendedora, o negócio gerido por família é mais fácil porque trabalhamos por um bem comum, isso me liberou muito tempo, e juntos já desenvolvemos um projeto novo para ser alcançado em 6 ou 8 meses  no máximo, onde facilitaremos a vida de nossas clientes que moram mais distantes e  dependem terceiros para vim ao salão, implantaremos o serviço de leva e traz para as clientes, onde colocaremos uma pequena taxa, recurso humano já tem, que é o Andrew, e o carro ele já está juntando recurso próprio para comprar, vai ser uma espécie de Uber mas do salão, atender com mais qualidade e melhor e nosso foco.

O Salão Bolette Beauty hoje é conceito em Marmeleiro, e reconhecido nas cidades vizinhas, temos clientes que vem de fora para nos prestigiar, está firmado no Mercado, e no início da escalada, temos metas de desenvolvimento e de novos empreendimentos de médio e longo prazo já definidas, e o futuro nos pertence...

Empreendedorismo Feminino 👠

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você