[ editar artigo]

MINHA HISTÓRIA DE MULHER...

MINHA HISTÓRIA DE MULHER...

Meu nome é Clarice Dreher Pelizzon, tenho 55 anos , casada, mãe de um casal de filhos.

Muito cedo sonhava em ser independente. Tinha isso como missão em minha vida. Comecei então, com muitas dificuldades, a cursar o Magistério. Morávamos no interior e o ensino médio era só na cidade e particular. Como poucas conseguiam estudar na época, logo consegui trabalho na área. Trabalhei por 12 anos no  Magistério,  neste  período  casei, tive o primeiro filho, mas era tudo muito difícil, estrada de chão, sem carro, sem telefone, tudo muito distante. Tínhamos mais um inconveniente, contratadas pelo Estado (ACT), todos os finais de ano vinha a questão, desemprego e todos as suas consequências.

Em meados de 1995, quando tive a segunda filha, começou a mexer com minha cabeça a vontade louca de mudar de profissão, mas até então, só era professora. Era hora de chutar o balde, e corres atrás. Foi aí que pedi demissão na Escola.

Procurei um curso profissionalizante para cabeleireiros. Fiquei durante três meses cursando os três turnos ( matutino, vespertino e noturno) para encerrar  com maior rapidez. Esse curso ficava a 170 km de casa, uma parte, estrada de chão, duas crianças e eu sem salário.

Durante este período em que eu estudava, meu marido trabalhava durante o dia em uma cooperativa, de motorista, e a noite reformava uma casinha velha de madeira que era da minha avó na época já falecida. Enfim, três meses depois, estava eu, em meu primeiro "salãozinho" iniciando um novo ciclo. Mas... eu até então era professora, não trabalhava com a autoestima das pessoas... e dai???

Minhas frases diárias postas em vário lugares para minha motivação: Eu sou cabelereira, eu sou capaz, eu vou conseguir, Deus está comigo...

Um ano depois, apareceu em minha porta, não sei como, pois não existia carteiro, um convite para o curso de Cosmetologia e Estética, nos finais de semana, novamente os 170km, duas crianças e trabalho, mas lá fui eu. Durante este período meu marido ficou desempregado e tivemos que nos mudar da cidadezinha pela falta de emprego.

Mudamos para Barracão/PR, pagando dois alugueis, marido viajando, duas crianças, longe da família, e o curso pela metade. Neste período ainda enfrentamos problemas com depressão pela insegurança, mudança radical em nossas vidas, o medo com os filhos na mãos de estranhos, sem creche.

Enfrentamos vário leões, mas não podia desistir, pois estava aqui minha chance de crescer. Fronteira, muito movimento, muitos argentinos. Vendemos carro, investimos o acerto de contas do marido, tudo em equipamento para estética, e Deus começou a me dizer, você merece, você consegui, é a sua vez. Foi um período de muito trabalho, trabalhava até 15 horas diárias, muita economia, aproveitamos ao máximo o período de vacas gordas. Gerei muitos empregos, saiu daqui varias profissionais que atam no ramo, como autônomas também.

Hoje além de não pagar mais nenhum aluguel, eu alugo e me preparo para uma aposentadoria digna, mas sem parar de trabalhar. Deus, família e trabalho são nosso combustível diário.

Levante a cabeça e vá! Você é capaz. Não existe tempestade sem que o sol brilhe com mais intensidade no dia seguinte.

 

Empreendedorismo Feminino 👠

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você