[ editar artigo]

Estratégia para Empresas Inovadoras

Estratégia para Empresas Inovadoras

Empresas inovadoras tem em seu “DNA” a busca do diferencial competitivo por meio do desenvolvimento e evolução constante de seus produtos, processos e ou modelo de negócios. Outro componente relevante deste seu posicionamento diferenciado é sustentado pelo seu time e pelo conhecimento que o mesmo possui dos clientes e/ou dos modelos de negócios que são alvo de seus produtos/serviços.

A premissa básica é que: mesmo estas empresas, que tem um modelo de negócios e capital humano diferenciados capaz de serem autogerenciáveis e podem se utilizar de metodologias ágeis de trabalho, mais do que nunca necessitam de uma estratégia para direcionar esforços e manter pessoas alinhadas.

A diferença é que estas empresas, via de regra não se adaptam ao modelo tradicional de planejamento, pois o mercado em que as mesmas estão inseridas é muito ágil e dinâmico.

 

A estratégia tradicional, orienta a construção da mesma pela diretoria da empresa, que determina a direção desejada por meio da missão e visão da empresa, que normalmente são construídas com previsão de longo prazo, percebe-se então a primeira divergência. Outra característica deste método e ser prescritivo/descritivo deixando o processo mais rígido e baseado em extensas pesquisas, o que leva tempo. A execução deste estratégia baseia-se mais em comando e controle, com a premissa de posicionamento definido, o que se opõe aos modelo de negócios inovadores.

Mas, isto não é justificativa para que as empresas inovadoras não tenham estratégia. O que elas necessitam é de um modelo de estratégia que as potencialize e proporcione agilidade nas suas decisões, conforme o mercado em que estão inseridas exige.

Recomendamos que este modelo de negócios adote “A Estratégia Ágil” como forma direcionar a organização, esforços e colaboradores.

A estratégia ágil preconiza a construção da mesma com um nível amplo de participação, sendo transparente e envolvendo time, clientes e stakeholders; o que encurta muito o caminho do diagnóstico pois já envolve muitos atores e facilita a compreensão. Ela exige a criação de um propósito único como sendo o motivador da organização, das pessoas e parceiros, cumprindo a necessidade de dar a direção. Seu método baseia-se na constante interação dos atores e na adaptabilidade permanente. As análises são exploratórias, utilizando-se de perspectivas de futuro (tendências) e buscam a possibilidade de transformação, sendo este um dos principais fatores de motivação neste modelo de organização.  A base da construção desta estratégia está na incerteza, no dinamismo e na flexibilidade. E por fim permite que a empresa e seu colaboradores façam escolhas e obtenham o direcionamento necessário para obter êxito.

Mesmo modelos extremamente inovadores, até para ganhar agilidade e produtividade em seus times e potencializar o modelo de gestão horizontal e de empoderamento das pessoas, devem utilizar-se da estratégia como uma ferramenta fundamental para facilitar e potencializar a organização. Caso a estratégia ágil não responda a contento recomenda-se avaliar outros modelos que podem ter aderência. Ou seja, toda e qualquer organização necessita de uma estratégia, o grande desafio está em compreender qual modelo de estratégia adapta-se melhor ao modelo de negócios em questão.

Empresas Inovadoras

Comunidade Sebrae
Emerson Cechin
Emerson Cechin Seguir

Consultor de Negócios do SEBRAE-PR, Especialista em Crescimento Empresarial, Inteligência de Negócios, Investimento e Finanças.

Ler conteúdo completo
Indicados para você