[ editar artigo]

Sonho Possível

Sonho Possível

Meu nome é Liliane Bim De Cristo, minha história empreendedora é na verdade um sonho empreendedor, um sonho de poder ajudar as pessoas com um conhecimento milenar. Mas antes de falar desse sonho vou contar um pouco da minha trajetória, da minha vida. Nasci em primeiro de abril de 1985 em uma família cheia de amor e dedicação. Meus pais, agricultores, apesar da dificuldade sempre prezaram pela educação, tudo podia ser adiado, mas os estudos jamais. E eu sempre amei estudar e ler. Estudei o Ensino fundamental I (primeiro à quarta série na época) em uma escola rural multiseriada, onde além de aprender português e matemática aprendíamos a limpeza e o cuidado com o ambiente em que estudávamos.

O ensino Fundamental II fiz em uma escola Estadual, da cidade vizinha a que eu nasci, Pato Branco. Os estudos eram tranquilos, sempre fui uma das melhores da turma a única dificuldade era o transporte; ficávamos mais de uma hora andando de ônibus e depois Kombi, em dias chuvosos enfrentar a lama era um pouco difícil, mas tínhamos momentos divertidos e, claro sempre uma muda de roupas e um par de calçados na mochila. Para fazer o ensino médio o esforço precisou ser um pouco maior; escolhi a escola técnica, hoje UTFPR, na época CEFET-PR. Ah! Como eu amava aquele lugar, os professores, os colegas a biblioteca. Foram três anos maravilhosos de 2000 à 2002, muito estudo, muitas aulas de reforço e muito tempo em ônibus, agora eu tinha que pegar três ônibus para conseguir chegar lá. Por sorte minha família sempre ao meu lado, ajudando, e buscando quando perdia o ônibus ou quando precisa fazer aula de reforço a tarde. Minha vida se dividia entre as aulas, e as tarefas do sítio e um relacionamento, que iniciou bom, mas que acabou sendo abusivo, sem nenhuma agressão física, mas com muito desprezo e abusos psicológicos. Nesse momento em meados de 2003 eu já estava cursando Jornalismo na FADEP, mas aquela sonhadora corajosa tinha desaparecido e eu havia me anulado em um relacionamento nada bom para mim.

Foi então que mais uma vez a força da família estava lá, meus pais e irmã me apoiaram quando, já passada a hora, aquele namoro acabou. Aquele apoio fortaleceu a minha determinação e sim! a sonhadora voltou. E o meu sonho agora era ensinar, não, vocês não estão enganados eu estava cursando jornalismo, mas eu ainda queria ensinar, só não sabia como faria isso. A faculdade acabou a formatura chegou e junto com elas dois sentimentos: O amor voltava a bater a minha porta, já iniciava o relacionamento com o homem da minha vida, meu esposo Jacir De Cristo. E a angústia, afinal estava formada e AGORA? Já trabalhava há 5 anos em uma empresa de insumos agrícolas no setor financeiro. Jornalista? Só nos textos que escrevia no blog de um amigo. Estava perdida, sem saber o que fazer, largar o emprego não dava no momento, pois meus pais estavam passando por dificuldades financeiras, mas se não o fizesse, como eu seria jornalista? E quanto ao sonho de ensinar? Qual a possibilidade? No momento achei que não era possível! Contudo surgiu a oportunidade de cursar Licenciatura em Filosofia pela UFSC, mais uma vez com apoio da família e do meu amor eu comecei mais essa jornada, alguns acreditavam ser loucura querer ser professora “Onde a Lili está com a cabeça?” “Professora só vai sofre!” RSrs alguns dos comentários, mas agora eu já estava segura o bastante para decidir a minha vida por mim mesma, sem influenciadores.

2011 e mais uma formatura, confesso que me enchi de orgulho, mas dessa vez eu tinha coragem e estrutura financeira para largar o emprego e mudar radicalmente a profissão. O primeiro ano lecionando no Estado não foi fácil, “na prática a teoria é outra”, mas o amor pela filosofia e pela sala de aula me fizeram continuar. Ah! Nessa época já estava casada, curtindo o primeiro ano de casada e o primeiro ano da carreira, com muitos desafios, mas com muita satisfação.  Mas não era certo, não era concursada e então dependia de seleção no início do ano, o que nem sempre conseguia. Então nos anos seguintes me dediquei a mais uma pós-graduação e a estudar para o concurso. Em 2013, fui aprovada em primeiro lugar no Estado do Paraná e no final desse mesmo ano engravidei da minha primeira filha, Isabela, mais um sonho realizado: Ser mãe! Entre os baixos e altos da maternidade e da profissão acabei com um esgotamento emocional, que me levou a terapia e depois ao Reiki. Sempre fui calma e tranquila (não mostrem para o meu marido isso), na verdade eu tinha me perdido de novo, a ansiedade, o medo de não ser uma boa mãe e o estresse do trabalho me consumia e o Reiki me devolveu o equilíbrio que eu precisava. Ah! Como é bom se reencontrar! Junto com esse reencontro um sonho que estava guardado há muito tempo, que pensei até ter esquecido, ser empreendedora voltou, só que ainda não sabia em que empreenderia. Amo cozinhar e ensinar então pensei até em montar um café ou algo assim. Resolvi me inscrever para o Mestrado e iniciei como aluna externa em 2019, para aprofundar meus conhecimentos. Foi então que descobri a gravidez do segundo filho, Murilo, que maravilha mais um anjo na minha vida e ainda agora era mãe de um casal. Então decidi me antecipar, para não “pirar” novamente fiz o curso nível II do Reiki e já me inscrevi para o nível III, fiz o curso ainda grávida, que maravilhoso! Foi aí com a minha estabilidade emocional que percebi que poderia ser empreendedora e também ajudar as pessoas a buscar esse equilíbrio emocional tão sonhado e necessário, mas o fazia apenas aos amigos, alunos e familiares.

O Murilo nasceu, perfeito e lindo, mas o seu teste do pezinho teve uma alteração, se fosse há uns 3 anos eu ia me desesperar, mas agora reikiana e mais madura mantive a fé e com o apoio do meu esposo, espetacular como sempre, e da minha família fomos em busca de um médico infectologista e do tratamento, com a graça de Deus nosso pequeno está livre da doença e segue muito esperto e saudável. Foi então que pensei, posso ter um espaço onde poderia oferecer terapias como o Reiki e ajudar outras pessoas, mas eu sou boa professora não sei nada de empreender, por isso orientada por algumas amigas e pelo meu esposo procurei o SEBRAE e iniciei os cursos, consultorias e Workshops, e a cada dia que passa vejo esse novo sonho estar mais perto e possível!  Essa foi a minha trajetória até aqui 2020, uma história de sonhos e realizações e de muito amor.

Empreendedorismo Feminino 👠

Ler conteúdo completo
Indicados para você