[ editar artigo]

Projetos liderados por mulheres 👩🏻‍💼

Projetos liderados por mulheres 👩🏻‍💼

Lugar de mulher é no empreendedorismo! Essa frase não é apenas uma tendência, mas sim de uma realidade. Durante a crise econômica, entre 2014 e 2015, o mercado se retraiu, o que gerou milhões de brasileiros desempregados no país. O reflexo disso foi o aumento do empreendedorismo por necessidade. Dessa forma, o que antes era uma ideia se tornou oportunidade.

Hoje, as mulheres têm um papel fundamental no empreendedorismo nacional. São aproximadamente 24 milhões de mulheres empreendedoras no Brasil, segundo dados da pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor, conduzida pelo Sebrae. O estudo mostrou também que normalmente elas empreendem por necessidade e a maioria não têm sócios. Além disso, o Brasil tem a 7ª maior proporção de mulheres entre empreendedores iniciais. Isso significa que o mercado mudou muito e que as mulheres estão cada vez mais à frente dos negócios. 
 

O perfil da mulher empreendedora

É possível encontrar mulheres empreendendo em diferentes segmentos. Mas qual é o perfil dessas empreendedoras? Muitos estudos foram feitos e algumas características são comuns entre elas. Veja qual é o perfil da mulher empreendedora:

💸 A maioria trabalha com comércio de produtos. Isso foi o que revelou uma pesquisa da Serasa Experian. Segundo o levantamento, 33% das brasileiras empreendedoras investem em negócios focados em comércio de produtos.

🏠 Muitas trabalham em casa. Isso é reflexo, também, do fato de muitas começarem a partir da necessidade. Dessa forma, evitar gastos com aluguel e produzir sem sair de casa é uma opção para elas.

❤ Paixão e flexibilidade. Ao contrário dos homens que buscam em sua maioria empreender para ter rentabilidade, a mulher considera a paixão e a flexibilidade de horário na hora de optar pelo empreendedorismo (sim! 😍).

⏰ A dupla jornada de trabalho acaba acontecendo. Em muitos casos, a mulher não consegue dedicar toda a sua energia ao desenvolvimento do seu negócio por causa do lar. Algumas, ainda, começam a empreender e sem deixar o trabalho de lado. Dessa forma, elas buscam monetizar algum hobby.

📚 Se preocupam com a capacitação. Se elas decidem entrar em um mercado, saiba que estarão dispostas a se capacitar. Buscam aprimorar conhecimentos, se atualizar, fazer cursos e acompanham tudo que há de tendência no setor.

🙋‍♀ São pés no chão. Ao contrário de parte dos homens, a maioria das empreendedoras buscam bastante informações sobre o negócio que pretendem abrir. Elas também procuram mais ajuda de órgãos governamentais para ter apoio e informação.

Ainda existem desafios

Apesar de ser um mercado profissional em crescimento e o cenário positivo, algumas questões ainda são desafios quando o assunto é mulheres no empreendedorismo. O primeiro deles é o preconceito. As mulheres ainda sofrem discriminação no ambiente de trabalho, principalmente em oportunidade, quando comparado aos homens. Porém, essa questão já vem sendo discutida e algumas mudanças consideráveis já podem ser vistas.

Outro desafio é em relação a uma das características citadas acima: a mulher tem que conciliar suas responsabilidades da vida pessoal com a profissional. Apesar de serem conscientes do seu papel econômico e com a responsabilidade da empresa, elas consideram importante a administração da casa e educação dos filhos. Isso faz do empreendedorismo um desafio ainda maior.

Também é um grande desafio a questão da autoconfiança. A sociedade já evoluiu muito, mas ainda temos casos de preconceito que acabam dificultando a caminhada das mulheres. Por isso, ter maior segurança nas tomadas de decisão é algo desenvolvido e trabalhado diariamente.

Quem são elas?

Você conhece as empreendedoras do Paraná? Conheça alguns cases de sucesso!

👩🏻👩🏼👩🏻 Irmãs Alcântara - Tudo Orna: tudo começou com o blog Tudo Orna, em 2010. A ideia era levar informação de qualidade ao público. Com o tempo, as marcas começaram a se interessar por esses conteúdos e disso surgiram parcerias. Em 2014, elas decidiram que era a hora de criar uma marca autoral. Hoje, o Grupo Orna fatura cerca de R$ 2,5 milhões e além de um café (Orna Café), conta com a venda de acessórios como bolsas, chapéus e carteiras. 

Aliás, a Débora Alcantara (uma das irmãs), estará conosco HOJE (16/03) às 15h, numa live no Youtube, para falar sobre sua história e dar dicas para mulheres que empreendem, assista! 


👩🏻 Luanna Toniolo - TROC: a TROC é hoje o maior brechó online do Brasil. A empresa foi uma iniciativa da advogada Luanna Toniolo, que após se dedicar à advocacia, decidiu seguir um novo caminho. Se especializou em marketing em Harvard, estudou a fundo o mercado da moda e o resultado disso foi a TROC, que antes de completar três anos já faturou R$ 10 milhões.
 

👩🏼 Maria Teresa Fornea - Bcredi: inserida no mercado financeiro tradicional há bastante tempo, Maria Teresa viu a oportunidade de usar a tecnologia para oferecer crédito com garantia de imóvel de forma inovadora. Foi assim que surgiu a Bcredi, uma fintech que oferece taxas menores e menos burocracia. Hoje a startup está na lista das maiores do Brasil.

E você, também está no mundo do empreendedorismo feminino? Compartilhe conosco a sua experiência. Cases de mulheres empreendendo serão cada vez mais comum. 

💪 Girl power! 💪

Comunidade Sebrae
Bianca Becker
Bianca Becker Seguir

Analista de negócios digitais - Sebrae/PR | Marketing Digital | Marketing de Conteúdo | Vídeos | Inbound

Ler matéria completa
Indicados para você