[ editar artigo]

Como manter a gestão financeira saudável?

Como manter a gestão financeira saudável?

As finanças de uma empresa impactam em todas as outras áreas. Trazendo isso como premissa, cuidar da gestão financeira é essencial para toda a empresa.
Por essa razão, é importante que você conheça algumas dicas valiosas para fazer uma gestão financeira que ajude a manter o empreendimento de maneira sustentável. Confira!

Realize a contabilização de todos os gastos

Um dos maiores erros das empresas é escolher o que será colocado nos relatórios, por não acreditarem que todos os dados são importantes. Porém, desde os gastos com material de escritório até a compra de equipamentos importantes para a produção devem estar sinalizados nos documentos contábeis.

Uma forma de tornar a contabilização de gastos mais eficaz é classificar os valores que saem do fluxo de caixa. Por exemplo, criar categorias como custos fixos e variáveis. Isso ajudará a ter uma dimensão dos gargalos do negócio. Esse fator é essencial na hora de diminuir ou mesmo eliminar aqueles gastos que oneram o orçamento corporativo.

Estabeleça boas práticas de gestão orçamentária

Tão importante quanto contabilizar e categorizar os gastos é estabelecer boas práticas de gestão orçamentária. Definir qual será o montante disponível no orçamento evita que gastos supérfluos estejam presentes no dia a dia. Além disso, faz com que os colaboradores de uma empresa tenham mais consciência sobre a alocação de recursos.

Então, para que o orçamento seja feito corretamente, inclua informações como projeção de receitas e gastos esperados, balanço patrimonial e meta de crescimento. Isso deve ser estabelecido anualmente, mas vale destacar que a checagem dos dados precisa ser realizada mensalmente, para evitar erros.

Avalie ofertas de compras

Toda empresa precisa de insumos para manter o seu funcionamento, seja sua atuação no mercado de produtos ou serviços. Portanto, uma prática aplicável a todas elas é a avaliação das ofertas de compras. Mas, afinal, o que isso quer dizer?

Por exemplo, se a empresa precisa de novos computadores, é essencial que ela faça ao menos três orçamentos. Dessa maneira é possível comparar preços e identificar qual dos fornecedores terá um valor mais em conta. Quando o empreendimento compra sem pesquisar, ele corre o risco de pagar mais por um insumo ou material. Portanto, é nesse momento que a empresa poderia começar gerando uma economia.

Preze pela organização

O gerenciamento financeiro de qualidade exige organização. Tendo isso em vista, é preciso abandonar algumas práticas ortodoxas para manter cada dado em seu lugar. Isso significa deixar de lado tanto os controles manuais quanto planilhas que ficam dispersas e estão sempre fora do alcance. A ideia é dar preferência a sistemas tecnológicos (falaremos mais sobre eles a seguir).

Por isso, mantenha os dados em local unificado e que permita o acompanhamento constante. Isso evitará que documentos importantes se percam e também que a empresa gaste tempo procurando por relatórios passados. Consequentemente, os processos se tornam mais ágeis e ela deterá o conhecimento sobre o que fazer com as finanças.

Tenha uma margem para capital de giro

Como vimos até aqui, a saúde financeira de um negócio está condicionada à boa organização e ao estabelecimento de um orçamento. Mas não é só isso. Outro fator importante desse processo de controle de finanças é a manutenção de uma margem de capital de giro.

Esse dinheiro a mais ajudará o empreendedor a ter mais segurança no desenvolvimento das atividades do negócio. O montante pode servir a diferentes propostas, desde prevenir danos causados pela inadimplência até investir em marketing. Dessa maneira, cria-se um maior reconhecimento da marca no mercado.

Quite as dívidas

Ao iniciar um negócio, é comum que os empresários solicitem empréstimos aos bancos e instituições financeiras. A ideia é impulsionar o negócio nesse primeiro momento em que as pessoas não conhecem a marca e não há geração de muito lucro. Assim, eles usam esses financiamentos para investir em equipamentos, imóveis, infraestrutura, entre outros.

No entanto, é preciso muito cuidado para que a ação não se torne um verdadeiro pesadelo. O não pagamento das dívidas em dia pode gerar juros bem altos, fazendo com que o crescimento fique estagnado. Assim, a saúde financeira da sua empresa pode ser afetada.

O ideal é ter um planejamento que separe todo mês uma quantia que será destinada exclusivamente ao pagamento desses valores. Dessa maneira, elas não se acumulam e acabam por se tornar um problema para sua empresa.

E claro, para garantir que o seu serviço em finanças corporativas terá qualidade, é importante que você se qualifique na área, procurando sempre se atualizar sobre as novidades e mudanças de mercado.

Dúvidas? Deixe seu comentário!

Finanças e Tributos

Comunidade Sebrae
Mariana Carvalho
Mariana Carvalho Seguir

Consultora do SEBRAE/PR | Especialista em Gestão Financeira | Especialista em Gestão Empresarial | Especialista em Controladoria | Head da Comunidade Sebrae de Finanças e Tributos | Mentora de Educação Financeira

Ler conteúdo completo
Indicados para você