[ editar artigo]

*EMJS Uma história de SUCESSO!!!*

*EMJS Uma história de              SUCESSO!!!*


 
Sou  Stelamaris Grassi Serpa, nasci no dia 08 de maio de 1962, em Ponte Alta do Norte (SC). Em 1970, nos mudamos para Palmas, onde meu pai veio instalar fábricas da família. Terceira filha do casal, logo minha mãe engravidou do tão esperado menino.
Meus pais Francisco e Zeli, pessoas trabalhadoras, sempre procuraram dar uma vida  melhor para seus filhos, mesmo sendo difícil, faziam o impossível para termos conforto e principalmente estudo, sim o estudo era fundamental. Cresci numa família unida, divertida que acima de tudo, sempre  prezou pelos valores morais e cristãos. Sonhavam com uma filha bancária e uma professora, mas, eu nunca me imaginei atuando nesta profissão, pois, o meu sonho era trabalhar nas Pernambucanas, porém este não era o sonho de meus pais.
Fui uma menina muito levada, mas muito comprometida e determinada com aquilo que me propunha a realizar. Comecei a Faculdade de Administração em Palmas. Conheci meu marido, José Honório Almeida Serpa, casamos em 84, e nos mudamos para Mangueirinha PR. Conclui minha faculdade, onde precisava ficar uma semana por mês em Palmas.
Então planejamos ter nossos filhos, nasce então Ana Cristina e José Felipe, e uma filha do coração Adriana Terezinha que hoje segue meus passos.
Quando chegamos em Mangueirinha, não havia escola particular/privada. Formada em Administração, fui convidada, para juntas eu e mais duas amigas abrirmos uma escola. Alugamos um espaço do Colégio das Irmãs e foi ali que tudo começou, inicialmente com a pré- escola Ciranda Cirandinha. Foi ai que nasceu o meu amor pela escola. Esta parceria não durou muito, foi desfeita, então comprei o NOME da escola.
Como o número de alunos era insuficiente e o espaço precisou ser desocupado, eu precisei me reinventar. Não desisti de ter a minha própria escola, pois, para mim a realização de um sonho não tem limites.
Um dia indo à Curitiba, passei em frente ao local onde é a escola hoje e falei para meu marido: - É este o local da minha escola, vou alugar está casa quando voltarmos. E assim aconteceu. Reestruturamos a escola Ciranda Cirandinha iniciamos o ano com 13 alunos, e fomos tendo credibilidade, no ano seguinte iniciamos com 15 e terminamos com 25 alunos.  Tudo estava saindo muito bem e dando certo. Neste tempo percebi que além de conseguir alunos era também importantíssimo ter bons professores para que o trabalho se concretizasse. O número de alunos cresceu e viu-se a necessidade de ampliar a grade curricular e implantar o 1 grau. Meu marido me propôs comprar o terreno, construirmos, mas com uma condição, que o nome da escola fosse uma homenagem à sua avó paterna, uma mulher de muita fibra e personalidade marcante. Então nasce a Escola Maria Joaquina Serpa, ensino pré-escolar e de 1* grau. Mas nem sempre as coisas foram fáceis, precisávamos ter um diferencial, mostrar aos pais o potencial de uma escola particular. Trabalhamos por 6 anos e apesar de todos os esforços terminávamos o ano sempre no vermelho, tendo que emprestar dinheiro do meu marido e do meu pai para poder pagar os salários de professores  e manter o quadro de funcionários.
Como sou uma pessoa que não desiste fácil, sou determinada, que não vê empecilhos, fui criando estratégias para melhorar e criar credibilidade no mercado. Investi em materiais pedagógicos, formação de professores, atividades extracurriculares e na estrutura física da escola. Sempre tive Deus como meu alicerce, fiz um propósito de dar bolsas de estudos a pessoas que realmente valorizassem a educação e que não tivessem condições financeiras de manter seu filho numa escola privada, e até hoje esse propósito se concretiza.
Anos após implantamos o ensino fundamental séries iniciais e finais de forma gradativa, ouve anos que fechamos por falta de alunos. Mas não desisti. Dois anos após iniciamos novamente. Sempre procurando novos projetos, novas formas de inovar.
Hoje nossa escola chama-se ESCOLA MARIA JOAQUINA SERPA-  Educação Infantil e Ensino Fundamental.
Pensei muitas vezes em desistir, várias foram as dificuldades que passamos, com pais, alunos, professores e sem contar com a parte financeira, afinal nós  trabalhamos com o bem mais precioso que são os filhos de outras pessoas. Tudo tem que ser perfeito. Muitas vezes chego a pensar: por que fico insistindo em  manter uma escola? Poderia ficar em casa, tranquila, cuidando da minha família... porém, a vontade de  construir a minha história de superação fala mais alto, pois nunca quis passar por esta vida como uma turista boba, quero ser lembrada por coisas boas que fiz, por pessoas que ajudei. Ver alunos nossos sendo formados em diferentes faculdades, no decorrer dos anos e sendo excelentes profissionais é o que me impulsiona e motiva a continuar, pois sei que a boa semente fomos nós que plantamos.
Hoje me sinto realizada como mãe, como avó de três lindos netos: Dalmir Neto, Maria Joaquina e José Bento e como excelente profissional que me tornei, vejo que Deus foi extremamente generoso e muito gentil comigo.
Estou há 30 anos trabalhando com a escola em nosso município. AMO o que faço, amo meus alunos, eu que nunca pensei em ser professora, sem querer acabei realizando o sonho de meus pais. Hoje sou a proprietária de uma escola!
Sou a Stelamaris, uma pessoa que um dia ousou realizar seu sonho de empreendedora...

Empreendedorismo Feminino 👠

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você